Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Little Tomodachi (ともだち)

Little Tomodachi (ともだち)

17
Out21

Zero lança campanha sobre reutilização de embalagens no 'take-away'

Niel Tomodachi

A associação ambientalista Zero lançou hoje um projeto para promover a reutilização de embalagens nos serviços de pronto-a-comer (take-away), que inclui uma campanha e formação gratuita para os restaurantes.

 Zero lança campanha sobre reutilização de embalagens no 'take-away'

A iniciativa, com o apoio do Fundo Ambiental e com a colaboração de outras organizações não governamentais ligadas ao ambiente, baseia-se no direito que os cidadãos têm de usarem os seus recipientes nos serviços de pronto-a-comer.

Em comunicado, a Zero lembra que esse direito existe desde 01 de julho. O decreto-lei 102D/2020 diz que os estabelecimentos que forneçam refeições prontas a consumir em regime de pronto-a-comer são obrigados a aceitar que os seus clientes utilizem os seus próprios recipientes, devendo comunicar de forma clara essa possibilidade, fornecendo a informação necessária.

O projeto da Zero, chamado "Take It", destina-se a divulgar esse direito e apoiar os restaurantes no apelo para que os clientes adiram à nova prática.

O "Take It" "pretende sensibilizar os estabelecimentos de restauração e a sociedade civil para o direito dos cidadãos e cidadãs a transportarem refeições prontas em recipientes reutilizáveis através de uma campanha de sensibilização", refere o comunicado.

Pretende-se, diz a organização, levar as empresas de restauração a promover a iniciativa, sendo que os que o fizerem terão acesso a materiais de comunicação gratuitos que poderão usar nas suas instalações, para sensibilizar os seus clientes.

Além dos materiais de comunicação e de uma campanha de sensibilização, o movimento irá também disponibilizar formação gratuita aos estabelecimentos participantes. Segundo a Zero os estabelecimentos podem a partir de hoje inscrever-se na página do projeto, em https://take-it.pt/ .

No comunicado, a organização ambientalista assinala que a produção de resíduos per capita tem vindo a aumentar, tendo sido de 511 quilos por pessoa em 2020, representando as embalagens cerca de 26% do total de resíduos urbanos produzidos anualmente, cerca de 130 quilos por pessoa.

E afiança que promover a reutilização em áreas como o pronto-a-comer/takeaway vai permitir aos estabelecimentos de restauração e similares reduzir custos.

Nas contas da Zero, se cada recipiente descartável custar 20 cêntimos e 10 clientes por dia trouxerem recipientes reutilizáveis, a poupança anual será de 720 euros.

 

01
Out21

“Tiveram 30 anos de blá, blá, blá e onde é que isso nos levou?”

Niel Tomodachi

Greta Thunberg fez mais um discurso duro, que foi mais um dedo acusador bem apontado aos governantes e adultos do mundo.

Este seu discurso aconteceu no Youth4Climate, em Milão, dia 28 de setembro de 2021, um encontro de jovens preparatório da COP26, a 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, que terá lugar em Glasgow (Escócia) em finais de outubro.  Participaram 400 jovens de quase 200 países, com idades entre os 15 e os 29 anos, para prepararem em conjunto um documento com propostas ambientais.  

Para Greta, a COP26 é só para “encher as vistas”, não vale de nada. 

“Eles convidam jovens escolhidos a dedo para reuniões como esta e afirmam ouvir-nos, mas não o fazem, não nos ouvem, nunca o fizeram” (…) Não há planeta B, não há planeta blá blá blá blá, blá blá blá blá, economia verde blá blá blá, neutralidade de carbono em 2050 blá blá blá. É tudo o que ouvimos dos nossos chamados líderes (…) palavras que soam bem mas que não levaram à ação, as nossas esperanças e sonhos afogaram-se nas suas palavras e promessas vazias (…) Claro que precisamos de um diálogo construtivo, mas tiveram 30 anos de blá blá blá blá e onde é que isso nos levou? ”, questiona a jovem ativista sueca. 

E Greta tem uma solução para este impasse: “Nós podemos mudar as coisas. Já não podemos deixar que os detentores do poder decidam o que é politicamente possível ou não, já não podemos deixar que os detentores do poder decidam o que é a esperança. A esperança não é blá, a esperança é dizer a verdade, a esperança é agir, a esperança vem sempre do povo”.

https://www.youtube.com/watch?v=Ee71cMN8iIs&feature=emb_title

Greta foi aplaudida por todos os outros jovens, o que é mais um dado importante para refletirmos. Segundo os últimos estudos da ONU publicados em setembro, o planeta está a caminhar para um aquecimento “catastrófico” de +2,7°C, aumentaram as catástrofes climáticas e de maior dimensão, o que espanta o nosso mundo civilizado que pensa que ainda há tempo. Não bastam palavras, temos mesmo de agir, agora, cada um por si no seu cantinho, mas todos a remar na mesma direção – proteger a Terra, o nosso futuro. 

Greta Thunberg, defensora feroz das causas ambientais, criou o movimento internacional “Fridays for future”, também conhecido por greve climática estudantil, em protesto contra a falta de ação que os líderes de todos os países têm manifestado para com o nosso planeta e o futuro dos jovens. Esse protesto simbólico consiste numa greve geral dos alunos às aulas de sexta-feira, participando em manifestações para mobilizar as pessoas a assumir atitudes mais responsáveis, como a preferência crescente de energias renováveis, gestos que possam travar as alterações climáticas e a degradação da Terra.

 

17
Set21

Sabia que as tote bags e T-shirts da Livraria Lello estão à venda na Zara?

Niel Tomodachi

São feitas de algodão orgânico, certificado, cumprindo as regras de sustentabilidade ambiental que a Livraria Lello defende.

741251a82e793eb9181ceedff8240bb8-754x394.jpg

A Livraria Lello assinou recentemente um acordo com a Hallotex SL, fornecedora da Inditex, o grupo que detém as conhecidas Bershka, Stradivarius e Zara. É nesta última que pode encontrar, em exclusivo, online e nas lojas físicas, tote bags e T-shirts. Um com o nome da livraria, outro com o desenho da icónica escadaria. 

Ambos os negócios envolvidos defendem regras de sustentabilidade ambiental, por isso, os produtos são feitos em algodão orgânico certificado. A T-shirt está à venda por 15,95€ na cor branca e tem, nas costas, um estampado da famosa escadaria da livraria e as tote bags são verdes com “Livraria Lello Porto” escrito a branco. 

“A norma Green to Wear 2.0 tem como objetivo minimizar o impacto ambiental da produção têxtil. Para tal, desenvolvemos o programa The List da Inditex que nos ajuda a garantir tanto a limpeza dos processos produtivos como a segurança e a saúde das nossas peças de vestuário”, lê-se no canto inferior direito das peças à venda no site da Zara.

Os lucros conseguidos a partir dos royalties que receberem pela licença de utilização da marca vão ser utilizados para recuperar património livreiro. Inserida neste projeto, terá sido feita a aquisição da histórica Coimbra Editora, que aos 100 anos viu as suas portas fecharem. Assim, a Livraria Lello dá continuação à missão de preservar e valorizar o Livro.

 

Recorde-se que a inauguração daquela que é a Livraria Mais Bonita do Mundo foi em 1906 e contou com a presença de grandes nomes como Guerra Junqueiro e Afonso Costa. Em 2015, para que fosse possível manter a conservação do edifício, foi decidido que se pagaria para entrar na Livraria Lello, valor esse que seria descontado na compra de um livro. Em consequência da aplicação desta taxa, em apenas três meses, as vendas da Lello triplicaram. 

 

21
Ago21

Startup cria sapatilhas sustentáveis inspiradas em regiões portuguesas

Niel Tomodachi

A primeira coleção da Shoevenir, uma 'startup' incubada na UPTEC -- Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, é feita com materiais reciclados e recicláveis e inspirada em cidades e regiões portuguesas.

naom_5954db9d69529.jpg

Este projeto criado por Gonçalo Marques e Miguel Lopes, dois amigos de infância, "utiliza materiais amigos do ambiente, como cortiça reciclada, pele sintética e uma sola 100% reciclável", explica o comunicado divulgado da UPTEC.

A marca quer ainda "compensar a pegada carbónica da produção" com a plantação de uma árvore por cada par vendido.

Com a sua primeira coleção, a Shoevenir quer aliar "turismo, arte e sustentabilidade", lançando os primeiros modelos inspirados nas cidades do Porto e Lisboa e nas regiões dos Açores, Algarve e Madeira, "através das suas cores e detalhes".

Há ainda um sexto modelo, o 'Cloud', que é todo branco, e foi "desenhado para todos aqueles que querem criar a sua própria memória".

Para que "as memórias de um determinado lugar fiquem imortalizadas num 'sneaker', que faça relembrar locais, pessoas e histórias", a empresa convidou "alguns dos melhores artistas nacionais no campo da 'street art', artes plásticas e design, a criarem uma ilustração para cada lugar", explica o cofundador Gonçalo Marques, citado no comunicado.

Essa ilustração será aplicada no interior das sapatilhas e nos produtos complementares.

A ideia para a Shoevenir nasceu em 2019 e materializou-se com o registo da marca em Portugal e na União Europeia e com a parceria com a fábrica JOVAN.

A empresa foi selecionada, em 2020, para o programa StartUP Voucher, para o Tourism Explorers, coorganizado pelo Turismo de Portugal e para a Escola de Startups da UPTEC.

Será lançada, a 15 de setembro, uma campanha de 'crowdfunding', mas já podem ser feitas pré-reservas do produto no 'site' da marca.

 

10
Ago21

Greta Thunberg inaugura Vogue escandinava e critica indústria da moda

Niel Tomodachi

"Não se pode produzir moda em massa ou consumir 'sustentavelmente' no mundo de hoje", alertou a ativista, que critica a indústria da moda.

original.jpg

ativista Greta Thunberg foi escolhida para a capa da primeira edição da Vogue Escandinávia, onde chamou a atenção para a indústria da moda, uma das mais poluentes do mundo.

"A indústria da moda é um dos principais causadores da emergência ecológica e climática, sem falar no seu impacto nos inúmeros trabalhadores e comunidades que são explorados em todo o mundo para que alguns possam usufruir do pronto-a-vestir que muitos tratam como descartável", indicou a jovem de 18 anos, na publicação de Instagram onde apresenta a capa.

Greta Thunberg alerta que muitas marcas começaram a mostrar preocupação com o ambiente e até "se definem como 'sustentáveis', 'éticas', 'verdes' ou 'justas'". "Mas vamos ser claros: isto é quase sempre falso. Não se pode produzir moda em massa ou consumir 'sustentavelmente' no mundo de hoje", acrescentou, apelando a uma "mudança de paradigma".

 

A editora da revista, Martina Bonnier, disse-se "orgulhosa" por poder contar com a Greta para a primeira edição. "Não só é uma figura escandinava singular e uma força de mudança, como também incorpora o amor pela natureza, a busca pela sustentabilidade e a coragem ousada que está no centro da nossa visão", afirmou, no editorial daquela edição.

Por cá, a porta-voz do Pessoas-Animais-Natureza (PAN), Inês Sousa Real, aproveitou para chamar a atenção para o tema. "A rapidez com que se descarta a roupa e a ausência de uma cadeia de tratamento deste resíduo, proposto pelo PAN em Portugal e que foi rejeitado, contribui igualmente para a degradação do meio ambiente", indicou.

20
Jun21

Estudo alerta: os oceanos estão a ser inundados com embalagens de take-away

Niel Tomodachi

A revelação foi feita pela Nature Sustainability. Além das embalagens de comida, as garrafas de plástico são outra grande ameaça.

5a34484d06ca4b39f85ebfb7b22bea2b-754x394.jpg

Já se sabia que os oceanos já têm quase tantos peixes como plástico, mas há um novo estudo que revela que, apesar de todos os esforços, a quantidade de plástico no mar não está a diminuir. Antes pelo contrário.

De acordo com a mais recente edição da “Nature Sustainability”, os sacos de utilização única, as garrafas de plástico e as embalagens e embrulhos de comida utilizados para take-away são, neste momento, os tipos de plástico que mais poluem os oceanos. Ao todo, os produtos de plástico representam cerca de 75 por cento do lixo presente nos oceanos, revela este estudo.

As tampas e redes de pesca são também um elemento de preocupação, indica a “Nature Sustainability”, devido à sua elevada disseminação e muito lenta degradação.

No entanto, a novidade está no aumento da quantidade de embalagens de take-away que têm sido identificadas e que está a surpreender os investigadores. “Não estamos surpreendidos que o plástico represente quase 80 por cento do lixo, mas a elevada proporção das embalagens de take-away surpreendeu-nos”, afirma Carmen Morales-Caselles, investigadora da Universidade de Cádis, que liderou a pesquisa. “Esta informação irá facilitar que os governos possam, realmente, travar que o lixo chegue ao oceano, em vez de apenas o limpar”.

Na mesma publicação, a “Nature Sustainability” revela que as palhinhas e a palhetas representam 2,3 por cento do lixo e os cotonetes com bastão em plástico cerca de 0,16 por cento, o que, de acordo com os especialista, revela que os esforços para acabar com o plástico nestes produtos tem produzido efeitos positivos. 

 

15
Jun21

Museu de Lamas recebe uma tonelada de lixo para reflexão ambiental

Niel Tomodachi

O Museu de Santa Maria de Lamas abre no próximo sábado o festival BasqueirArt, que dispôs uma tonelada de lixo por várias salas desse equipamento cultural do concelho de Santa Maria da Feira, para refletir sobre sustentabilidade ambiental.

naom_5d1b751f8ee67.jpg

O evento constitui uma extensão do festival de música Basqueiral, que desde 2017 se realiza anualmente nesse mesmo município do distrito de Aveiro e que este ano privilegia um formato temporalmente mais alargado, evitando concentrações de público ao propor, até final de agosto, 13 concertos, oito sessões de cinema, seis instalações artísticas, quatro residências, quatro espetáculos, uma exposição de fotografia, um mural de arte urbana e uma intervenção comunitária em mobiliário público.

A coordenação do programa BasqueirArt é partilhada entre o Museu de Lamas e a associação cultural Basqueiro, que escolheram a sustentabilidade ambiental como tema da edição de 2021 por considerarem que essa é "uma questão incontornável da atualidade" e defenderem que a abordagem artística dessa temática funciona como "um meio de consciencialização e debate de ideias".

Foi por isso que Susana Ferreira, diretora do Museu de Lamas, aceitou que "cerca de uma tonelada de lixo" fique a decorar diferentes salas desse espaço ao longo de dois meses. "Como estamos a viver uma pandemia, tínhamos que arrojar e decidimos apresentar instalações efémeras com recurso a lixo limpo, para motivar uma reflexão e discussão em torno de questões ambientais muito prementes", declarou à Lusa.

Um dos cenários das sete criações com resíduos, assinadas por diferentes autores, é a ala do museu dedicada à arte sacra, agora transformada com detritos sobretudo de plástico e cartão, mas incluindo também têxteis, brinquedos e peças informáticas. Todos esses materiais em fim de vida foram recolhidos ao longo de meses por diversos grupos da comunidade local e, entretanto, devidamente tratados para poderem partilhar o espaço ocupado pela habitual coleção do museu.

"Houve lixo que chegou a ir à máquina de lavar, para nunca se colocar em causa a conservação e a preservação do espólio integrado na nossa exposição permanente", realça Susana Ferreira.

Essas instalações definem um circuito que serve de preâmbulo à exposição do fotógrafo Mário Cruz, que já foi premiado duas vezes no âmbito do concurso mundial World Press Photo, e cuja última distinção nesse âmbito foi precisamente pela visão social e ambiental que proporcionou do rio Pasig, em Manila, nas Filipinas, onde a acumulação de lixo na água é de tal forma extrema, que se chega a poder caminhar sobre os resíduos.

São imagens da realidade em torno desse rio, declarado biologicamente morto em 1990, que o fotojornalista da agência Lusa exibirá em Lamas na mostra 'Living among what's left behind/Vivendo entre o que é deixado para trás', que já esteve patente em Roma, Bruxelas e Macau, assim como no Palácio Anjos, em Algés, junto a Lisboa, tendo sido considerada o Melhor Trabalho de Fotografia de 2020, pela Sociedade Portuguesa de Autores.

Com opções de entrada livre e outras a preços até 5 euros, a restante programação do BasqueirArt 2021 integra ainda concertos por artistas como Ana Deus e Indignu, sessões de curtas e longas-metragens da 26.ª edição do CineEco Seia - Festival Internacional de Cinema Ambiental e a criação de um mural de arte urbana por Daniel Eime, entre outras iniciativas.

13
Mai21

Portugal vive a partir de hoje em "crédito ambiental" até ao final do ano

Niel Tomodachi

Portugal começa hoje a viver a "crédito ambiental", ou seja, os cidadãos consumiram todos os recursos que permitiriam viver de forma sustentável este ano, alertou a associação ambientalista Zero, assinalando que todos os anos esta data chega mais cedo.

img_800x533$2020_06_08_07_30_08_947687.jpg

"Se todas pessoas do mundo consumissem como consumimos em Portugal, a partir do dia 13 de maio nós teríamos que acionar um cartão de crédito ambiental. Passaríamos todos a ter que usar recursos para satisfazer necessidades de mobilidade, alimentação e habitação que só devíamos usar a partir do início do próximo ano", disse à agência Lusa a ativista Susana Fonseca.

A especialista em pegada ecológica assinalou que Portugal, "não sendo obviamente o primeiro país do mundo que atinge este limite", está a fazê-lo "muito antes de meados do ano".

"A cada ano que passa temos esta tendência de ter que usar os recursos do ano seguinte cada vez mais cedo", acrescentou, uma vez que no ano passado, por exemplo, o dia da sobrecarga só chegou em 25 de maio.

Zero indica que "os cálculos têm em conta dados de vários anos, pelo que não espelham de forma clara as implicações da pandemia na pegada ecológica" portuguesa.

Susana Fonseca apontou que as áreas que têm mais peso na pegada ecológica de Portugal são alimentação, responsável por 32 por cento do consumo de recursos, e a mobilidade.

"Não obstante todos os esforços que fazemos pela eficiência energética, pela reciclagem, não estamos a conseguir reduzir a nossa pegada ecológica, estamos é a aumentá-la", lamentou.

Para a Zero, "Portugal tem uma oportunidade única de aproveitar o Programa de Recuperação e Resiliência, a par com fundos de apoio europeus" para fazer transformações nos padrões de consumo.

Susana Fonseca apontou como objetivos a redução do consumo de proteína animal e a aposta numa "alimentação típica mediterrânica, com mais vegetais, leguminosas e mais fruta".

Salientou que o consumo de proteína animal dos portugueses ultrapassa "o recomendado pela própria Direção-Geral da Saúde". De acordo com os dados para Portugal, os cidadãos consomem três vezes mais carne do que se recomenda na roda dos alimentos, metade dos vegetais, um quarto das leguminosas e dois terços da fruta.

Defendeu ainda que a mobilidade sustentável está ao alcance com mais percursos a pé, de transporte público ou de bicicleta e privilegiando os meios de reunião por videoconferência em substituição de tantas viagens de avião.

A Zero recomenda ainda uma mudança da mentalidade "usar e deitar fora" para uma assente no princípio de "ter menos, mas de melhor qualidade".

Para isso, Susana Fonseca salientou que é preciso que os consumidores tenham escolhas sustentáveis que sejam acessíveis, para que deixe de acontecer como agora, em que mais sustentável equivale a mais dispendioso.

(S)

28
Abr21

Sustentabilidade: Estudo revela quem se preocupa mais com o planeta

Niel Tomodachi

sustentavel.jpg

O mundo está a arder e nem sempre apenas num sentido figurado. Mas não são apenas os fogos a nossa única preocupação. Os oceanos vão crescer, as terras diminuir e a comida escassear. Na iminência de uma extinção, só nos resta questionar: ‘Porque é que isto está a acontecer?’.

Ora, nós sabemos bem o porquê. E a culpa é dos que continuam a não acreditar nas questões climáticas e, por isso, recusam-se a gestos tão simples e tão potentes como usar um saco de pano reutilizável sempre que vão ao supermercado. Tem dúvidas? A ciência está cá para as tirar.

Um psicólogo da Universidade Estadual da Pensilvânia (EUA) questionou 960 participantes sobre o que consideram ser ações masculinas e ações femininas. Questões básicas de cuidado ambiental como a separação de resíduos e posterior reciclagem, assim como o uso de sacos reutilizáveis, foram vistas como ações femininas. E pior: muitos homens confessaram evitar este tipo de comportamentos por temerem que a sua masculinidade ficasse em causa.

Com este estudo, publicado em 2019, não é difícil perceber porque é que a luta ambiental não tem ainda uma figura masculina – e aqui temos de excluir o Leonardo DiCaprio porque ele sozinho não faz milagres. Além disso, nenhum dos heróis com os quais crescemos se mostrou minimamente preocupado com o ambiente.

Tanto o Batman como o James Bond combatem o mal, mas, no que toca ao planeta Terra, pouco ou nada fazem. Facilmente agora percebemos o quão egoístas nós homens temos sido. Bem, os homens preocupam-se com algumas coisas e da forma mais correta, mas, por algum motivo, o interesse masculino está ainda muito longe de ter a ecologia e a sustentabilidade como centro de todas as suas atenções. E isso é triste, porque os homens perdem, as mulheres perdem, todos perdemos.

Aquilo pelo que os homens se interessam fervorosamente (como o futebol, o melhor óleo para a barba ou o suplemento que mais cuida dos músculos) pode ter os dias contados se não passarem a cuidar do ambiente.

Resta acreditar que tudo isto vai mudar para melhor e o primeiro passo passa por assistir a alguns dos discursos de Greta Thunberg. Com apenas 17 anos, esta jovem diz e faz o que todos os adultos já deviam estar a dizer e a fazer há anos. Na verdade, faz bem mais do que qualquer um de nós, não é verdade? E que tal juntar-se a ela?

(S)

10
Mar21

MAR Shopping Home Experience propõe experiências de alimentação saudável, sem desperdício, e hábitos mais sustentáveis

Niel Tomodachi

Autores de A Tripeirinha, Laranja Lima Nutrição, Cultivos da Caseiro, Anita Healthy, Nutricionista Maria Gama e A Pitada do Pai darão, entre março e maio, dicas para uma alimentação mais saudável e hábitos mais sustentáveis.

Geral.jpg

Inspirar um estilo de vida mais saudável e sustentável é o objetivo do MAR Shopping Matosinhos nestes novos conteúdos de entretenimento online.

:::::

Tantas horas, dias, semanas em casa põem à prova toda e qualquer criatividade para fazer um “stop” à rotina. Muitas vezes, é na cozinha que mais sentimos isso. Afinal, pensar em pequenos-almoços, almoços e jantares todos os dias e para toda a família é capaz de deixar qualquer “chef” sem ideias. Por outro lado, uma das mudanças positivas da pandemia é que elegemos cada vez mais hábitos de vida saudáveis e sustentáveis, o que adiciona uma pressão extra na hora de planear o menu. É a pensar na saúde das famílias e para inspirar hábitos em prol do planeta que o MAR Shopping Matosinhos lança a segunda edição do programa MAR Shopping Home Experience, onde conta com a participação dos food influencers Laranja Lima Nutrição, Anita Healthy, Nutricionista Maria Gama e A Pitada do Pai e das especialistas em plantas A Tripeirinha e Cultivos da Caseiro.

Para que todos os momentos sejam aproveitados da melhor forma, e para que a casa possa ser um lugar recheado de novas e boas ideias, o MAR Shopping Matosinhos aposta em novos conteúdos online para uma verdadeira “Home Experience”.  De março a maio, na página de Facebook do MAR Shopping Matosinhos, vão ser partilhadas receitas simples e saudáveis, que se podem preparar em família e que evitam o desperdício alimentar, bem como dicas de sustentabilidade. Além disso, e porque se pretende inspirar um estilo de vida saudável e mais sustentável, o objetivo é que os espetadores aprendam a organizar o seu menu de refeições para toda a semana. Isto, porque organização e planeamento na cozinha são essenciais para diminuir o desperdício e reduzir o stress.

A Tripeirinha.jpg

Sofia Manuel, A Tripeirinha, vai ser a primeira a entrar online na casa de todos com dicas sobre plantas. Quais as espécies ideais para começar uma selva em casa, e algumas dicas sustentáveis que podemos aplicar no seu cuidado. A influencer, com 69 mil seguidores no Instagram, falará sobre a função das plantas enquanto fontes de oxigénio e elemento decorativo para um ambiente mais leve. As #plantmanas ficarão tentadas a rodear-se de verde e até a dedicarem-se a um novo hobby com óbvios benefícios para a mente. O vídeo ficará disponível no Facebook do MAR Shopping Matosinhos no dia 13 de março. Segue-se, no dia 27, a nutricionista Ana Isabel Monteiro, responsável pela marca Laranja Lima Nutrição, que soma mais de 95,9 mil seguidores no Instagram. A food influencer apresentará receitas saudáveis e sustentáveis para a adoção de um estilo de vida mais tranquilo com foco na saúde e nos alimentos que ingerimos.

Laranja Lima Nutrição.jpg

É cada vez mais comum termos vontade de cultivar as nossas próprias ervas aromáticas ou plantas comestíveis em casa pela facilidade de as termos sempre à mão. No dia 10 de abril, Susana Caseiro, autora do livro “Jardim de ervas aromáticas” e do blog “Cultivos da Caseiro” (12,7 mil seguidores) mostrará passo a passo como cultivar ervas aromáticas, plantas comestíveis ou pequenas hortícolas em casa ou na varanda. O que precisam para nascerem com força e saudáveis e o que fazer para as mantermos por muito tempo? Rita Nunes, mais conhecida por Anita Healthy, seguida por 91,2 mil pessoas no Instagram, irá partilhar as suas receitas de aspeto e sabor divinais no dia 24 de abril.

A Nutricionista Maria Gama, responsável pelo projeto Põe-te na Linha (105 mil seguidores no Instagram), dá o mote para alimentação infantil saudável no dia 8 de maio. É verdade que maio é o mês da mãe, mas Rui Marques, autor de A Pitada do Pai, o primeiro blog de alimentação saudável de pai para filho e família, é o maestro de pratos e receitas na sua cozinha e dela fará chegar aos seguidores da página de Facebook do MAR Shopping Matosinhos dicas e uma receita a guardar para mais tarde cozinhar no dia 15 de maio.

Receitas para uma vida mais feliz e de bem com o ambiente são as sugestões do MAR Shopping Home Experience, mais uma iniciativa com que o MAR Shopping Matosinhos quer inspirar um mundo melhor.

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Quotes:

“How wonderful it is that nobody need wait a single moment before starting to improve the world.” ― Anne Frank

Pesquisar

Nelson's bookshelf: currently-reading

Alfie - O Gato do Bairro
tagged: currently-reading

goodreads.com

2021 Reading Challenge

2021 Reading Challenge
Nelson has read 1 book toward his goal of 25 books.
hide

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Afiliado Wook

WOOK - www.wook.pt

Comunidade Bertand

Afiliado Miniso

Read the Printed Word!

Em destaque no SAPO Blogs
pub