Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Little Tomodachi (ともだち)

Little Tomodachi (ともだち)

09
Nov22

Startup vai desenvolver aplicação para detetar doenças através de selfies

Niel Tomodachi

Um biocientista indiano apresentou hoje, na Startup de Santarém, uma aplicação que, com uma 'selfie', deteta potenciais doenças, a qual quer produzir e comercializar complementada por roupas inteligentes que permitem exercitar o corpo para que este se mantenha saudável.

Startup vai desenvolver aplicação para detetar doenças através de selfies

Aseem Gupta, fundador da MI.BO, apresentou hoje, na Startup Santarém as duas vertentes de um projeto que tem vindo a desenvolver nos últimos anos e que visa permitir que as pessoas vivam mais tempo de forma saudável.

"Hoje em dia a nossa vida é mais longa, mas há um hiato entre o tempo de vida e o período em que vivemos com saúde. Atualmente, este hiato é de 9,2 anos. Assim, nos últimos anos da nossa vida, apesar de vivermos mais, sofremos bastante e a maior parte deste sofrimento é completamente desnecessário", disse à Lusa.

O projeto, o primeiro ao abrigo do programa Startup Visa (programa de acolhimento de empreendedores estrangeiros que pretendam desenvolver um projeto de empreendedorismo e/ou inovação em Portugal) a instalar-se na incubadora dinamizada pela Associação Empresarial da Região de Santarém (Nersant), foi um dos "20 produtos mais interessantes" criados por 'startups' selecionados para apresentação na Web Summit, que se realizou a semana passada em Lisboa.

Em entrevista à Lusa, Aseem Gupta afirmou que, após um episódio dramático na sua vida, foi a necessidade de "habilitar as pessoas a viverem mais tempo de forma saudável" que o motivou para a criação de uma aplicação que, através de uma foto, consegue detetar se a pessoa corre o risco de vir a sofrer uma das doenças atualmente responsáveis pela morte de 21 milhões de pessoas em todo o mundo, como ataque cardíaco, acidente vascular cerebral ou diabetes.

"A primeira coisa é o diagnóstico. Hoje temos de fazer exames, ir ao hospital para o médico poder dizer se se é diabético, ou se tem a tensão alta, etc", informação que a aplicação disponibiliza em minutos, disse.

Sabendo como está a saúde da pessoa, a MI.BO (que significa mente e corpo, numa abordagem da "pessoa como um todo") propõe-se disponibilizar um programa para melhorar a condição física e o bem-estar através de um sistema de eletroestimulação incorporado na roupa do dia-a-dia, que exercita o corpo durante as atividades diárias de acordo com a informação específica de cada pessoa.

Aseem Gupta afirmou que o investimento na Startup Santarém, instalada na antiga Escola Prática de Cavalaria, vem sendo trabalhado com a Nersant desde 2019, depois de ter visitado várias cidades do país, acabando por se render à forma como foi recebido, bem como à pacatez e proximidade da cidade a Lisboa.

A MO.BI assinou, em setembro, um protocolo com o Instituto Politécnico de Santarém, com cujas escolas de Saúde, Desporto e Tecnologia e Gestão quer continuar a desenvolver uma tecnologia que, segundo afirmou, foi já testada em 35.000 pessoas.

Atualmente em fase de aprovação, o projeto vai entrar em fase "piloto", estando a decorrer contactos com empresas e instituições que se queiram constituir como parceiras para lançar os produtos no mercado em 2023, disse.

Entre potenciais parceiros, apontou a saúde pública, os municípios, as seguradoras, os empregadores, salientando que "todos têm interesse em que as pessoas tenham melhor saúde".

"Se, por exemplo, o presidente da Câmara de Santarém quiser saber o estado de saúde da sua população, podemos dizer-lho em cinco dias, podemos dizer qual a percentagem da população em risco de sofrer ataque cardíaco nos próximos cinco a 10 anos, qual a percentagem em risco de diabetes. Também a saúde pública pode ter acesso a esta informação e usá-la", afirmou.

Uma das modalidades que a empresa quer comercializar é, através da aplicação descarregada nos telemóveis, disponibilizar um 'check-up' à saúde por mês, mediante uma subscrição anual de 12 euros, que pode ser adquirida individualmente ou por empresas e entidades que as cedem gratuitamente aos trabalhadores, aos clientes ou a grupos populacionais, acrescentou.

 

21
Ago21

Startup cria sapatilhas sustentáveis inspiradas em regiões portuguesas

Niel Tomodachi

A primeira coleção da Shoevenir, uma 'startup' incubada na UPTEC -- Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, é feita com materiais reciclados e recicláveis e inspirada em cidades e regiões portuguesas.

naom_5954db9d69529.jpg

Este projeto criado por Gonçalo Marques e Miguel Lopes, dois amigos de infância, "utiliza materiais amigos do ambiente, como cortiça reciclada, pele sintética e uma sola 100% reciclável", explica o comunicado divulgado da UPTEC.

A marca quer ainda "compensar a pegada carbónica da produção" com a plantação de uma árvore por cada par vendido.

Com a sua primeira coleção, a Shoevenir quer aliar "turismo, arte e sustentabilidade", lançando os primeiros modelos inspirados nas cidades do Porto e Lisboa e nas regiões dos Açores, Algarve e Madeira, "através das suas cores e detalhes".

Há ainda um sexto modelo, o 'Cloud', que é todo branco, e foi "desenhado para todos aqueles que querem criar a sua própria memória".

Para que "as memórias de um determinado lugar fiquem imortalizadas num 'sneaker', que faça relembrar locais, pessoas e histórias", a empresa convidou "alguns dos melhores artistas nacionais no campo da 'street art', artes plásticas e design, a criarem uma ilustração para cada lugar", explica o cofundador Gonçalo Marques, citado no comunicado.

Essa ilustração será aplicada no interior das sapatilhas e nos produtos complementares.

A ideia para a Shoevenir nasceu em 2019 e materializou-se com o registo da marca em Portugal e na União Europeia e com a parceria com a fábrica JOVAN.

A empresa foi selecionada, em 2020, para o programa StartUP Voucher, para o Tourism Explorers, coorganizado pelo Turismo de Portugal e para a Escola de Startups da UPTEC.

Será lançada, a 15 de setembro, uma campanha de 'crowdfunding', mas já podem ser feitas pré-reservas do produto no 'site' da marca.

 

28
Jan21

Compras, médicos, alugueres: esta startup ajuda as famílias com miúdos em quase tudo

Niel Tomodachi

A Let's Go Baby é o primeiro serviço de concierge para famílias em Portugal, além de aluguer de material de bebé.

419e2f52687a4e30398f032efe82368c-754x394.jpeg

Estávamos em 2018 e Vera Ferreira da Cunha regressava a Lisboa depois de uma viagem ao estrangeiro: a primeira com o marido desde que o filho de ambos, Francisco, tinha nascido. 

“Em abril de 2018, viajei com o meu marido e com o meu primeiro filho, na altura com três meses, para Berlim, na Alemanha”, conta à NiT. A experiência não foi o sonho que pensava; foi quase o oposto. “Foi caótico: material estragado e perdido, o hotel não tinha produtos básicos de que precisávamos para o nosso conforto, a rent-a-car deu-nos uma cadeira auto que não era adequada para o bebé e tivemos taxas de bagagem extra na companhia aérea. Durante toda a viagem pensava: e se tivesse tido a possibilidade de alugar tudo o que precisava em Berlim?”

O bichinho nasceu e assim foi ficando. Após várias viagens, uma a Itália por exemplo, Vera e o marido perceberam que grandes cidades já tinham, afinal, este serviço e que de facto ajudava a facilitar toda a logística e complexidade de viajar com crianças. Só que em Lisboa não havia nada assim.

Cerca de 12 meses depois, em junho de 2019, Vera despediu-se do campo de Padel que geria para se dedicar a 100% ao seu projeto de sonho, que tinha entretanto lançado em modo lento em outubro de 2018. “A loja online foi lançada a 1 de outubro de 2018 com mais de 100 produtos disponíveis permitindo proporcionar uma viagem “light” e confortável às famílias que viajam para Portugal. Nesta altura já tinha um filho na época com 1 ano e meio e 10 dias depois soube que estava grávida do segundo”, adiantou.

Nascia a Let’s Go Baby: um serviço de aluguer de material de bebé às famílias estrangeiras para ajudá-las a viajar sem levar a “tralha” atrás e a terem todo o conforto que encontram nas suas próprias casas. Atualmente, Vera vive em Algés, é casada com o Pedro e tem dois filhos, o Francisco com quatro anos e o Duarte com um ano e meio. O seu negócio ia de vento em poupa, tudo corria bem. Até que veio a pandemia.

“Desde o lançamento, e até março de 2020, a startup cresceu, estabelecemos parcerias com hotéis, alojamentos locais e outros serviços de turismo para, juntos, melhorarmos a experiência das famílias estrangeiras. Garantimos entrega no distrito de Lisboa embora já tenhamos entregue no Porto e no Algarve. Os produtos são nossos, adquiridos novos diretamente às marcas. Estava tudo a correr bem”, conta-nos a fundadora. Após vários pedidos de clientes, e meses mais tarde, a Let’s go baby incluiu um novo serviço de compras de supermercado e de farmácia, desde fraldas, leites, higiene, entre outros, para facilitar toda a logística que é viajar com os mais pequenos

Cerca de 70 por cento do negócio eram turistas e 30 por cento famílias portuguesas, que recorriam à empresa quando faziam férias cá dentro e quando os filhos iam para casa dos avós. No início da pandemia, e porque ficaram sem o seu principal target — os turistas — Vera teve de repensar o modelo de negócio.

Foi assim que transformou a sua Let’s go baby no primeiro serviço de concierge em Portugal para famílias com crianças, para levar qualquer tipo de produto e serviço que a família procure ou precise.

No fundo, com a pandemia e o confinamento, a empresa disponibiliza serviços ou produtos de que a família necessite, aluguer de material incluído. “Todos os produtos são nossos (não recorremos a terceiros) e são adquiridos novos diretamente nas marcas e atendem aos mais elevados padrões de segurança e de higiene. O serviço de aluguer é cómodo, seguro e eficiente, com máxima qualidade de produto e rapidez na entrega, montagem e recolha. Entregamos onde o cliente quer, à hora que quer”, conta-nos a gestora. 

Com a entrada no novo confinamento, e à semelhança do de março e abril 2020, a marca diz que pode “ajudar e apoiar as famílias portuguesas”, sobretudo as com bebés recém-chegados. “Enquanto o comércio estiver fechado e existir recolhimento domiciliário, todos os nossos produtos continuarão disponíveis para que os próximos tempos sejam mais tranquilos, sem idas desnecessárias à rua e sem que falta nada para o
início de vida do bebé. Durante o confinamento entregamos gratuitamente no concelho de Lisboa, de Oeiras e de Cascais”, adianta ainda Vera.

O serviço de concierge continua, também 100% operacional: “entregamos refeições caseiras, fazemos compras de supermercado e parafarmácia, ligamos as famílias a médicos em casa, ou qualquer outro serviço que a família necessite, serviços sempre adaptados às famílias e ao seu perfil e necessidades. Contamos com uma rede de parceiros com quem mantemos uma relação próxima e de confiança permitindo-nos oferecer os serviços locais mais adequados”.

Vera destaca ainda que os produtos de aluguer atendem aos mais elevados padrões de segurança e de higiene: todos higienizados e desinfetados aquando da entrega que é feita com a máxima segurança e com o distanciamento mínimo recomendado. Os preços variam e podem ser consultados online.

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Quotes:

“How wonderful it is that nobody need wait a single moment before starting to improve the world.” ― Anne Frank

Pesquisar

Nelson's bookshelf: currently-reading

Alfie - O Gato do Bairro
tagged: currently-reading

goodreads.com

2023 Reading Challenge

2023 Reading Challenge
Nelson has read 11 books toward his goal of 55 books.
hide

Arquivo

    1. 2023
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Afiliado Wook

WOOK - www.wook.pt

Comunidade Bertand

Afiliado Miniso

Read the Printed Word!

Em destaque no SAPO Blogs
pub