Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Little Tomodachi (ともだち)

Little Tomodachi (ともだち)

27
Jan23

Disney vai celebrar os 100 anos com uma experiência imersiva destinada a adultos

Niel Tomodachi

A atração vai passar por três cidades europeias e terá quatro salas temáticas com personagens que marcaram uma geração.

Durante um século, a Disney mudou a infância de todos aqueles passavam os dias a assistir filmes de animação na televisão. Os miúdos cresceram, tornaram-se adultos, mas nunca esqueceram as histórias mágicas que mostram que nada é impossível. Para celebrar os seus 100 anos de história, a companhia vai lançar uma experiência imersiva inédita destinada apenas a adultos.

A nova atração, “The Wonder of Friendship: The Experience” (“O Encanto da Amizade: A Experiência”) vai passar por três cidades europeias a partir de maio: Londres, Berlim e Paris. Numa instalação de mil metros quadrados, os maiores de 18 anos vão poder entrar em quatro salas temáticas com personagens que marcaram várias gerações. Alice, Simba, Timon e Pumba, Mickey e Lilo & Stitch são apenas algumas das que poderá encontrar por lá.

No quarto dedicado à Alice no País das Maravilhas, os visitantes irão entrar num labirinto e acompanhar a jornada da personagem pela toca do coelho. Pelo caminho, vão cruzar-se com os Mome Raths e os guardas de cartas da rainha.

O quarto de Alice no País das Maravilhas.
 
 

Os fãs de Lilo & Stitch podem visitar a praia do filme em Ohana Bay e, quem sabe, aventurarem-se no surf. Já a sala temática de “O Rei Leão” abre portas para a selva onde encontrará Simba, Timon e Pumba, que provavelmente estarão distraídos com as suas cantorias. Também poderá encontrar o Mickey e os amigos na “Wonderverse”, uma sala infinita e interativa.

“Esta experiência vai deixar-vos maravilhados com fotografias únicas, memórias incríveis e uma lembrança personalizada da Disney que celebra as amizades”, lê-se no site. É um “evento multissensorial” destinado a adultos, que poderão usar a realidade aumentada da aplicação Snapchat para dar vida a personagens do universo Disney. Ainda assim, os miúdos dos oito aos 17 anos podem entrar —, mas apenas acompanhados por um adulto.

“Ao longo dos nossos 100 anos, as histórias Disney demonstraram a importância da amizade e da apreciação das diferenças nos outros, pelo que não podíamos pensar num tema melhor para celebrar este aniversário marcante”, disse Sarah Fox, uma das representantes da Disney, ao jornal “The Sun”.

A primeira paragem desta nova atração será Londres, onde chegará no dia 12 de maio, e ficará por lá até dia 21. Depois segue viagem para Berlim (de 9 a 18 de junho) e, finalmente, Paris (30 de junho a 9 de julho). Os bilhetes custam 19,90€ por pessoa e podem ser comprados no site a partir de dia 9 de fevereiro.

 

22
Jan23

Peru manda encerrar Machu Picchu indefinidamente

Niel Tomodachi

As centenas de turistas no local ficaram surpreendidos com a decisão e acabaram evacuados pelas autoridades.

É um dos locais mais belos do mundo, mas será impossível visitá-lo nos próximos tempos. O Machu Picchu, símbolo da civilização Inca e ponto turístico mais visitado do Peru, irá ficar encerrado indefinidamente por ordens do governo.

Na base desta decisão estão os violentos protestos que têm abalado o país, dirigidos à nova presidente peruana. Os confrontos já provocaram mais de uma dúzia de mortos e levaram a que as autoridades tenham optado por se precaver.

Este sábado, 21 de janeiro, o ministério do turismo anunciou o encerramento do local histórico e do trilho inca que lhe dá acesso. Uma decisão repentina que deixou mais de 400 pessoas sem saberem o que fazer.

As autoridades terão então organizado uma operação de evacuação que retirou do local 148 estrangeiros e 270 peruanos. Uma situação semelhante à que têm vivido centenas de turistas nos últimos meses, após a detenção do presidente Pedro Castillo e subsequente substituição por Dina Boluarte — uma troca que serviu de rastilho para violentos confrontos um pouco por todo o país.

 

21
Jan23

Fãs de Super Mario, preparem-se: está quase a abrir o mega parque temático da Nintendo

Niel Tomodachi

Vai ser inaugurado no Universal Studios Hollywood, na Califórnia (Estados Unidos), já no dia 17 de fevereiro.

São pouquíssimas as pessoas que nunca tiveram uma consola da Nintendo. Alguns orgulham-se de jogado na icónica Super Nintendo ou na igualmente famosa Nintendo 64. Outros gabam-se das horas passadas aos comandos de uma Nintendo DS, Wii ou Switch. A marca é um fenómeno global e em breve irá inaugurar um parque de diversões — será um paraíso para os fanáticos da empresa japonesa de videojogos.

A Universal Studios Hollywood anunciou em 2019 que iria avançar com um empreendimento que teria canalizador mais famoso do mundo como tema central. Agora, quatro anos depois, já se sabe finalmente quando vai abrir o Super Nintendo World: 17 de fevereiro.

O parque será um verdadeiro espetáculo visual, com cores vibrantes e incontáveis atividades emocionantes projetadas para envolver os fãs de todas as idades. “Terá uma atração totalmente inovadora e várias zonas interativas que podem ser desfrutadas por toda a família. E as refeições temáticas levam a experiência mais além”, avançou a empresa em comunicado. 

Assim que os visitantes passarem pelo icónico cano verde, entram num mundo de descoberta e diversão, totalmente diferente de tudo o que já viram antes. O Super Nintendo World vai levar os visitantes ao universo a360 graus de Mario, Luigi e da Princesa Peach.

A principal atração vai-se chamar Mario Kart: Bowser ‘s Challenge. Trata-se de uma viagem que recorre a realidade aumentada enquanto navegamos pelo castelo de Bowser, um dos principais antagonistas do mundo do Super Mario. Os auscultadores elevam a intensidade sentida, fazendo-nos acreditar que estamos a conduzir um carro muito mais rápido que a realidade, ao mesmo tempo que nos desviamos dos obstáculos no caminho e atiramos carapaças de tartaruga (virtuais) aos outros corredores.

O Castelo de Bowser, adornado com uma escultura incrível do antagonista, funciona como a peça central da área temática. À medida que os visitantes andam pelos corredores estreitos e passam pelo salão de troféus, em direção à principal atração, vão aprender mais sobre os planos de Bowser para derrotar o herói.

Tal como no videojogo, existem vários desafios para vencer, tais como lutar contra Goombas, o Koopa Troopa e Thwomp. No final, o derradeiro combate é contra Bowser. Outra das atrações é a Yoshi’s Adventure, uma caça ao tesouro realizada numa espécie de comboio. 

Outra novidade é a pulseira interativa Power-Up Band. Sincronizadas com a aplicação do Universal Studios Hollywood, vão permitir que os visitantes consigam ver o seu progresso naquele mundo de fantasia, enquanto colecionam moedas digitais e completa atividades — uma delas permite-o ir de encontro a blocos espalhados pelo parque, tal como acontece nos videojogos do canalizador italiano. As pulseiras tem vários designs diferentes e só podem ser compradas dentro do parque. Custam 27,03€ cada.

A comida também terá referências bem claras ao mundo fantástico de Super Mario: haverá pratos repletos de cogumelos, saladas que se assemelham a plantas carnívoras, tiramisùs em caixas com pontos de interrogação, entre outros. Um dos destaques é o Toadstool Cafe, um restaurante exclusivo onde os convidados serão recebidos com um menu repleto de comidas e bebidas temáticas.

Os bilhetes para entrar no Universal Studios Hollywood podem ser comprados online e o passe de um dia custa 100€. Atualmente o único parque Super Nintendo World em funcionamento situa-se no Japão. 

 

Como lá chegar

Se gostava de conhecer o mega parque da Nintendo, primeiro precisa de apanhar um avião até Los Angeles. Encontra bilhetes de ida e volta, com partida de Lisboa, desde 551€.

Quando aterrar, só precisa de apanhar um shuttle que o vai levar diretamente aos Universal Studios Hollywood.

 

07
Dez22

Vai poder dormir na verdadeira aldeia fictícia de “O Senhor dos Anéis” e “Hobbit”

Niel Tomodachi

Tudo graças a uma parceria da Airbnb com o dono da propriedade em Waikato, Nova Zelândia, onde foi construído o cenário dos filmes.

Poucas histórias são tão conhecidas e acarinhadas por diferentes gerações como aquelas que nasceram da imaginação de J.R.R. Tolkien. As trilogias de “O Senhor dos Anéis” e “Hobbit” são duas delas. O universo mágico, as personagens cativantes e os cenários idílicos continuam a atrair milhões de pessoas para a Terra Média. Infelizmente, trata-se de um mundo fictício. Isso não significa, contudo, que seja impossível visitá-lo.

Todos os fãs da saga sabem que a mesma foi, em parte, gravada na Nova Zelândia. É para lá mesmo que a Airbnb quer levar vários hóspedes, que vão ter a oportunidade de conhecerem Waikato e dormirem nas pequenas casas que vemos nos filmes. Isto foi possível graças a uma colaboração com Russell Alexander, o atual dono da propriedade onde foi construído o cenário da produção.

Vai poder ficar numa quinta de 2.500 hectares com colinas verdes e onduladas, que recriam a paisagem da região fictícia do Shire (a terra-natal de Bilbo e Frodo Baggins). Terá acesso a 44 casas diferentes, ao alojamento The Green Dragon Inn — que também marca presença nos filmes — e a vários outros edifícios conhecidos do mundo criado por Tolkien.

À noite espera-o um banquete também no Dragon Inn, Será servida carne de vaca e guisado de cerveja, frango assado, pães acabados de fazer e muito álcool, bem ao estilo de um convívio hobbit. Durante  estadia também poderá embarcar num visita guiada por vários dos cenários que tornaram “O Senhor dos Anéis” num projeto de culto.

Existem, contudo, algumas regras — é verdade, até aquelas personagens as têm. “Não há festas inesperadas, por favor — a menos que com Gandalf e companhia”; “Os pés descalços são permitidos, mas limpe-os primeiro”; “anéis mágicos são permitidos, mas há que mantê-los em segredo e em segurança” e “desaconselha-se o afastamento durante a noite, graças a múltiplos avistamentos de trolls” são apenas algumas delas.

“Há mais de duas décadas que recebemos milhões de fãs apaixonados no Movie Set de Hobbiton, mas nunca ninguém teve a oportunidade de passar uma noite na Terra Média”, explica o anfitrião Russell Alexander. “Estou encantado por poder partilhar a beleza da quinta da minha família e muito satisfeito por receber fãs de todo o mundo neste local icónico, graças à Airbnb”, acrescenta.

As reservas para duas noites poderão ser feitas na plataforma a partir das 21 horas de dia 14 de dezembro. As estadias terão lugar de 2 a 4, 9 a 11 e 16 a 18 de março de 2023. Para conseguir reservar uma das casas precisa de ter um perfil verificado, um história de críticas positivas e ser maior de 18 anos. A ocupação máxima é de quatro pessoas. Dois dos quartos têm uma cama queen enquanto que os outros dois têm camas de tamanho king. Irá pagar apenas 6,06€ por noite.

 

Como lá chegar

Para chegar ao alojamento apenas precisa de se preocupar com o voo para Auckland, porque terá transporte assegurado até Waikato (ou Hobbiton). Caso parta de Lisboa, encontra, para 2 de março, viagens desde 1.498€. Se embarcar no Porto, os valores aumentam para 1.775€.

 

06
Dez22

Já abriu o parque temático do estúdio que criou o universo de “A Viagem de Chihiro”

Niel Tomodachi

O Ghibli Park é o paraíso de todos aqueles que cresceram com os filmes do Studio Ghibli. Abriu dia 1 de novembro.

Se cresceu com os filmes do Studio Ghibli, o estúdio de cinema mais famoso do Japão, temos boas notícias: já abriu o parque temático dedicado às produções da popular empresa japonesa de animação, que vai recriar as famosas cenas de filmes como “A Viagem de Chihiro” “O Meu Vizinho Totoro”. Ali, os visitantes são convidados a “dar um passeio”, “sentir o vento” e “apreciar as maravilhas” do novo parque.

Ghibli Park abriu dia 1 de novembro e, embora não tenha atrações repletas de adrenalina, como as montanhas-russas, tem tudo o que os fãs precisam para serem transportados para os mundos de fantasia dos filmes criados por Hayao Miyazaki. A enorme área de diversões nasceu dentro de uma propriedade de sete hectares, no Aichi Earth Expo Memorial Park, a menos de duas horas de comboio de Quioto, capital do Japão.

O parque temático está dividido em cinco áreas inspiradas nos filmes mais famosos do Studio Ghibli: Hill of Yout, Ghibli ‘s Grand Warehouse, Dondoko Forest, Mononoke Village e Valley of the Witches. Atualmente, apenas as três primeiras estão abertas ao público. As restantes só deverão abrir no próximo ano.

O Ghibli’s Grand Warehouse é a zona principal do recinto e conta com três salas de exposição, um pequeno cinema, uma brinquedoteca infantil com o famoso “autocarro gato” que aparece no filme “O Meu Vizinho Totoro”, uma loja de souvenirs e restaurantes. Numa das exposições interiores, os visitantes poderão ver personagens memoráveis como o soldado robô de “O Castelo no Céu” e outro artefacto ainda desconhecido de “O Mundo Secreto de Arrietty”.

É praticamente impossível entrar no espaço que gira em torno de uma grande escadaria toda colorida e não ficar hipnotizado. Se olhar para o teto, verá uma aeronave com 6 metros de comprimento, que aparece em “O Castelo no Céu”. Outro dos destaques é a fiel recriação do escritório de Yubaba, de “A Viagem de Chihiro”.

Nesta área, ainda pode caminhar por uma floresta de plantas e flores gigantes para se sentir como o pequeno protagonista do filme “Arrietty” e tirar fotografias de todas as recriações em tamanho real de algumas das cenas mais importantes dos filmes Ghibli.

A segunda área, Hill of Youth, tem como destaque uma recriação absolutamente mirabolante da loja de antiguidades de “O Sussurro do Coração”. Basta entrar na casa e somos automaticamente transportados para o filme. Outros cenários retirados da produção podem ser encontrados no exterior, como uma antiga cabine telefónica e uma paragem de autocarro.

O terceiro espaço chama-se Dondoko Forest, fica dentro de um jardim japonês e apresenta uma enorme e fiel materialização da casa de Mei e Satsuki em “Totoro”, bem como uma área de diversão inspirada neste icónico animal do universo Ghibli. É lá que fica, no topo de uma colina, uma estática de madeira com cinco metros de altura de Totoro, chamada Dondoko-do.

As duas zonas restantes, que só abrirão mais tarde, são a Mononoke Village, inspirada em “A Princesa Mononoke” e nas suas aventuras pela floresta coberta de animais enorme, e o Valley of Witches, que incluirá vários detalhes de “O Castelo Andante” e “Kiki, A Aprendiz de Feiticeira”.

Os bilhetes já podem ser reservados online, mas o único site onde os pode comprar só está disponível em japonês. Não existe nenhum bilhete para todo o parque e cada área tem um preço fixo: as entradas no Ghibli’s Grand Warehouse custam 13,95€ (dias de semana) e 17,43€ (fins de semana e feriados), o Hill of Youth fica a 20,92€ (dias de semana) e 24,41€ (fins de semana e feriados) enquanto que a Dondoko Forest custa 3,49€.

O parque temático está aberto das 10 às 17 horas nos dias de semana e das 9 às 19 horas nos fins de semana e feriados. Encerra às terças-feiras.

 

Como lá chegar

Uma viagem para o Japão não fica nada barata. No entanto, encontramos algumas opções para o mês de março desde 858€, com partida em Lisboa e chegada em Nagoya. Dali, pode apanhar um autocarro até ao Aichi Earth Expo Memorial Park, que fica a aproximadamente 1h40 de viagem. O bilhete custa cerca de 12€.

 

04
Dez22

Trip, gigante chinesa de viagens, vai operar em Portugal

Niel Tomodachi

O grupo funciona sobretudo online. Está num processo de expansão acelerada e definiu o nosso País como um dos mercados-alvo.

Agora que o mundo está a regressar à normalidade e as viagens multiplicam-se. Após dois anos de Covid-19 que levaram ao encerramento das fronteiras fechadas e a rigorosas medidas de restrição, todos querem aproveitar o tempo perdido. O turismo, que foi bastante afetado pela pandemia, é setor que tem conhecido uma recuperação mais forte — e as multinacionais à procura de novos destinos estão cada vez mais atentas ao nosso País.

A Trip.com, gigante de viagens da China, começou a trabalhar com o mercado global há cinco anos e, agora, quer expandir-se a Portugal, adiantou Edison Chen, diretor-geral do grupo, esta sexta-feira, 2 de novembro. “Estamos a beneficiar muito da recuperação no que diz respeito ao mercado estrangeiro porque, neste momento, em muitos países já se viaja livremente”, disse.

Com a retoma global do setor, o negócio de um dos maiores grupos de viagens do mundo está expandir-se rapidamente e “Portugal é, definitivamente, um dos mercados-alvo”. 

“Queremos fornecer serviços e produtos aos turistas portugueses e, claro, também queremos contactar as organizações turísticas locais para que recebam os  nossos clientes”, adiantou o diretor-geral. Além da Trip.com, o grupo é proprietário de empresas de viagens online como a Skyscanner, Qunar, Ctrip, entre outras.

 

01
Dez22

Júzcar: a aldeia azul por onde passaram os Smurfs

Niel Tomodachi

Esta pitoresca vila espanhola foi pintada de azul para a estreia do filme "Smurfs" de 2011 e até hoje manteve-se dessa cor.

Esta encosta espanhola nas montanhas da Andaluzia, a 113 quilómetros de Málaga, esconde uma pequena vila com diversas casinhas encavalitadas ao longo da sua colina. Inicialmente estavam pintadas de branco e conferiam um aspeto bastante organizado e simples ao povoado. Porém, a partir de 2011 tudo mudou.

Aquando da estreia do filme “Smurfs” de Raja Gosnell, a Sony Pictures lançou uma proposta ao governo espanhol que serviu como uma jogada perfeita de marketing para promover a produção. A ideia passou por pintar as pequenas casas de azul que, como bem sabemos, é a cor tradicional destes desenhos animados. Além disso, os produtores sugeriram também decorar as habitações com bonecos e cogumelos alusivos às personagens.

Mas, afinal porque é que a Sony escolheu esta pacata vila refundida nas colinas da Andaluzia para a estreia mundial? A resposta é simples. Júzcar tem uma longa tradição de fungos. Os Smurfs são normalmente associados a cogumelos, por terem um enorme desejo por eles. Todos os anos, no outono, a área pitoresca que rodeia a vila torna-se num paraíso para os amantes da natureza, que adoram ver pequenos cogumelos a crescer na relva.

O mais peculiar é que a ideia que parecia ser temporária manteve-se, mesmo após o lançamento e promoção dos Smurfs, pois a aldeia decidiu que queria continuar com as suas casas pintadas daquele azul característico como forma de homenagem e de preservação da sua originalidade.

A pequena vila de Júzcar era conhecida como uma das famosas aldeias brancas “pueblo blanco” da Andaluzia na qual, por motivos históricos, todas as suas casas tinham o mesmo design, assim como a cor branca e telhados avermelhados. Estes edifícios icónicos nunca passaram despercebidos e acabaram por atrair os lobos do marketing da Sony para a povoação.

Numa fase inicial os cidadãos da aldeia não ficaram satisfeitos com a ideia de transformar os seus lares numa grande mancha azul mas quando as negociações começaram a decorrer, o Concelho da vila votou de forma unânime a favor da alteração. Além disso, a Sony acordou repintar os prédios quando a publicidade ao filme terminasse, facto que nunca aconteceu.

Assim, as paredes de cada edifício, outrora brancas, foram pintadas uniformemente de azul, assim como algumas personagens do filme que passaram a aparecer junto a locais empresariais ou nas placas de trânsito. A vila de Júzcar foi transformada numa autêntica Smurfville do mundo real.

Embora a estratégia de marketing tenha durado pouco, os representantes da Sony, ao voltarem em 2012 com o objetivo de devolver o branco aos aldeões de Júzcar, ficaram surpreendidos ao descobrir que os residentes votaram para manter as tonalidades azuis nas suas casas. A decisão foi tomada devido ao grande aumento do número de turistas que visitam a vila apenas pelas referências aos Smurfs. A verdade é que a cidade que antes recebia cerca de 300 visitantes por ano, passou a acolher mais de 80 mil em 2011, facto que evidentemente trouxe benefícios ao comércio e economia locais.

Júczar passou a ser conhecida como a aldeia dos Smurfs e a organizar eventos e feiras relacionadas com o tema. Tornou-se num excelente destino para eventos culturais, gastronomia, aventuras ao ar livre e um ótimo local para os amantes de caminhadas devido aos diversos trilhos disponíveis.

A vila tornou-se num hotspot para os turistas provenientes de todas as partes do mundo e uma das mais notáveis povoações de Espanha. No entanto, a remodelação da mesma não significa que tenha perdido o seu carisma próprio, muito pelo contrário. A vida na aldeia dos Smurfs decorre naturalmente e as suas ruas estreitas e ventosas, paredes azuis brilhantes, habitantes gentis e tradições de longa data mantêm o cunho original da Andaluzia, apenas com um toque de azul.

Contudo, em 2017, Júczar perdeu numa ação judicial o direito de promover o seu turismo local utilizando referências aos Smurfs, mas podendo continuar com as casas pintadas de azul e com as referências às personagens.

Ao chegar à povoação, que fica a 22 quilómetros de Ronda, Málaga, poderá observar uma incrível paisagem verdejante que rodeia as pequenas casas azuis. Poderá alugar um carro através da Discover Cars e estacioná-lo nos arredores da aldeia, pois o caminho até lá é bastante simples. Percorrer as ruas estreitas de uma ponta à outra, também não é uma atividade que vá demorar muito tempo, bastará uma tarde.

Como é habitual nas aldeias de Andaluzia, existem bastantes miradouros nas colinas montanhosas, os quais poderá aceder através de um elevador para ter uma vista panorâmica. Assim que lá chegar poderá apreciar os murais dedicados aos smurfs, as grandes estátuas e as pinturas nas paredes das casas. É o local perfeito para tirar fotografias que ficarão bem na sua página de Instagram. Para que não lhe falte nada, Júzcar possui diversos restaurantes onde poderá apreciar as maravilhas da gastronomia andaluz.

 

14
Nov22

O instagramável comboio Vintage do Tejo volta a circular em novembro

Niel Tomodachi

O percurso até à linha da Beira Baixa passa pelo Castelo de Almourol e pelo Monumento Natural de Portas de Ródão.

Existem viagens de comboio que são simplesmente apaixonantes. Umas porque as rotas são fascinantes, outras porque as carruagens são inesquecíveis. Em novembro, vai poder voltar a viajar no colorido e instagramável comboio Vintage do Tejo, com as suas carruagens Schindler e janelas panorâmicas, resultando numa deslocação única.

Se quiser fazer o percurso até à linha da Beira Baixa, o percurso vai acontecer nos dias 19 e 26 e novembro, até Castelo Branco. O ponto de partida é a estação de Santa Apolónia em Lisboa, a partir do qual pode apreciar paisagens ribatejanas, áreas ribeirinhas e monumentos como o Castelo de Almourol e o Monumento Natural de Portas de Ródão.

O Museu Cargaleiro, o Centro de Interpretação do Bordado, o Centro de Cultura Contemporânea, o Museu dos Têxteis e a Casa da Memória Judaica são algumas das atrações que merecem uma visita. Mas existem outras, como o Centro de interpretação do Jardim do Paço, o Museu Francisco Tavares Proença Júnior, o Museu da Seda e o Museu do Canteiro.

O comboio parte da estação às 9 horas e chega ao destino por volta das 12h12. Após uma pausa para almoço e para que os interessados visitem vários pontos da cidade, aponta-se o regresso à capital para as 16h45. Está prevista a chegada para as 19h50.

Os bilhetes custam 40€ por adulto. No caso dos miúdos, entre os 4 e os 12 anos de idade, o bilhete tem um custo de 20€. Podem ser comprados nas bilheteiras da CP ou online.

 

14
Nov22

Esta praia no Irão tem ondas vermelhas e areia comestível

Niel Tomodachi

A zona balnear no Golfo Pérsico tem um solo rubi com minerais de qualidade elevada que até são usados em cosméticos.

Existem lugares no mundo que parecem ter sido retirados de outro planeta e a Ilha de Hormuz no Golfo Pérsico é um deles. Esta porção de terra em forma de lágrima e feita de sal-gema tem uma praia que foge às nossas conceções. A sua estética exótica atrai visitantes de todo o mundo que se intrigam com as ondas vermelhas da praia de Hormuz.

A ilha de Hormuz, no Golfo Pérsico, encontra-se a oito quilómetros da costa iraniana e tem apenas 3000 moradores. A água potável é recebida através de um aqueduto que vem do Continente e, apesar de ser desprovida de vegetação autóctone, continua a ser uma das ilhas mais espetaculares do Médio Oriente.

Hormuz é cercada por uma bela linha costeira que se estende pelo horizonte, conferindo aos espectadores uma paisagem extraordinária composta por rochas sedimentares e materiais vulcânicos de várias cores. Há até quem a chame de “ilha arco-íris”. Felizmente, devido ao seu valor visual e também monetário, encontra-se intocada e muito bem preservada. As suas temperaturas podem chegar aos 45 graus enquanto no outono e inverno mantém uma temperatura agradavelmente amena.

Em contrapartida tem uma das praias mais caricatas do mundo. Algumas pessoas chamam-na de “praia arco-íris”, porque a combinação de várias camadas arenosas cria tons inacreditáveis de amarelo, laranja e vermelho. A paleta de cores peculiar resulta da interação da água com os minerais de outras qualidades, que se encontram enterrados e à medida que se movem para cima criam diferentes tons. Outros visitantes limitam-se apenas a chamá-la de “praia rubi”.

Tal fenómeno tem um significado intrigante. A pequena ilha possui uma montanha rica em solo de óxido vermelho, chamado gelack. Este não só é um mineral valioso para fins industriais, como também um tempero para os moradores que o utilizam na sua culinária em molhos, geleias, entre outros.

A montanha, estando na costa, torna o litoral da ilha peculiarmente vermelho, fator que atrai muitos turistas. Além disso, ao caminhar ao longo da praia, poderá encontrar partes onde a areia brilha devido aos compostos metálicos causados pelo gelack, que ao nascer e pôr do sol produzem um efeito fascinante.

A praia vermelha é uma das várias zonas balneares de areia rochosa da ilha de Hormuz e tem também várias cavernas misteriosas, criadas pela erosão do mar. O solo vermelho tem um elevado valor económico e, por isso, os seus valiosos minerais foram exportados durante vários anos para as indústrias de tinturaria, cosméticos, vidro e cerâmica. Contudo, mais recentemente, as exportações tornaram-se mais limitadas por causa da necessidade de preservação deste tipo de solo.

Uma das características peculiares do solo é que é comestível, portanto poderá não só apreciar a sua beleza como provar um grão ou dois. A ilha de Hormuz é especial por si mesma pois é dotada de paisagens verdejantes, uma natureza quase intocável pelo ser humano e outras atrações que a tornam num destino famoso.

Nesta bela porção de terra é possível aproveitar várias formas de entretenimento, observar outros estilos de vida, envolver-se na tradição do Irão, comprar roupas feitas com tecidos locais ou deliciar-se com a gastronomia regional. O solo desta praia é tão versátil que até serve de ingrediente para fazer um pão local chamado “tomshi”, que poderá provar junto à povoação.

A ilha de Hormuz é facilmente acedida de ferry através da cidade iraniana de Bandar Abbas ou da ilha de Qeshm. A maioria dos visitantes vêm do Irão para passar apenas um dia na praia vermelha e, mesmo que seja pouco tempo, vale totalmente a pena. O ferry parte de Bandar Abbas às 7 horas, 9 horas, meio-dia, 14 horas, 17 horas ou 20h30. Demora 40 minutos a chegar a Hormuz e o bilhete custa 1,60€.

Caso deseje ficar mais noites, não se irá arrepender porque Hormuz tem um ambiente muito calmo e relaxante. Pode acampar, ficar num hostel ou num hotel ou até arrendar uma casa de um dos moradores locais. Existe um hotel de três estrelas na ilha e dois hostels.

 

13
Nov22

Parecem lágrimas na floresta, mas são tendas transparentes — e a estadia é gratuita

Niel Tomodachi
Pode adormecer a ver as estrelas e acordar com os raios de sol que passam pelas árvores. Saiba como lá chegar.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Quotes:

“How wonderful it is that nobody need wait a single moment before starting to improve the world.” ― Anne Frank

Pesquisar

Nelson's bookshelf: currently-reading

Alfie - O Gato do Bairro
tagged: currently-reading

goodreads.com

2023 Reading Challenge

2023 Reading Challenge
Nelson has read 11 books toward his goal of 55 books.
hide

Arquivo

    1. 2023
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Afiliado Wook

WOOK - www.wook.pt

Comunidade Bertand

Afiliado Miniso

Read the Printed Word!

Em destaque no SAPO Blogs
pub