Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Little Tomodachi (ともだち)

Little Tomodachi (ともだち)

24
Jun22

Chegaram a Portugal os chocolates vegan e sem glúten da Well&Truly

Niel Tomodachi

São cinco as variedades disponíveis.

Chegaram a Portugal os chocolates vegan e sem glúten da Well&Truly

Numa próxima ida supermercado é provável que encontre as tabletes de chocolate vegan e 'gluten free' da Well&Truly, vencedor dos Great Taste Awards durante três anos consecutivos, em 2018, 2019 e 2021. 

"Quando se trata de nosso chocolate, dizemos ao leite de vaca 'obrigada, mas não, obrigada'. Em vez disso, ordenhamos aveia, porque ordenhar qualquer outra coisa é extremamente desnecessário para um chocolate cremoso e decadente", lê-se em comunicado. Como tal, estes chocolates contêm bebida de aveia sem glúten como substituto do leite de vaca para conseguir um efeito cremoso.

Há cinco sabores disponíveis: chocolate com bebida de aveia, chocolate com bebida de aveia e com grãos de cacau cobertos com chocolate preto, chocolate com bebida de aveia e quinoa, chocolate com bebida de aveia e caramelo salgado e chocolate com avelãs caramelizadas. Pode encontrá-los nas superfícies comerciais SONAE, Auchan e Celeiro com um PVP de 3,49 euros.

 

11
Jan22

Sacana: a tarte vegan sem gúten e açúcar refinado para comer sem culpa

Niel Tomodachi

Liliana Garcia deixou o emprego na TAP para lançar um negócio com uma oferta adaptada a quem tem intolerâncias alimentares.

O adjetivo sacana representa para Liliana Garcia uma espécie de momento eureka. Quando finalmente acertou na receita da tarte que estava há vários meses a experimentar gritou: “esta sacana está mesmo boa.” A descrição ficou-lhe de tal forma no ouvido que se tornou no nome do negócio online de doces que criou ainda em 2021, a Tarte Sacana.

“É um conceito diferente: sem glúten, sem lactose, sem ovos e sem açúcares refinados. É biológica e vegan. Todas as intolerâncias são combatidas e transformadas em puro sabor”, explica Liliana, de 40 anos, à NiT. Só descobriu que era alérgica a vários alimentos quando já era adulta. Isso levou-a à adoção de novos hábitos e também a tentar criar novas formas de confecionar bolos (e outros pratos) adequadas ao novo regime que tinha de seguir.

“Tentei sempre pensar em como adaptar as receitas ditas normais às minhas necessidades, sem abdicar de terem sabor e serem verdadeiramente boas. Juntei uma boa dose de criatividade, substituí alimentos e atualmente faço tudo de acordo com as minhas restrições alimentares.”

Liliana licenciou-se em História da Arte e Museologia mas nunca chegou a exercer uma profissão na área. “Um dia, quase por brincadeira, concorri a um anúncio da TAP para assistente de bordo e quis o destino que durante 14 anos fosse feliz como tripulante de cabine.”

Nos últimos meses Liliana criou mais tartes com amêndoa, avelã e côco.
 
 

Não tinha qualquer experiência na área de pastelaria e foi através de alguns cursos que ganhou algumas noções. “Fiz um workshop “Pastelaria Fina Vegan e Sem Glúten” e o “Curso Online de Cozinha e Pastelaria Vegan” na ACPP. Desde muito nova que sempre gostei de cozinhar, sobretudo doces. Sempre me disseram: ‘a miúda tem mão para os doces’.”

A falta de propostas no mercado levaram-na a desenvolver a tarte. “Infelizmente, para pessoas com intolerâncias, o mercado ainda tem muitas falhas e isso levou-me a experimentar cada vez mais receitas, testar, alterar e sobretudo nos doces, a minha paixão.”

Depois de alguns meses de testes, e do tal “momento sacana”, começou a vender a tarte no verão de 2021. Era uma versão de amendoim em três tamanhos: grande, médio e mais pequeno, a tartelete. Custam desde 3,50€.

O portefólio da Sacana aumentou e o leque de tartes ficou mais vasto. Além da de amendoim tem a de avelã, amêndoa, de brigadeiro e côco, e a brigadeiro red velvet. Encontra-as também nos formatos grande (que chegam para 14 pessoas); médio (para um grupo de 10); ou as individuais.

As entregas são feitas na zona da Grande Lisboa e os pedidos através da página de Instagram, com um período mínimo de 72 horas de antecedência. “O projeto está a andar bem, tenho muitas ideias e produtos para lançar. Está nos planos a abertura de um espaço, para aumentar a produção e ter um ponto de recolha de encomendas, bem como o lançamento de novas variedades”, conclui.

 

09
Out21

A receita de focaccia low carb e sem glúten super simples de fazer

Niel Tomodachi

É um pão com muita história, aqui trabalhado com um toque aromatizado de paprika.

Já se sabe que os portugueses tratam o pão por tu. É presença obrigatória à mesa e temos mil e uma maneiras de o fazer, o que não nos impede de olhar para alguns exemplos de lá de fora.

A focaccia é um clássico italiano com uma longa história. Terá começado a ser feito pelos Etruscos, povo que habitou a península italiana ainda antes da ascensão do Império Romano. Já na altura a receita era popular, havendo versões na Grécia Antiga.

Quem também tem uma versão bem atual, e super saudável, é Bárbara de Almeida Araújo, nutricionista e autora do blogue “Manias de uma Dietista”. É uma receita low carb, sem glúten e simples de fazer.

Leva apenas cinco ingredientes e alguns temperos. Os ovos dão-lhe uma certa consistência e o toque final da paprika ajuda a rematar o sabor. E a melhor parte é que boa parte do trabalho até vai ficar por conta do forno.

Do que precisa

— 4 ovos
— 50g de parmesão ralado
— 100ml de leite de coco
— 200g de farinha de fruto seco
— Uma colher de sobremesa de fermento
— Paprika, alecrim e sal a gosto

Como se faz

Comece por bater os ovos com o leite de coco. Acrescentar a farinha ate ficar consistente. Adicione a paprika e fermento e misture. Depois é só deitar o preparado num pirex forrado e polvilhar com alecrim e sal. Levar ao forno a 180 graus durante 30 a 40 minutos.

 

05
Jan21

Chegou ao Porto a única francesinha que faltava — sem glúten

Niel Tomodachi

No Glutenfreak tudo é gluten free, sempre “sem sacrificar o sabor”.

94b9b1318fc8141b6ee22903c9474174-754x394.jpg

Foi preciso um cocktail de circunstâncias para que Liliana Sousa, formada em Ciências de Computadores, acabasse à frente de um balcão de francesinha sem glúten na mão. A verdade é que aos 39 anos é a orgulhosa dona do Glutenfreak, o novo espaço da cidade pensado para celíacos — e não só.

Descobriu que sofria de doença celíaca há cerca de seis anos. Não era fácil encontrar algo que pudesse comer fora de casa e a mais recente crise na restauração começou a tornar ainda mais difícil essa tarefa.

“Sempre tive esta ideia de abrir um restaurante ou um café só com produtos sem glúten. Há pouca coisa do género em Portugal e sobretudo no Porto”, explica à NiT.

A sala do Glutenfreak
 

Fartou-se de ouvir os lamentos de outros celíacos e decidiu agir. Tirou uma licença sabática e sem medo da pandemia, lançou-se à procura de um espaço que encontrou na Rua da Torrinha.

“Fiz uma pausa no emprego e decidi arriscar, apesar de estarmos numa fase atípica. Achei que tinha potencial e para já estou aqui a tempo inteiro”, conta.

A 10 de dezembro, abria finalmente as portas do Glutenfreak, , casa de refeições e de pequenos petiscos. Há um pouco de tudo para comer a qualquer hora.

O nome da estrela salta à vista na carta, qual cartaz de blockbuster: a francesinha. Para escapar ao pecado capital da francesinha, foram obrigados a não poupar no sabor. A conversão em francesinha sem glúten obrigou a uma total reestruturação, sem perder nenhum dos ingredientes. Manteve-se intocada a cerveja, o pão, a salsicha ou a linguiça, mas agora em versão adaptada a celíacos.

Ali são todos gluténofóbicos
 

Além de pratos do dia assente em receitas tradicionais, pode provar o hambúrguer de novilho, mas também saladas e baguetes — e petiscos como bifanas, moelas e rissóis. Os próximos dias vão trazer novidades: a carta vai voltar a renovar-se, alguns elementos sairão e darão lugar a outros. A francesinha, essa tem lugar cativo.

Na pequena sala com cinco mesas há ainda espaço para exibir a pastelaria sem glúten, fabricada por uma empresa especializada. Se não quiser passar por lá, pode provar tudo sem sair de casa através da Uber Eats.

::::

MORADA: Rua da Torrinha, 86A, Porto

HORÁRIO: De segunda a sábado, das 11h às 21h

REDES SOCIAIS:

Facebook

Instagram

 
17
Dez20

O delicioso (e saudável) bolo de maçã e canela para comer nos dias frios

Niel Tomodachi

Não contém glúten, nem lacticínios. Além disso, é uma receita low carb. O que é que podemos pedir mais?

21c00da41cb147d09b441f35bedf559c-754x394.jpg

Se há quem viva para bolos de chocolates, existe também quem não tenha dúvidas de que os seus favoritos são aqueles que incluem fruta. A maçã é uma das mais usadas em sobremesas e motivos não faltam para isso. Além do seu sabor doce, é uma ótima fonte de fibra.

No entanto, pelo menos na receita Ana S. Guerreiro, autora do blogue NiT “Mamã Paleo”, tem para partilhar connosco, esta fruta divide o protagonismo com uma especiaria. Falamos da canela, conhecida por ajudar a estabilizar os picos de glicémia e, portanto, funcionando como um ótimo estabilizador de apetite.

 

Bónus: este bolo é feito apenas com farinhas com baixo teor de hidratos de carbono. Além disso, é uma receita apta para intolerantes ao glúten e à lactose. Está convencido? Então, tome nota.

Do que precisa

— Cinco ovos médios;
— 130 gramas de maçã descascada e sem caroços;
— 75 gramas de farinha de amêndoa;
— 75 gramas de farinha de nozes ou de farinha de amêndoa;
— Cinco colheres de sopa de óleo de coco;
— Quatro colheres de sopa de água;
— Um pau de canela;
— Meia vagem de baunilha;
— Uma estrela de anis pequena;
— Uma colher de chá cheia de fermento sem glúten para bolos;
— Uma colher de sopa de xilitol (opcional);
— Quatro a cinco de gotas de sumo de limão;
— Uma maçã laminada para decorar;
— Uma pitada de sal (a gosto).

Como se faz

Corte a maçã em pequenos cubos e coloque-os num tacho com a água, juntamente com o óleo de coco, o pau de canela, a vagem de baunilha, a estrela de anis, o sumo de limão e o xilitol (opcional). Depois, deixe cozinhar durante 15 minutos em lume brando. Retire o pau de canela, a estrela de anis e a vagem, e deixe arrefecer um pouco.

O passo seguinte é bater os ovos, juntar os restantes ingredientes e mexer muito bem. Acrescente a maçã cozida e a calda. Envolva bem na massa. Por fim, verta o preparado numa forma de silicone e decore com a maçã laminada. Leve ao forno, pré-aquecido a 180 graus, por 40 minutos.

 

25
Out20

O delicioso bolo de canela e vinho do Porto que se prepara em 15 minutos

Niel Tomodachi

A proposta do blogue “Mamã Paleo” não contém glúten nem laticínios.

fc8c95b5449c3722ce364ee58d8f42de-754x394.jpg

Seja em pó ou em pau, a canela é uma das especiarias mais consumidas em todo o mundo. É rica em nutrientes importantes e também está associada ao processo de emagrecimento. Portanto, razões não faltam para a incluir nas suas receitas. Que tal um bolo?

A proposta é de Ana S. Guerreiro, autora do blogue NiT “Mamã Paleo”, e tem tanto de saudável como de deliciosa. Além da canela, vai precisar de farinha de aveia e até de vinho do Porto, entre outros ingredientes, para a confeção.

 

Esta receita, que é apta para intolerantes ao glúten e à lactose, prepara-se em menos de 15 minutos — do resto trata o forno. “É super simples e muito fofo. É um sucesso tanto com os miúdos como entre os adultos”, conta.

Do que precisa

— Cinco ovos;
— Seis colheres de sopa de azeite;
— Uma chávena de farinha de aveia;
— Um terço de uma chávena de polvilho doce ou araruta;
— Uma colher de sopa de canela em pó;
— Um cálice de vinho do Porto (opcional);
— Duas colheres de sopa de mel ou açúcar de coco ou de xilitol;
— Raspas de um limão;
— Oito colheres de sopa de leite de coco ou de amêndoa;
— Uma colher de chá de fermento em pó sem glúten;
— Uma pitada de sal marinho;
— Nozes e/ou amêndoas picadas para juntar à massa (opcional).

Como se faz

Comece por separar as gemas das claras. Depois, bata as claras em castelo e reserve. Em seguida, coloque as gemas com os restantes ingredientes numa taça e bata tudo até obter uma mistura homogénea.

Adicione as claras em castelo à massa, de forma lenta e delicada. Por último, coloque numa forma de silicone e leve ao forno, pré-aquecido a 180 graus, durante cerca de 20 minutos. O tempo pode variar dependendo do forno e forma utilizados.

24
Out20

"Cozinha Vegetariana - Doces e Sobremesas"

Niel Tomodachi

Mais de 100 receitas deliciosas, saudáveis e com opção sem glúten

350x.jpg

Sobre o Livro:

Sobremesas deliciosas, fáceis e rápidas de preparar, com ingredientes saudáveis, com menos gorduras, com pouco (ou nenhum) açúcar e com opção sem glúten. Quem não as deseja?!
Gabriela Oliveira, a autora de cozinha vegetariana de maior sucesso em Portugal, já mostrou aos leitores, de todas as idades, que com ingredientes de origem vegetal se faz doces e sobremesas irresistíveis. Agora, apresenta algumas das suas mais saborosas receitas de bolos, pastéis, muffins, tartes, mousses, cheesecakes, gelados, brownies e muito, muito mais! São mais de 100 receitas, sendo 40 completamente inéditas, para lhe deixar um gostinho especial no final de uma bela refeição saudável.

O que pode ser melhor do que umas pataniscas de legumes, um bom rolo de seitan, um grão com alho-francês à Brás, uma cachupa vegetariana ou uns hambúrgueres de feijão bem apuradinhos? Bom, só mesmo uma sobremesa vegan… destas deliciosas, saudáveis, 100% vegetais, de comer e chorar por mais!

 

Sobre a Autora:

Gabriela Oliveira nasceu em 1975, vive em Lisboa e tem três filhos. Tornou-se vegetariana há mais de duas décadas, seguindo um estilo de vegan desde há vários anos. É licenciada em Comunicação Social e colaborou, como jornalista freelancer, em diversas publicações, nomeadamente com os semanários Sol e Expresso, e as revistas Pais & Filhos e Notícias Magazine (do Diário de Notícias e do Jornal de Notícias).
É autora da série de livros de receitas vegan "Cozinha Vegetariana – 100% Vegetal", publicada pela Arteplural e composta pelos livros: Cozinha Vegetariana para Quem Quer Poupar (2014), Cozinha Vegetariana para Quem Quer Ser Saudável (2015), Cozinha Vegetariana para Bebés e Crianças (2016), Cozinha Vegetariana para Festejar (2017), Cozinha Vegetariana à Portuguesa (2018), Cozinha Vegetariana Rápida e Prática (2019) e Cozinha Vegetariana Doces e Sobremesas (2020). Publicou também Avós Precisam-se – A importância dos laços entre avós e netos (2012, Arteplural). Adora escrever e comunicar, bem como o desafio de criar receitas e de as fotografar. Realiza regularmente workshops em Lisboa, tendo criado a Academia Vegan – o primeiro espaço dedicado exclusivamente à culinária vegan em Portugal.

 

17
Out20

O novo livro que ensina os vegans e vegetarianos a fazerem sushi

Niel Tomodachi

Chama-se "Sushi Modoki e foi escrito pela mestre de sushi japonesa Iina. Também tem várias receitas sem glúten.

40406a15f6c55f8c76effd2851b4eb37-754x394.jpg

O sushi é provavelmente um dos melhores exemplos gastronómicos da globalização, com fãs por todo o lado. O problema é que o peixe transforma estas peças num prato proibido para muitos vegan e vegetarianos. 

Foi exatamente a pensar nestas pessoas que chegou às livrarias no dia 9 de outubro o “Sushi Modoki”, da mestre de sushi japonesa Iina. O livro está cheio de receitas com recriações vegan dos clássicos do sushi, imitando o sabor e a textura do peixe e com ingredientes totalmente naturais. 

A obra tem várias informações sobre ingredientes específicos e instruções sobre como fazer o arroz de sushi, tofu frito, molhos ou picles. Além disso, há receitas de pratos mais complexos — e não apenas os tradicionais rolos e nigiri.

As receitas são completamente vegan, e não só. Na sua maioria, não têm glúten ou são ajustáveis para serem sem glúten, utilizando tamari em vez de molho de soja, por exemplo. As instruções são claras para montar pratos cheios de cor. Existem ainda receitas para variados acompanhamentos tradicionais, como saladas, sopas, legumes em conserva ou bebidas quentes ou frios.

É editado pela Plural Editora e está à venda nas livrarias por 15,50€.

 
15
Set20

A receita de waffles de banana que vai mudar a sua vida para sempre

Niel Tomodachi

A proposta do blogue “Mamã Paleo” prepara-se em menos de cinco minutos.

89bef63dd09f4629ef88b285fc1abfb6-754x394.jpg

Juntar os ingredientes e triturá-los. A preparação da receita que temos para partilhar é tão simples quanto isto. Bónus: é saudável e deliciosa. Vai ficar rendido às waffles sugeridas por Ana S. Guerreiro, autora do blogue NiT “Mamã Paleo”.

É uma versão de banana e laranja que promete conquistar toda a gente, sejam miúdos ou adultos. Além disso, tem mais uma vantagem: a massa serve para panquecas e muffins.

 

Faz-se em cinco minutos e não contém glúten, nem lacticínios. Tome nota desta receita que serve para cinco unidades.

Do que precisa

— Dois ovos;
— Três colheres de sopa de leite de coco;
— Uma banana da madeira pequena;
— Raspa de uma laranja média;
— Cinco colheres de sopa rasas de farinha de mandioca fina;
— Uma colher de chá rasa de fermento para bolos;
— Uma pitada de sal.

Como se faz

Coloque todos os ingredientes numa taça e triture até obter uma massa com textura homogénea e mais espessa — se achar necessário, junte mais uma colher de farinha.

 
23
Jul20

A mousse de chocolate e abacate que se faz em 5 minutos

Niel Tomodachi

É saudável, sem glúten, vegan e sem açúcar refinado. Além disso, é deliciosa.

9c206703a65cf4027912c9c37e4a7818-754x394.jpg

É uma das sobremesas favoritas de todos. E se lhe disséssemos que é possível fazer uma mousse de chocolate absolutamente deliciosa, mas também saudável e para comer sem culpas?

O blogue “Made by Choices” tem exatamente essa receita que precisa para o verão. Trata-se de uma mousse de chocolate e abacate, que se faz em apenas cinco minutos.

 

É uma versão diferente da tradicional, não tem ovos, açúcar refinado ou qualquer ingrediente de origem animal. Além disso, é sem glúten. O sabor é também diferente da habitual, mas igualmente incrível.

E não se preocupe, esta sobremesa, que também funciona como snack, não sabe a abacate. O açúcar vem das tâmaras, ricas em fibra, e que permitem uma absorção gradual dos açúcares.

Do que precisa

— Um abacate maduro;
— Uma banana grande;
— Cinco tâmaras medjool ou oito tâmaras deglet noor sem caroço;
— Três colheres de sopa de cacau cru em pó;
— Um quarto de chávena de manteiga de amendoim ou amendoins;
— Um terço de chávena de leite vegetal.

Como se faz

Num processador de alimentos, junte todos os ingredientes e triture até ficar com uma massa sem grumos. Coloque em taças, tape com papel celofane para não se formar uma crosta por cima da mousse e leve ao frigorífico por duas horas antes de servir.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Quotes:

“How wonderful it is that nobody need wait a single moment before starting to improve the world.” ― Anne Frank

Pesquisar

Nelson's bookshelf: currently-reading

Alfie - O Gato do Bairro
tagged: currently-reading

goodreads.com

2023 Reading Challenge

2023 Reading Challenge
Nelson has read 11 books toward his goal of 55 books.
hide

Arquivo

    1. 2023
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Afiliado Wook

WOOK - www.wook.pt

Comunidade Bertand

Afiliado Miniso

Read the Printed Word!

Em destaque no SAPO Blogs
pub