Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Little Tomodachi (ともだち)

Little Tomodachi (ともだち)

19
Jan22

O seu emprego de sonho: receba 75 mil euros para dar a volta ao mundo

Niel Tomodachi

O candidato tem de ser aventureiro, uma vez que algumas das atividades incluem mergulhar com tubarões e fazer bungee jumping.

Conhecer todos os recantos do mundo enquanto recebemos um salário bastante confortável é, para muitos, um sonho. Pois bem, este novo emprego é a prova de que a vida também pode ter alegrias inesperadas.

“Um de vocês pode-se tornar no próximo empregado da empresa durante 12 meses, viajar pelo mundo, desfrutar das vistas e mergulhar nas mais diversas culturas sem qualquer custo”, garantem os responsáveis pela seguradora Insuranks na página online da candidatura a este posto de trabalho.

O objetivo é que o viajante teste vários pacotes de seguros comerciais, de automóveis e de viagens, verificando se os serviços oferecem condições suficientes para os clientes.

Por este motivo, é fundamental que o trabalhador parta para destinos exóticos e originais, desde a Grande Barreira de Corais, na Austrália, até às cidades mais diversas de África e as ruas de Paris. Além disso, tem de ter um espírito aventureiro, visto que terá de fazer bastantes atividades radicais — como mergulhar ao lado de uma jaula de tubarões, bungee jumping e desafiar o medo das alturas, subindo às montanhas mais altas.

Para que tal seja possível, a Insuranks pede que os concorrentes ao trabalho correspondam a alguns requisitos. Têm de ser maiores de 18 anos, ter um passaporte válido e uma conta de Instagram ativa e ser bons comunicadores, carismáticos e atletas . O seu principal trabalho vai ser aproveitar todas as experiências ao máximo enquanto faz vários vlogs onde conta tudo aquilo por que passou, ao mesmo tempo que capta a atenção dos seguidores.

O salário total é de 75 mil euros, o que dá aproximadamente 6,250€ por mês. Todos os custos, como os voos, as atividades, automóveis que necessite e os respetivos seguros, são pagos à parte pela empresa responsável.

Para se candidatar a este emprego de sonho terá de preencher a candidatura no site da seguradora e publicar um vídeo no Instagram onde explica porque é que é a pessoa indicada para o cargo. O prazo termina a 31 de janeiro pelas 23h59.

 

18
Jan22

A viagem certa para realizar aquele desejo antigo de ver as auroras boreais

Niel Tomodachi

A incrível experiência também contará com uma viagem em trenós puxados por huskies enquanto as luzes do norte brilham no céu.

As auroras boreais são um dos fenómenos naturais mais espetaculares do mundo. Muitos de nós já viram centenas de fotografias e vídeos daquelas luzes deslumbrantes. Porém, poucos foram aqueles que tiveram a oportunidade de presenciar o momento ao vivo e a cores. Caso sempre tenha desejado visitar a Noruega e para admirar este fenómeno, a altura ideal para tal é agora (ou até 28 de março), graças ao novo pacote da Nordictur.

A campanha inclui um percurso de sete dias pela Noruega, passando por várias regiões emblemáticas. E, claro, em três delas terá a oportunidade de assistir ao espetáculo que são as luzes do Norte. A partida para o país nórdico é feita de Lisboa rumo a Oslo. Assim que chegar ao destino seguirá para o alojamento, no Hotel Thon Opera (ou similar).

No segundo dia, será o seu próprio guia, tendo assim a oportunidade de explorar todos os recantos da capital deste país nórdico. O que não falta são coisas para fazer. Caso seja fã de opções outdoor, pode passear pelo parque Vigeland, o palco perfeito para piqueniques e serões de leitura ao sol — se o tempo o permitir. Os apreciadores de museus e planos mais calmos não carecem de entretenimento, graças aos museus Viking e Munch.

No dia seguinte vai-se deslocar para o aeroporto e embarcar em direção a Tromso, onde será recebido por um flybus para o centro. É ali que encontrará o segundo hotel da viagem: o Clarion Aurora (ou similar). Por volta das 19h15 terá uma pickup à sua espera à frente de uma outra unidade hoteleira, o Scandic Ishavshotel. Dali partirá numa tentativa de observação das auroras boreais, que pelo meio contará com uma paragem para conhecer melhor as histórias daquele fenómeno e para se aquecer junto a uma lareira enquanto observa os céus da Lapónia.

O próximo dia será marcado, novamente, pela exploração livre, desta vez da cidade de Tromso. No final da tarde espera-lhe uma grande aventura: a oportunidade de viajar pela natureza selvagem em cima de trenós puxados por huskies. Se tiver sorte, poderá ver as luzes do Norte durante o passeio — uma experiência incrível.

O que ficou por conhecer de Tromso poderá ser descoberto no dia seguinte, até às 17 horas. Depois, rumará em direção a um outro safari, em Oteren, para tentar avistar as auroras novamente. Durante a noite fará uma pausa para a refeição rodeada pela natureza ártica. Por volta da meia-noite estará de volta ao hotel, onde deverá recuperar as energias. No dia seguinte poderá mergulhar ainda mais na beleza e cultura de Tromso, com visitas ao Museu Polaria, à Catedral do Árctico e a Fjelleisen, onde poderá observar os majestosos fiordes. No entanto, isto são apenas recomendações, estando o roteiro inteiramente por sua conta.

O último dia apenas é marcado por uma rápida viagem no flybus até ao aeroporto, para o regresso a Lisboa. Todas as estadias incluem pequeno-almoço no hotel, e a campanha da Nordictur inclui várias opções de preços. Um pacote sem voos e em quarto duplo custa 1.675€, enquanto que a estadia num single vê o preço aumentar para 2.235€. 

Caso não se queira preocupar com toda a logística de marcar uma viagem de avião, o custo de um quarto single passa a custar 2.160€, enquanto que na outra tipologia o mesmo fixa-se nos 2.720€. Pode fazer a sua reserva no site da empresa, onde encontra também várias outras viagens.

 

17
Jan22

O turismo rural inspirado nas histórias infantis está com uma campanha muito especial

Niel Tomodachi

Encontra quartos com desenhos de "Peter Pan", "Alice no País das Maravilhas", "Robin dos Bosques", entre vários outros.

Com o início do ano chega também a altura de fazermos planos para as férias e feriados de 2022. A Terra do Sempre, um alojamento rural em Grândola, tem uma campanha com várias propostas para os dias mais especiais que se avizinham. Para o Dia dos Namorados, propõem três noites pelo valor de duas e ainda um cesto surpresa no quarto para os apaixonados.

Para o carnaval, o turismo rural no Alentejo sugere quatro noites pelo valor de três, com direito a desfile dos miúdos. A pensar na Páscoa, até ao final de janeiro, por cada reserva de quatro ou cinco noites para essa altura, o turismo oferece uma delas. Os planos incluem caças aos ovos com vários prémios incluídos.

Qualquer uma das opções inclui o almoço buffet à moda alentejana, em épocas especiais ou ao sábado, a noite de cinema para os miúdos e a visita à quinta da Gertrudes. Situada a dez minutos a pé do alojamento, permite usufruir de uma verdadeira experiência de vida na quinta: entrar nos cercados, alimentar os patos, dar biberões às ovelhas bebés, ver as galinhas, gansos, porcos vietnamitas, entre outros.

O espaço também tem uma casinha de madeira no jardim para os mais novos, com jogos, máscaras, bonecas, carros e materiais para desenhar, bem como o ping pong e a piscina.

Os sete quartos do hotel são inspirados em várias histórias famosas: “Alice no País das Maravilhas”; “Peter Pan”; “Romeu e Julieta”; “E Foram Felizes Para Sempre”; “Mil e Uma Noites”; “Tom Sawyer” e “Robin dos Bosques. Todos têm uma frente em vidro, e um enorme campo à volta. Tudo isto a uma hora de Lisboa, 25 minutos das praias do Carvalhal ou Melides e a 5 minutos da Vila de Grândola.

As reservas podem ser feitas no site da Terra do Sempre. Os preços começam nos 110€, mas variam consoante o tipo de quarto escolhido, podendo ser familiar ou não. Também tem a opção de pernoitar em bungalows e nos alojamentos de glamping.

 

17
Jan22

Hard Rock abre um hotel dentro deste bunker da II Guerra Mundial

Niel Tomodachi

O Reverb Hotel em Hamburgo fica num bunker construído em 1942, no qual milhares de cidadãos se protegeram contra ataques aéreos.

O primeiro estabelecimento europeu da marca Reverb by Hard Rock Hotel promete tornar-se num hotel de referência em todo o mundo, mais não seja pela insólita localização. A RIMC Hotels & Resorts e o Hard Rock anunciaram a abertura, já neste primeiro semestre de 2022, de uma unidade hoteleira num bunker da Segunda Grande Guerra — aquele que é conhecido como o Green Bunker St. Pauli.

Segundo vários meios alemães, em setembro de 2021, o Grupo Hamburg RIMC Hotels & Resorts venceu a licitação para garantir a operação de uma área hoteleira e de restauração na extensão do Bunker de St. Pauli. Agora, na segunda semana de fevereiro, a empresa anunciou que o hotel se tornará um Reverb by Hard Rock Hotel.

Após o sucesso do primeiro Reverb em Atlanta, Geórgia (EUA),  a marca aposta num icónico espaço em Hamburgo, cuja grande peculiaridade é estar localizado nos andares superiores do bunker construído em 1942 e no qual dezenas de milhares de cidadãos se protegeram contra ataques aéreos aliados, adianta a publicação espanhola “Tourinews

O hotel vai ter 134 quartos, entre king, queen duplo e beliche roadie . O Roadie Bunk Room, um quarto típico da marca Reverb, tem dois beliches queen size e uma cama queen size, duas casas de banho privativas, uma máquina de karaoke e gigantes televisões inteligentes.

Cada quarto de hotel está equipado com um assistente de linguagem inteligente que os hóspedes podem usar para aceder aos Reverb City Guides, regular a iluminação do quarto ou controlar listas de reprodução e programas de entretenimento. De acordo com a empresa, quem precisar de toalhas limpas, quiser saber mais sobre o hotel ou o que se passa na cidade encontrará o que procura com o assistente virtual. Para o check-in e check-out, o apoio também é virtual.

A inauguração do hotel está prevista para o primeiro semestre de 2022 e a abertura de reservas deverá estar para breve. Além da parte do hotel, o espaço do Bunker poderá ter outras lojas e serviços, abertos a todos os não-hóspedes e visitantes.

 

16
Jan22

Companhia low-cost PLAY multiplica voos para a Islândia

Niel Tomodachi

A PLAY, companhia aérea low-cost islandesa, realizou mais de mil voos em apenas seis meses.

Segundo os números da empresa, em atividade apenas desde junho do ano passado, desde esse período foram transportados um total de 101.053 viajantes.

“Em 2021, mais de 48% dos nossos passageiros viajavam desde a Islândia. Estamos muito satisfeitos com a receção que a PLAY recebeu na Islândia e os números mostram que houve uma necessidade significativa de uma alternativa de baixo custo no mercado”, referiu a PLAY, em comunicado.

Em 2022, a companhia nórdica servirá 24 destinos na Europa e América do Norte. Um desses destinos é Portugal.

Os números só não foram mais significativos devido “ao aumento de casos de covid-19 e aos bloqueios e restrições de viagem mais rigorosas na maioria dos destinos servidos pela PLAY.”

Esse fator “causou hesitação entre os passageiros para reservar suas viagens, especialmente viagens de Natal de última hora e viagens de compras.”

No entanto, o futuro breve é encarado com otimismo. “A confiança dos consumidores começou a regressar”, garante a PLAY.

Além do continente europeu, a PLAY vai começar a voar em abril para as cidades norte-americanas de Boston e Washington.

 

15
Jan22

A aldeia com 50 habitantes que foi considerada uma das mais bonitas de Espanha

Niel Tomodachi

Várias construções seculares ainda se mantêm de pé, em todo o seu esplendor. É pacata mas ganha uma nova vida no fim de agosto.

Mesmo aqui ao lado, em Espanha, encontramos uma pequena aldeia que, segundo os poucos mais de 50 habitantes, é uma verdadeira obra prima. A beleza que os conterrâneos viam há décadas foi finalmente valorizada pela Associação das Aldeias Mais Bonitas de Espanha, uma das listas mais importantes do turismo espanhol. Nasceu em 2011 e conta atualmente com 105 localidades.

Para poderem receber esta prestigiada honra, as localidades candidatas têm de corresponder a mais de 40 padrões, entre eles o cuidado com o património, a harmonia do município, a limpeza, a conservação dos edifícios, circulação de veículos, o cuidado para com as zonas verdes, a atividade cultural programada, a atenção dada às tradições, entre várias outras. Puentedey, em Burgos, ficou tudo menos aquém das expectativas, sendo a única entre 22 concorrentes a entrar na lista.

“O nível de exigência para poder fazer parte da associação é altíssimo, o nosso objetivo é mostrar a qualidade das nossas aldeias e não a quantidade. Queremos despertar emoções nos visitantes e isso só se consegue com uma comunidade harmoniosa, com um património material bem cuidado e um imaterial de alta qualidade”, afirma Francisco Mestre, o presidente da Associação das Aldeias Mais Bonitas de Espanha, em comunicado. “Quero dar as boas vindas a Puentedey, que nos últimos anos tem melhorado as infraestruturas para poderem fazer parte da nossa rede, e finalmente foram aceites”, acrescenta.

A pequena povoação fica situada sobre uma ponte natural de pedra esculpida pelo rio Nela durante os últimos 90 milhões de anos. Os habitantes encarregaram-se de transmitir de geração em geração a ideia de que aquela ponte é, na verdade, um desenho criado por Deus, nascendo assim o nome da Ponte de Deus.

A igreja de San Pelayo é um dos monumentos a visitar.
 

O que visitar

As ruas serão provavelmente o ponto de destaque de uma passagem por Puentedey. Quando as percorremos sentimos que estamos a voltar atrás no tempo, devido às casas seculares e bem preservadas — exemplos perfeitos da arquitetura que nasce em toda a comarca de Las Merindades, região onde a aldeia se ergue.

Seguindo os rústicos caminhos de pedra, e passando pela ponte que é o coração da localidade, chegamos à igreja de San Pelayo, situada no ponto mais alto do território e que resume a essência da evolução arquitetónica verificada à volta da Europa. Esta construção romana — mas com vários elementos góticos — conta com uma nave de calcário e capelas laterais, uma abside retangular e na base da abóboda vemos uma emposta decorada com um padrão axadrezado.

A Condé Nast espanhola destaca também o Palácio Fernández de Brizuela, construído entre os séculos XV e XVI, com um design que o assemelha às fortificações dos castelos.

Por ali, também encontrará espalhados vários elementos típicos de uma aldeia afastada das enormes cidades. Para que conseguir entrar na lista da Associação das Aldeias Mais Bonitas de Espanha, a freguesia mandou reabilitar o moinho e um enorme forno de pão, que antigamente era a estrela aos olhos da população (mas que foi caindo em desuso). Também começaram a investir mais no turismo, criando uma zona de estacionamento para caravanas nos arredores de Puentedey, bem como um miradouro que oferece uma vista panorâmica diferente sobre todo o conjunto de casas e monumentos — e do rio que ali flui.

A paz constante que lá se sente acaba por ser posta em pausa nos finais de agosto, altura em que se celebra a festa da Cucaña. Durante a mesma, os habitantes e visitantes competem para capturarem uma bandeira colocada no topo de um poste, com a intenção de serem coroados reis ou rainhas da celebração. Claro que este momento em que todos se tornam miúdos novamente é acompanhado pelo famoso pão que é feito ali, vários doces e pela morcela e queijo de Burgos.

 

Onde ficar

Para preservar a beleza história da aldeia não foram construídos quaisquer hotéis dentro dos limites de Puentedey. No entanto, a NiT encontrou um alojamento bastante perto da mesma — uma viagem de carro de apenas 20 minutos. Tal como o ambiente vivido na aldeola, também o hotel preza pelo aspeto mais rústico. Uma noite custa desde 49€.

Infelizmente não existem viagens que liguem Lisboa ao aeroporto de Burgos. Logo, a melhor decisão é apanhar um avião até Madrid, cujos preços começam nos 37€, e depois viajar de carro até Puentedey. Durante o caminho de três horas é garantido que verá Espanha com outros olhos, prestando maior atenção maior aos espaços menos povoados.

 

12
Jan22

A rota sagrada do Butão reabre em março, após 60 anos sem receber turistas

Niel Tomodachi

Este percurso estende-se por 400 quilómetros e passa por 27 vilas butanesas.

Durante milhares de anos, a rota do Butão era a única forma que os habitantes do país tinham de comunicar uns com os outros. O percurso que se prolonga por 400 quilómetros, e que passa por templos sagrados, foi encerrado em 1960. Agora, 62 anos depois, vai abrir novamente ao público, em março de 2022.

A reabertura dá-se após uma restauração do percurso organizada pela Fundação Canadá do Butão e pelo Conselho de Turismo do destino, que começou em 2018 e terminou quatro anos depois.

Finalmente concluído, o caminho renovado voltará a receber turistas para visitas parciais ou para fazerem o roteiro completo entre as cidades de Haas e Trashigang.

A origem do percurso data do século XVI, e foi de uma grande importância para o Butão, uma vez que conectava vários reinos mesmo antes da região se tornar num país.

Com o passar dos anos, a rota tornou-se num ponto de atração para turistas e peregrinos que desejavam conhecer os templos e paisagens idílicas daquela zona. Durante o percurso, é possível avistar os Himalaias, lagos e parques de belezas naturais, bem como ruínas seculares.

No entanto, quando o Butão criou uma estrada que respondia melhor às necessidades modernas, o trilho acabou por cair em desuso. Deixado ao abandono, várias partes daquela estrutura emblemática começaram a desfazer-se.

Com as reparações feitas é de novo possível fazer o percurso que permite aos visitantes conhecer 27 vilas e nove distritos butaneses.

 

04
Jan22

Há um novo comboio noturno entre Paris e Viena — só custa 49,90€

Niel Tomodachi

As viagens começaram em dezembro e os bilhetes estão à venda. É uma experiência única, que passa por cidades incríveis.

Num dos filmes mais incontestados dos anos 90, “Antes do Amanhecer“, as duas icónicas personagens, Céline e Jesse, conhecem-se num comboio na Europa, a caminho de Paris. A viagem partira de Budapeste; mas Viena, uma escala para o regresso — de Jesse a sua casa nos EUA e de Céline à sua Paris natal—, acaba por se tornar no foco de um clássico romance do cinema.

No sentido contrário, ou idêntico se preferir, ao do filme, entre Paris e Viena, há uma nova viagem de comboio que pode ser tudo o que precisa para 2022: até porque os preços são incrivelmente acessíveis.

Numa altura em que, entre pandemia e alterações climáticas, o debate sobre as viagens sustentáveis se acentuou, a aposta de muitas empresas de turismo volta a recair num clássico eficiente, amigo do ambiente e com uma mística única: os comboios.

 Apenas há quatro anos, a Deutsche Bahn, uma empresa ferroviária alemã, vendeu todas as suas carruagens noturnas, afirmando que as mesmas não eram lucrativas.

E no entanto, agora, ferroviárias de diferentes países como França, Alemanha, Áustria e Suíça fazem o oposto e começam a apostar em investimentos multimilionários (697 milhões de euros, estima-se que seja o total) para reavivar só os serviços noturnos.

Para 2022, está previsto que cheguem novos projetos que pretendem unir diferentes cidades do continente como Praga, Berlim e Amesterdão. Em 2024 uma start-up francesa planeia também unir Paris a Copenhaga, Roma e Porto.

Esta start-up em particular, a mais falada, a Midnight Trains, descreve as suas composições como um hotel sob trilhos, contando ainda com um restaurante, bar e quartos privados ao estilo dos típicos alojamentos. Com partida em Paris, espera unir 12 cidades diferentes a partir de 2024. No entanto, este é apenas um dos novos projetos que prometem trazer de volta este estilo de viagem (e estadia) mais económica e sustentável.

A companhia ferroviária francesa SNF, por exemplo, anunciou em 2017 planos que visavam renascer os comboios noturnos, tendo já uma opção que liga Paris a Côte d’Azur, com bilhetes desde 29€.

Outro dos projetos vem da República Checa, em parceria com a European Sleeper. A RegioJet vai ligar Praga a Bruxelas, e Berlim a Amesterdão já em 2022. O comboio vai ter serviços como Internet, café e pequenos-almoços gratuitos. A mesma empresa vai também lançar já este ano uma rota que liga Praga a Lviv.

Viena, Salzburgo, Paris

Destas antecipadas viagens, uma das mais anunciadas no passado ano já arrancou no dia 13 de dezembro. A Nightjet está a levar passageiros, há cerca de duas semanas, por uma aventura única, com viagens económicas e um clima romântico para que qualquer pessoa possa viajar com estilo e praticamente qualquer orçamento.

A primeira destas novas rotas noturnas de comboios que prometem revolucionar as viagens da Europa liga Paris a Viena, mas também pára em Estrasburgo, Munique, Salzburgo, Linz e St Pölten. 

Segundo o jornal britânico “Metro“, este comboio noturno funciona três vezes por semana com partida cerca das 19h40 e chegada ao destino por volta das 10 horas da manhã seguinte. A Nightjet conectará a cidade da música com a cidade do amor às segundas, quintas e sábados a partir de Viena; e terças, sextas e domingos de Paris.

Estas são as cabines privativas (imagem Patrick Leveque).
 
 

Existem três opções de bilhetes diferentes para escolher: dependendo se pretende viajar em carruagens com assentos, couchettes ou carruagens com camas partilhadas ou ainda e cabines-cama privadas.

Ainda de acordo com o jornal, os compartimentos de assentos têm espaço suficiente para seis, enquanto as couchettes acomodam quatro ou seis pessoas. O bilhete até inclui pequeno-almoço nas carruagens, para um despertar perfeito antes de chegar ao destino. Os compartimentos privados funcionam de maneira semelhante mas oferecem a garantia de que o passageiro ficará sozinho.

A viagem e a acomodação começam nos 29,90€, segundo o “Metro”. Mas atenção que isto é para um percurso mais curto, entre Viena e Munique. A viagem completa (entre Viena e Paris), de 14 horas, que a NiT encontrou mais barata começa nos 49,90€ se marcada com antecedência, como por exemplo para 5 de março, no sentido Viena-Paris.

Para uma opção de viagem económica, o resultado final é bastante sofisticado, com ar-condicionado, serviço de quarto e roupas de cama luxuosas. Algumas cabines de luxo também têm os seus próprios chuveiros com amenidades de banho.

Os Nightjets são operados pela ÖBB tanto de forma independente quanto em cooperação com parceiros ferroviários na Suíça (SBB), Itália (Trenitalia), França (SNCF) e Holanda (NS). 

Além disso, o viajante pode fazer uma viagem maior e conectar-se facilmente para ir a outros destinos usando a rede EuroNight que tem parceria com a Nightjet. Assim pode continuar a viagem para por exemplo a Hungria ou República Checa. Além de tudo isto, a Nightjet tem testes Covid a bordo.

Para conhecer melhor as carruagens, pode espreitar o vídeo partilhado pela empresa no final de 2019: na altura, a Nightjet era descrita como “as viagens do futuro”.

 

04
Jan22

Os destinos que tem mesmo de conhecer em 2022, segundo o guia turístico Lonely Planet

Niel Tomodachi

As Ilhas Cook, Westfjords e Auckland lideram as categorias países, regiões e cidades, respetivamente.

Se não gosta de perder tempo e quer começar o ano a planear as viagens para os próximos tempos — sempre que a pandemia as permitir e tendo em conta os cuidados a que obriga —, temos boas notícias. A Lonely Planet já lançou o seu tradicional livro anual de melhores destinos. Nele encontra toda a inspiração de que precisa para preparar os roteiros a percorrer em 2022.

No momento em que o coronavírus continua a “impactar o mundo”, o guia turístico diz continuar a esforçar-se para “equilibrar viagens e segurança” com “um sentido de cautela” que acompanha o “infinito desejo de viajar”. Assim, as recomendações que preparou são “tanto uma lista de desejos para o futuro quanto uma lista de lugares para visitar agora mesmo.”

Países, regiões e cidades são as categorias em que o Best in Travel 2022 se divide, oferecendo “uma amplitude de experiências de tirar o fôlego, para inspirar e empolgar.”

A primeira secção é liderada pelas Ilhas Cook, um arquipélago de 15 ilhas descritas como “gotas de terra ao longo de dois milhões de quilómetros quadrados de Pacífico azul e selvagem”. A meio caminho entre a Austrália e a costa oeste da América do Sul, têm tanto de “remotas” como de “acessíveis, modernas e tradicionais”. Seguem-se Noruega, ilha Maurícia, Belize, Eslovénia, ilha de Anguila, Omã, Nepal, Malawi e Egito.

Entre as regiões, destacam-se as paisagens islandesas de Westfjords. A região montanhosa, visitada por apenas 10 por cento dos turistas que vão ao país, de acordo com o Lonely Planet, tem praias, fiordes e cachoeiras. Os Fiordes Ocidentais são mesmo o local “onde as dramáticas paisagens islandesas alcançam o seu clímax e o turismo em massa desaparece”, descreve.

Virgínia ocidental (Estados Unidos), Xishuangbanna (China), Costa de Kent (Reino Unido), Porto Rico (Estados Unidos), Shikoku (Japão), deserto do Atacama (Chile), Scenic Rim (Austrália), ilha de Vancouver (Canadá) e Borgonha (França) encerram o top.

Na categoria de cidades, Auckland conquistou o primeiro lugar. Além de uma vida urbana animada, a cidade neozelandesa mais populosa tem também acesso fácil a praias e reservas naturais. Taipé (Taiwan), Friburgo (Alemanha), Atlanta (Estados Unidos), Lagos (Nigéria), Nicósia (Chipre), Dublin (Irlanda), Mérida (México), Florença (Itália) e Gyeongju (Coreia do Sul) completam a lista.

 

02
Jan22

Este trilho sagrado esteve fechado durante 60 anos — e reabre finalmente em março

Niel Tomodachi

O percurso atravessa o Butão, entre planícies e florestas. As rotas vão mesmo começar a receber viajantes.

São 400 duros quilómetros de um percurso sagrado que cruza o Butão de fronteira a fronteira e que agora reabre ao público. Conhecido por Trans Bhutan Trail, passa por mais de 400 locais de relevo cultural e histórico para o país asiático, ele que era também percurso de peregrinação para monges budistas.

Depois de vários anos de restauro, o trilho reabre em março de 2022 para locais e viajantes internacionais. O percurso inédito esteve vedado na sua grande maioria nos últimos 60 anos. O caminho passa por nove distritos e até um parque nacional.

Quando no mundo das viagens se fala em “trilhar os percursos menos percorridos”, é precisamente esta a definição que se pretende dar. Historicamente vital para o país, o percurso serviu não só monges, mas também mensageiros e viajantes que cruzavam o território rumo aos reinos dos Himalaias.

Ajudou ainda a fundar o próprio país em 1907, mas caiu em desuso e degradou-se, sobretudo depois da construção das principais estradas na década de 60. Os trabalhos de restauro começaram em 2018 e levou a que fossem criadas 18 pontes e mais de dez mil degraus.

Existem, claro, visitas guiadas para fazer o percurso de mais de 400 quilómetros a pé ou de bicicleta. Estima-se que o percurso possa ser feito a pé no espaço de um mês. Mas existem experiências mais curtas, como caminhadas de meio dia ou de jornada inteira, bem como formatos mais alargados de uma semana. Alguns dos pacotes custam cerca de quatro mil euros.

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Quotes:

“How wonderful it is that nobody need wait a single moment before starting to improve the world.” ― Anne Frank

Pesquisar

Nelson's bookshelf: currently-reading

Alfie - O Gato do Bairro
tagged: currently-reading

goodreads.com

2022 Reading Challenge

2022 Reading Challenge
Nelson has read 0 books toward his goal of 50 books.
hide

Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Afiliado Wook

WOOK - www.wook.pt

Comunidade Bertand

Afiliado Miniso

Read the Printed Word!

Em destaque no SAPO Blogs
pub