Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Little Tomodachi (ともだち)

Little Tomodachi (ともだち)

03
Jul21

"Autoboyography" de Christina Lauren

Niel Tomodachi

28919058._SY475_.jpg

Sobre o Livro:

Three years ago, Tanner Scott’s family relocated from California to Utah, a move that nudged the bisexual teen temporarily back into the closet. Now, with one semester of high school to go, and no obstacles between him and out-of-state college freedom, Tanner plans to coast through his remaining classes and clear out of Utah.

But when his best friend Autumn dares him to take Provo High’s prestigious Seminar—where honor roll students diligently toil to draft a book in a semester—Tanner can’t resist going against his better judgment and having a go, if only to prove to Autumn how silly the whole thing is. Writing a book in four months sounds simple. Four months is an eternity.

It turns out, Tanner is only partly right: four months is a long time. After all, it takes only one second for him to notice Sebastian Brother, the Mormon prodigy who sold his own Seminar novel the year before and who now mentors the class. And it takes less than a month for Tanner to fall completely in love with him.

 

Sobre a Autora:

Christina Lauren is the combined pen name of long-time writing partners/best friends Christina Hobbs and Lauren Billings. The coauthor duo writes both Young Adult and Adult Fiction, and together has produced seventeen New York Times bestselling novels. Their books have been translated into 30+ languages. (Some of these books have kissing. Some of these books have A LOT of kissing.)

 

25
Mai21

"O Rapaz do Gueto de Varsóvia" de Eva Weaver

Niel Tomodachi

Um relato de guerra pelos olhos de uma criança e do seu carrasco. Uma história emocionante sobre coragem e o poder do perdão.

jhe.jpg

Sobre o Livro:

Baseado em factos reais

«Eu tinha 12 anos quando o casaco foi feito. Nathan, o nosso alfaiate e querido amigo, começou a costurá-lo para o meu avô na primeira semana de março de 1938. Esse foi o último ano de liberdade para Varsóvia e para todos nós.»

Quando a Polónia é ocupada pelos nazis, os judeus são escorraçados para um gueto imundo e insalubre, aguardando um destino terrível. Entre eles está o jovem Mika, que, depois da morte do avô, herda o seu casaco, descobrindo nos bolsos secretos um grande tesouro: um fantoche.

Apesar de ser apenas um simples fantoche de um príncipe, transforma-se para Mika num símbolo de esperança. Inspirado pelo projeto que o avô começara, o rapaz cria uma trupe de fantoches para animar as crianças do gueto.

Aos poucos, a sua fama espalha-se por entre todos os que procuram um pouco de cor e alegria entre a morte e a cinza. Até que, certo dia, o talento de Mika é descoberto por um oficial alemão, que leva o rapaz para entreter os mesmos soldados que perseguem e matam os seus amigos e familiares. Mas, se quer sobreviver, a única alternativa de Mika será tentar agradar ao seu inimigo.

Um relato dos dois lados de uma guerra cruel e uma viagem épica sobre sobrevivência, que atravessa continentes e gerações, desde Varsóvia até aos gulags da Sibéria.

De que forma se pode alimentar a esperança em tempos tão negros?

 

Sobre a Autora:

Eva Weaver é escritora, coach na área da criatividade e arte-terapeuta. Dedica-se também às artes performativas e é apaixonada por História.
Tal como muitos alemães, é assombrada pelo impacto da Segunda Guerra Mundial, o que a inspirou a escrever O Rapaz do Gueto de Varsóvia, publicado em mais de 13 países. Aos 16 anos, mudou-se para Inglaterra, vivendo atualmente em Brighton.

 

19
Mai21

"O Café dos Gatos" de Anna Sólyom

Niel Tomodachi

Não precisamos de sete vidas. Basta aprendermos a ser felizes na que temos. Um romance poético e inspirador.

image-1_625cf22d-27e0-4818-85ae-9ccf1c355813_1024x

Sobre o Livro:

Uma história cativante sobre a natureza humana e a infinita sabedoria felina.

Quase com 40 anos, Nagore sente que a sua vida falhou. Acabou de se separar do namorado, deixou o emprego em Londres e está de regresso a Barcelona, onde tem de começar do zero. O único trabalho que consegue encontrar é como empregada num café de gatos, o Neko Café - logo ela, que tem pânico de gatos. Parece que o destino não pára de lhe pregar partidas.

Assim que abre pela primeira vez a porta do Neko Café e vê não um, não dois, mas sete gatos, Nagore prevê um novo desastre na sua vida. No entanto, com o passar dos dias, a experiência revela-se transformadora. Cada um dos sete mestres do Neko - gato em japonês - irá revelar-lhe um segredo. Pouco a pouco, Nagore aprende a aceitar e a manter o espírito aberto: um primeiro passo para descobrir o caminho para a felicidade.

Fresco, original e bem-humorado, este é um romance sobre a arte da felicidade - que espreita, a cada dia, nas mais pequenas coisas.

 

Sobre a Autora:

Nascida em Budapeste e a viver em Barcelona, Anna Sólyom é licenciada em Filosofia e trabalha como terapeuta. É autora de Pillowsophia, Pequenas Magias para Todos os Dias e Reconecta Con Tu Cuerpo.

 

 

10
Mai21

"Cidades do Sol" de Paulo Moura

Em busca de utopias nas grandes metrópoles da Ásia

Niel Tomodachi

250x (1).jpg

Uma reflexão eloquente sobre o mundo contemporâneo.

Sobre o Livro:

A influencer que criou uma cidade imaginária em Jacarta.
O escritor de ficção científica da Silicon Valley do Oriente.
O nonagenário filipino, nomeado para o Nobel da Literatura, que está a escrever um romance sobre Inteligência Artificial.
O outro escritor, em Hong Kong, que imaginou fazer upload da consciência humana para um computador.
O casal chinês autor de um livro proibido que vendeu 7 milhões em fotocópias.
O homem que liderou a revolta da China rural.
O fotógrafo que forçou o governo vietnamita a aprovar a lei sobre o casamento gay.

Quem mais nos arriscamos a encontrar numa aventura pelos grandes espaços urbanos da Ásia contemporânea?

Não é preciso muito para entrar na alma de Bangalore, Jacarta, Saigão, Manila, Seul, Hong Kong, Macau, Shenzen, Xangai, Pequim, Linquan ou Chongqin: uma mala pequena, duas mudas de roupa, um par de sapatos, uma escova de dentes, caneta e bloco de notas, telemóvel, portátil, passaporte e um pretexto para a viagem: procurar utopias nas cidades do futuro.

 

Sobre o Autor:

Paulo Moura é escritor e repórter freelance. Tem feito reportagens em zonas de crise por todo o mundo. Fez a cobertura jornalística de conflitos no Kosovo, Afeganistão, Iraque, Chechénia, Argélia, Angola, Caxemira, Mauritânia, Israel, Haiti, Turquia, Ucrânia, China, Sudão, Egipto, Líbia, muitas outras regiões e ganhou vários prémios de jornalismo (Gazeta, AMI, ACIDI, Clube Português de Imprensa, FLAD, Comissão Europeia, UNESCO, Lettre Ulisses, Lorenzo Natali, etc.). É autor de 10 livros de não-ficção. Em 2018, vence a primeira edição do Grande Prémio de Literatura de Viagens Maria Ondina Braga, com o livro Extremo Ocidental: Uma Viagem de Moto pela Costa Portuguesa, de Caminha a Monte GordoHipnose é o seu primeiro romance.

 

 

05
Mai21

"As Crianças Invisíveis" de Patrícia Reis

Niel Tomodachi

Um romance ímpar sobre adoção, maus-tratos e abandono. Surpreendente até ao final.

500x (1).jpg

Sobre o Livro:

M. é uma criança habituada a ser usada e devolvida por famílias sucessivas como um produto que não satisfaz o cliente. Cresce numa instituição de acolhimento, onde vai descobrindo o poder da amizade e as armadilhas do desejo e da paixão. Esta é a sua história até chegar à idade adulta, atravessando um processo de invisibilidade, no qual a dor se confunde com a esperança de encontrar uma vida a que possa chamar sua. Ao seu lado existem outras crianças e ainda Conceição, a assistente social que escolhe amar M. incondicionalmente.

As Crianças Invisíveis é um romance que alia um exercício literário ímpar com um profundo trabalho de investigação sobre abandono, maus-tratos e adopção. Construindo toda a narrativa de uma maneira muito original, sem identificar o sexo das crianças, e a partir do olhar delas, a escrita límpida, poderosa e cirúrgica de Patrícia Reis conduz-nos, neste romance avassalador, através dos sonhos, do medo e da intimidade de um conjunto de personagens que percorrem a infância e a adolescência sem pai, nem mãe, nem identidade

 

Sobre a Autora:

Patrícia Reis nasceu em 1970, em Lisboa. Começou a sua carreira de jornalista n’O Independente, na revista Sábado e estagiou na revista norte-americana Time. Esteve no Expresso, fez a produção do programa de televisão Sexualidades, trabalhou na revista Marie Claire, na Elle e nos projetos especiais do diário Público. Desde 2000 que assume a edição da revista Egoísta.
Estreou-se na ficção em 2004, com a novela Cruz das Almas, a que se seguiram os romances Amor em Segunda Mão (2006), Morder-Te o Coração (2007), que integrou a lista de 50 livros finalistas do Prémio Portugal Telecom de Literatura, No Silêncio de Deus (2008), Antes de Ser Feliz (2009), Por Este Mundo Acima (2011), Contracorpo (2013), Gramática do Medo (2016), escrito a quatro mãos com Maria Manuel Viana, A Construção do Vazio (2017) e As Crianças Invisíveis (2019). É ainda autora de obras de cariz biográfico e de livros infantojuvenis, entre os quais a coleção Diário do Micas, que tem o selo do Plano Nacional de Leitura.
A novela O que nos separa dos outros por causa de um copo de whisky (2014) ganhou por unanimidade o Prémio Nacional de Literatura da Fundação Lions. Da Meia-Noite às Seis (2021) é o seu mais recente romance.

 

27
Abr21

"Uma Grande História de Amor" de Susanna Tamaro

Niel Tomodachi

Que laços se criam entre as almas?
Quanto podemos mudar, perante o destino, que une e separa?

500x (1).jpg

Sobre o Livro:

Edith e Andrea - ela, uma jovem progressista; ele, um capitão muito rigoroso - encontram-se por acaso num ferryboat entre Veneza e a Grécia. O que parece um evento insignificante muda a vida de ambos... para sempre.
Primeiro, vem a recusa: como podem eles, pessoas tão diferentes, sentir-se atraídos um pelo outro? Depois, as várias fases de um amor inicialmente clandestino, as aventuras de uma longa separação, o perigo de um segredo, uma felicidade inesperada e uma grande provação. E, por fim, a ilha cheia de vento e de luz, para onde os dois se mudam depois de recuperarem uma velha casa abandonada. A ilha onde agora Andrea se encontra sozinho. Porém, os diálogos verdadeiramente importantes nunca se esgotam: enquanto cuida do jardim e das abelhas da amada mulher, Andrea continua a falar com Edith. Conta-lhe, com ternura e paixão, a grande história de amor que os uniu. E promete-lhe que encontrará a filha, Amy, que há muito cortou relações com os pais. Será possível recomeçar, redescobrir a família, apesar da tristeza e das verdades difíceis?

Quando parece que perdemos a capacidade de nos surpreender, de procurar a luz, de cuidar, será que o nosso coração se calou ou seremos nós que não sabemos ouvi-lo? Um romance poderoso e pleno de sabedoria - capaz de apontar o caminho para o renascimento que todos procuramos.

 

Sobre o Autor:

Susanna Tamaro nasceu em Trieste, em 1957, formou-se no Centro Experimental de Cinematografia e realizou documentários para televisão. Como autora, estreou-se, em 1989, com o romance Com a Cabeça nas Nuvens. Em 1994, com Vai Aonde te Leva o Coração, tornou-se uma autora bestseller à escala mundial. Entre as suas obras, destacam-se A Alma do MundoEscuta a Minha VozPara Sempre e Sou Um Clandestino. É também autora de títulos para jovens, como O Tigre e o AcrobataO Cavaleiro Lua CheiaUm Lugar Mágico e Tobias e o Anjo. Os seus livros já venderam milhões de exemplares e estão traduzidos em todo o mundo. Em Portugal, a Editorial Presença publica a obra da autora desde 1999.

 

25
Abr21

"A Porta do Sol" de Elias Khoury

Niel Tomodachi

1613223409150705459840668840814.jpg

Sobre o Livro:

Há histórias que salvam vidas. Usando o método de Xerazade, o narrador de A Porta do Sol tece um longo e contínuo fio de histórias com que pretende resgatar a vida de um homem. Esse homem, em coma profundo na cama do hospital, é o seu pai espiritual e um herói da resistência palestiniana.

No furor de o reanimar através da memória, é todo um povo e a sua epopeia que o narrador faz reviver diante dos olhos do leitor: os acontecimentos da guerra civil no Líbano, os episódios mais marcantes da sua vida e os dolorosos itinerários de um punhado de homens e mulheres apanhados pela história, após a sua expulsão da Galileia em 1948.
Inspirado na estrutura narrativa de As Mil e Uma Noites, A Porta do Sol é um romance amplo, pungente, e considerado de forma unânime o grande relato do êxodo palestiniano.

 

Sobre o Autor:

Elias Khoury nasceu em Beirute, em 1948. É romancista, dramaturgo, crítico e um dos mais influentes intelectuais do mundo árabe. Dirige atualmente o suplemento cultural do jornal diário Na-Nahar e é professor universitário, repartindo o seu tempo entre Nova Iorque, onde dá aulas na Universidade de Columbia, e a sua cidade de origem, onde dá aulas na Universidade Americana. Os seus dez romances estão traduzidos em diversas línguas.
A Porta do Sol, estreia literária de Khoury em Portugal, recebeu a mais alta distinção literária palestiniana – e o seu autor foi galardoado com o Prémio Unesco 2012 para a Cultura Árabe.

 

21
Abr21

"De Bagdade, com amor..." de Jay Kopelman

Niel Tomodachi

image.jpg

Sobre o Livro:

Ao entrarem numa casa abandonada em Fallujah, no Iraque, alguns fuzileiros ouvem ruídos suspeitos, empunham as armas, contornam uma parede e preparam-se para abrir fogo.
O que encontram durante o ataque americano à "cidade mais perigosa do mundo," contudo, não é um rebelde apostado em vingar-se, mas um cachorrinho, abandonado durante a fuga da maior parte da população civil antes de começar o bombardeamento. Apesar da lei militar que os proíbe de ter animais de estimação, os fuzileiros tiram as pulgas ao cachorro com querosene, desparasitam-no com tabaco de mascar e empanturram-no com refeições de consumo imediato (RCI).
Inicia-se assim a dramática tentativa de resgatar um cão chamado Lava, que por sua vez irá salvar das feridas emocionais da guerra pelo menos um fuzileiro, o tenente-coronel Jay Kopelman.

 

Sobre o Autor:

Jay Kopelman

 

21
Abr21

"Foste a Maneira Mais Bonita de Errar" de Pedro Chagas Freitas

A história emocionante de uma mulher que nunca desiste de ser quem é. E de amar.

Niel Tomodachi

Novidade Maio de 2021

maxresdefault (1).jpg

Sobre o Livro:

Mais do que um romance, este livro é uma lição de vida, contada no estilo único de Pedro Chagas Freitas, que parece sussurrar-nos ao ouvido.

Uma história incrível, viciante e comovente, que nos mostra a importância do amor e de nunca deixarmos de sermos quem somos.

 

Sobre o Autor:

Pedro Chagas Freitas escreveu mais de uma centena de livros, publicou quase trinta, está traduzido em mais de dez línguas e em muitas dezenas de países. Vendeu mais de um milhão de cópias por todo o mundo. Passa os dias a amar e a arrumar a casa. Abraça desalmadamente. Ri muito. Às vezes chora. Se algum dia magoou alguém, foi sem querer. Fica aqui, já agora, o pedido de desculpas em nome dele. Hasta la vista vírus é o seu primeiro livro infantil.

 

31
Mar21

"Antes Que o Café Arrefeça" de Toshikazu Kawaguchi

Niel Tomodachi

Novidade Abril de 2021

350x (2).jpg

Sobre o Livro:

O que faria se pudesse voltar atrás no tempo?
Um romance tocante e inspirador.

Um rumor circula por Tóquio. Escondido num pequeno beco da cidade, dentro de uma cave, há um café com mais de cem anos. Com uma chávena bem quente, se nos sentarmos no lugar certo, oferecem-nos algo mais: a hipótese de voltar ao passado. Em Antes Que o Café Arrefeça, acompanhamos as viagens de quatro mulheres que procuram regressar a momentos determinantes das suas vidas para os mudar: falar com o namorado que partiu, ler a carta do marido com Alzheimer, ver a irmã pela última vez e conhecer a filha que nunca viu. Mas as viagens no tempo têm condições e riscos… e nada do que façam vai alterar o presente.

Uma mesa, um café e uma decisão.
Uma história sobre o amor, o tempo perdido e as oportunidades que o futuro nos reserva.

 

Sobre o Autor:

Toshikazu Kawaguchi

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Quotes:

"We need four hugs a day for survival. We need eight hugs for maintenance. And we need twelve hugs a day for growth." - Virginia Satir

Pesquisar

Nelson's bookshelf: currently-reading

Alfie - O Gato do Bairro
tagged: currently-reading

goodreads.com

2021 Reading Challenge

2021 Reading Challenge
Nelson has read 1 book toward his goal of 25 books.
hide

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Afiliado Wook

WOOK - www.wook.pt

Comunidade Bertand

Read the Printed Word!

Em destaque no SAPO Blogs
pub