Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Little Tomodachi (ともだち)

Little Tomodachi (ともだち)

12
Mar21

Women's Prize for Fiction. Autora transgénero nas candidatas pela 1.ª vez

Niel Tomodachi

Uma escritora transgénero, Torrey Peters, figura pela primeira vez na lista de candidatas ao Women's Prize for Fiction, ao lado da já premiada escritora escocesa Ali Smith e da comediante britânica Dawn French.

naom_5ef681995caa5.jpg

'longlist' do prémio literário que anualmente distingue ficção escrita por mulheres em todo o mundo foi anunciada pela organização e revela a presença, pela primeira vez entre as finalistas, de uma autora transgénero.

Torrey Peters concorre com "Detransition, Baby", o seu romance de estreia, que segue uma mulher 'trans', Reese, a sua antiga parceira Amy, agora Ames, que fez um processo de destransição, e uma mulher 'cis', Katrina, com quem Ames tem tido um caso, e que está grávida. "Uma comédia moderna de costumes", como o descreveu Elizabeth Day, um dos membros do júri, segundo o jornal The Guardian.

A nomeação de Torrey Peters surge depois de os organizadores terem esclarecido em 2020 que o prémio era aberto a todas as mulheres, sejam elas "mulheres cis [que se identificam com o género de nascença], mulheres transgénero ou qualquer pessoa que seja legalmente definida como mulher ou do sexo feminino".

"É um prémio para as mulheres, e as mulheres 'trans' são mulheres, portanto ...", esclareceu a presidente do júri, a escritora Bernardine Evaristo.

A necessidade deste esclarecimento deveu-se ao facto de Akwaeke Emezi, que se identifica como pessoa não binária, e que foi nomeada para o Women's Prize em 2019, ter afirmado que não iria submeter os seus futuros livros ao prémio, porque os organizadores pediram informações sobre o seu sexo, tal como definido "por lei".

Torrey Peters concorre com autoras já consagradas como Ali Smith, candidata com o último volume da tetralogia sobre as estações, "Summer", e com a comediante tornada romancista Dawn French, e o seu livro "Because of you", que lança um olhar sobre a maternidade.

"Piranesi", primeiro romance de Susanna Clarke desde "Jonathan Strange e Mr. Norrell", também faz parte da lista, assim como "The Golden Rule", de Amanda Craig, que abre com duas mulheres a conspirar para matar os maridos uma da outra.

O tema dos gémeos também está presente na edição deste ano, em que concorrem "The vanishing half", de Brit Bennett, em que uma de duas irmãs idênticas oriundas de uma comunidade negra constrói uma nova identidade como pessoa branca, "Unsettled Ground", de Claire Fuller, que segue um par de gémeos de 51 anos que ainda vivem com a mãe, e "Consent", de Annabel Lyon, em que uma mulher estudiosa põe a sua vida em suspenso quando a sua irmã gémea é ferida num acidente.

Da 'longlist' constam outros cinco romances de estreia: a autora irlandesa Naoise Dolan, com "Exciting Times", no qual uma jovem irlandesa vai para Hong Kong e se apaixona por um homem e uma mulher, Avni Doshi, com "Burnt Sugar", livro que foi finalista do Prémio Booker 2020, Patricia Lockwood, com "No One Is Talking About This", sobre o cruzamento entre as vidas real e 'online' de uma mulher, Raven Leilani, com "Luster", sobre a relação de uma mulher negra de 23 anos com um homem branco de meia-idade casado, e Cherie Jones, com "How the One-Armed Sister Sweeps Her House", um conto de homicídio, abuso e violência, em Barbados.

Os três candidatos que completam a lista de finalistas são "Small Pleasures", de Clare Chambers, sobre uma jornalista que cobre a história de um aparente nascimento virgem na década de 1950, "Transcendent Kingdom", de Yaa Gyasi, que segue uma mulher que conhece a sua história familiar depois de a dependência de opiáceos destruir a vida do seu irmão, e "Nothing But Blue Sky", de Kathleen McMahon, no qual um homem reflete sobre os seus 20 anos de casamento, após a morte súbita da mulher.

A organização do prémio destaca que a lista deste ano homenageia uma gama de géneros e temas que vão da família à maternidade, passando pela pobreza rural e isolamento, a dependência, a identidade e pertença, raça e classe, dor e felicidade, velhice e vida posterior.

Os romances abrangem também uma série de cenários globais diferentes, do Sul de Londres ao Sul profundo, Gana, Hong Kong, Barbados, Brooklyn e um reino de fantasia.

Seis dos finalistas são de autoras britânicas, cinco são norte-americanas, duas são irlandeses, uma canadiana, outra barbadiana e uma ganense-americana.

"Lemos tantos romances brilhantes para o prémio deste ano e tivemos uma sessão de julgamento enérgica onde discutimos as nossas paixões, opiniões e preferências. Infelizmente, tivemos de deixar ir alguns livros muito meritórios, mas estamos confiantes de que escolhemos dezasseis romances de destaque que representam uma gama verdadeiramente vasta e variada de ficção feminina que reflete múltiplas perspetivas, estilos narrativos e preocupações", disse Bernardine Evaristo.

A presidente do júri, autora de "Rapariga, Mulher, Outra", com que ganhou o prémio Booker, acrescentou: "Estes romances fascinaram, comoveram, inspiraram e desafiaram-nos".

Do painel de jurados fazem ainda parte a escritora e jornalista Elizabeth Day, a apresentadora de televisão e rádio Vick Hope, a colunista Nesrine Malik e a apresentadora Sarah-Jane Mee.

No ano passado, o prémio foi atribuído ao romance "Hamnet", da irlandesa Maggie O'Farrell.

A lista de finalistas deste prémio, composta por seis obras, será conhecida no dia 28 de abril, e a vencedora será anunciada a 7 de julho.

Dirigido pela romancista Kate Mosse, o Women's Prize for Fiction tem por objetivo reconhecer a ficção escrita por mulheres em todo o mundo.

Criado em 1992, em Londres, capital britânica, por um grupo de homens e mulheres jornalistas, críticos, agentes, editores, bibliotecários e livreiros, o prémio foi uma resposta ao facto de, no ano anterior, a lista de finalistas do prestigiado prémio literário Booker não ter incluído uma única mulher.

Aliás, em 1992, apenas dez por cento das finalistas ao Booker Prize tinham sido mulheres.

A residência ou o país de origem não são critérios de elegibilidade para o Women's Prize for Fiction, que celebra a criatividade feminina.

A vencedora recebe um prémio monetário no valor de 30 mil libras (perto de 33 mil euros).

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Quotes:

“How wonderful it is that nobody need wait a single moment before starting to improve the world.” ― Anne Frank

Pesquisar

Nelson's bookshelf: currently-reading

Alfie - O Gato do Bairro
tagged: currently-reading

goodreads.com

2022 Reading Challenge

2022 Reading Challenge
Nelson has read 0 books toward his goal of 50 books.
hide

Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Afiliado Wook

WOOK - www.wook.pt

Comunidade Bertand

Afiliado Miniso

Read the Printed Word!

Em destaque no SAPO Blogs
pub