Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Little Tomodachi (ともだち)

Little Tomodachi (ともだち)

31
Mar21

Os brinquedos também se reciclam: vê como fazer

Niel Tomodachi

brinquedos.jpg

Como já sabes, o Planeta está em apuros: excesso de poluição, de químicos e de plásticos ameaça espécies, biodiversidades e gerações futuras.

E o problema está em todos os lugares, mesmo nos mais inesperados. Por exemplo, grande parte dos brinquedos são fabricados a partir de uma mistura de diferentes materiais, o que torna difícil a sua reciclagem no sistema de gestão dos resíduos – mesmo que a maioria do plástico e dos materiais de que são feitos sejam recicláveis.

Por outro lado, tem aumentado o número de brinquedos com plástico de baixa qualidade, normalmente oferecidos como brinde e com pouca durabilidade. Assim, todos os anos, enquanto são vendidos em Portugal 270 milhões de euros em novos brinquedos, pelo menos 30 milhões de unidades acabam em aterros ou são incineradas.

Surgiu, por isso, um projeto que quer alertar a comunidade, as forças políticas e as empresas para estas situações. E, num lado mais prático, ajudar-te a reciclar, devidamente, os brinquedos que já não usas.

Chama-se Projeto Replay. As famílias portuguesas são desafiadas a realizar quatro passos em casa: selecção de brinquedos, desmontagem, contabilização e entrega. Os brinquedos desmontados e classificados por material podem ser depositados até maio de 2021 em vários pontos de entrega Replay nos cinco municípios parceiros (Figueira de Castelo Rodrigo, Porto, Cascais, Lisboa e Évora).

O plástico recolhido será encaminhado para cinco laboratórios Precious Plastic, nas cidades aderentes. Depois, estudantes de design de produto da Escola Superior de Artes e Design em Matosinhos e da Universidade de Évora serão desafiados a apresentar propostas para o desenvolvimento de um novo brinquedo – e a proposta vencedora será eleita através de um concurso. A última etapa estará nas mãos da Precious Plastic Portugal, a quem caberá a produção do novo brinquedo.

O resto do plástico vai ser enviado para a empresa Extruplás, que o irá transformar numa nova peça para parques infantis. Os componentes eletrónicos e pilhas serão enviados para o Electrão. Os restantes materiais – como metal, borracha, cartão e tecido – serão encaminhados para os diferentes fluxos de reciclagem nacionais e locais ou oportunidades de upcycling (criação de novos produtos).

Este projeto piloto, promovido pelo Zero Waste Lab e pelo Precious Plastic Portugal com o apoio do Novo Banco, veio assim desenvolver a primeira rede de recolha e triagem de brinquedos em fim de vida e a sua transformação em novos brinquedos.

Podes conhecer tudo sobre o projeto e saber onde entregar os teus brinquedos na sua nova plataforma online.

(S)

15
Mar21

Os novos brinquedos da LEGO dão para fazer videoclips

Niel Tomodachi

A parceria com a Universal traz realidade aumentada, uma app interativa e até um novo DJ.

d49b7c6eb992e9f1f20a3c8f50fdc825-754x394.jpg

A LEGO e a Universal Musica Group (UMG) juntaram-se para criar os LEGO Vidiyo, um conjunto de brinquedos que pretende estimular a criatividade das crianças. Às peças une-se ainda uma app que transformará toda a brincadeira.

Os LEGO Vidiyo juntam, como explica a marca em comunicado, “a brincadeira física e a brincadeira digital, com os efeitos especiais ‘BeatBits’ e as minifiguras inspiradas no mundo da música a serem trazidos à vida através da realidade aumentada e de uma vibrante nova app, já disponível para download”.

Esta nova coleção de brinquedos está inspirada no portfólio de artistas da UMG e permite às crianças que, além de construírem os cenários com as peças, utilizem a app para “realizar, produzir e protagonizar os seus próprios videoclips”.

A primeira coleção lançada vai ser composta por seis BeatBoxes portáteis, cada uma com uma minifigura que representa um género musical específico, um palco para fazer scan, dois BeatBits especiais e 14 BeatBits aleatórios. Estas BeatBoxes podem ter até 16 BeatBits e têm uma placa de construção que pode ser personalizada ao gosto de cada um com uma seleção de peças LEGO.

Os BeatBits são “um sistema de efeitos audiovisuais que podem ser combinados de inúmeras formas. Estão decorados como pequenas capas de álbuns, em peças 2×2 que representam efeitos musicais, movimentos de dança das personagens e adereços de cena que ganham vida quando feito o scan com a app Vidiyo. Os BeatBits, como os instrumentos musicais, são ‘tocados’ ao vivo durante a performance e com 130 BeatBits a serem lançados no primeiro ano, há sempre uma nova superprodução à espera de ser criada”, explica a marca.

Além das BeatBoxes haverá ainda 12 BandMates, onde cada um traz um BeatBit especial e dois aleatórios. As músicas disponíveis para estas brincadeiras fazem parte do portfólio da UMG e há 30 opções entre clássicos e tops mais atuais.

Esta nova coleção foi lançada a 1 de março e o preço recomendado de venda é de 19,99€ para as BeatBoxes e de 4,99€ para os Bandmates colecionáveis.

Da parceria entre a LEGO e a UMG surge ainda o DJ L.L.A.M.A., a versão humana da minifigura DJ Llama, da Tropicon BeatBox. Todas as informações sobre estes novos jogos e a forma como funcionam estão disponíveis no site da marca.

 

12
Mar21

Este projeto piloto recolhe brinquedos para reciclagem

Niel Tomodachi

O objetivo é que se discuta a vida útil dos brinquedos e promover a economia circular.

5c9600e3fae4760b936bc26f00f0676d-754x394.jpg

Está a ser criado o Replay, a primeira rede de recolha e triagem de brinquedos em fim de vida, cujo objetivo é a sua transformação em novos brinquedos. Este é um projeto promovido pelo Zero Waste Lab e pelo Precious Plastic Portugal e pretende alertar para a quantidade de brinquedos que todos os anos são deitados fora.

A ideia inicial partiu da perceção de que hoje em dia há cada vez mais brinquedos que combinam na sua composição vários materiais. Isso “torna difícil a sua reciclagem no sistema de gestão dos resíduos – mesmo que a maioria do plástico e dos materiais de que são feitos sejam recicláveis”, explica a Zero Waste Lab em comunicado.

A juntar a este problema, surge ainda outro: o aumento do número de brinquedos com plástico de baixa qualidade. Estes brinquedos são normalmente oferecidos como brindes e o interesse das crianças neles acaba por perder-se rapidamente.

De acordo com o mesmo comunicado, todos os anos “são vendidos em Portugal 270 milhões de euros em novos brinquedos, pelo menos 30 milhões de unidades acabam em aterros ou são incineradas”. É por isso que o projeto Replay tem também como objetivo “incentivar a discussão pública e política em Portugal sobre a falta de solução de reciclagem para tantos objetos plásticos como os brinquedos e acima de tudo, propor soluções concretas”.

Para que tudo isto seja possível, o projeto pretende incentivar as famílias a fazerem uma seleção de brinquedos, seguida de desmontagem, contabilização e entrega. Essa entrega — depois de os materiais terem sido separados e classificados — poderá ser feita até maio nos concelhos de Lisboa, Porto, Figueira de Castelo Rodrigo, Cascais e Évora, parceiros do projeto.

“O plástico recolhido será encaminhado para cinco laboratórios Precious Plastic, nas cidades participantes. Estudantes de design de produto da Escola Superior de Artes e Design em Matosinhos e da Universidade de Évora serão desafiados a apresentar propostas para o desenvolvimento de um novo brinquedo — e a proposta vencedora será eleita através de um concurso. A última etapa estará nas mãos da Precious Plastic Portugal, a quem caberá a produção do novo brinquedo.”

Quanto ao resto dos materiais, o plástico será transformado em peças para parques infantis, as partes eletrónicas irão para o electrão e o que sobrar será reciclado dentro das respetivas categorias.

No final de todo o processo pretende-se que seja feito ainda um estudo para perceber o impacto ambiental dos brinquedos e eventualmente ajudar a repensar tanto a sua produção como o seu consumo.

 

11
Jan21

Tem brinquedos em casa que já ninguém usa? Pode doá-los e receber um vale desconto

Niel Tomodachi

A loja de brinquedos Benji vai estar a recolher para doar a associações de solidariedade.

5a8654efd9db81db73e17e68cbf750b4-754x394.jpg

Depois da altura do Natal, deparamo-nos com dezenas de novos brinquedos espalhados pela casa e os velhos acabam por ficar esquecidos dentro do armário, não por estarem gastos ou estragados mas por os miúdos gostarem daquilo que é novidade. 

Se isso é um problema para si e, quer dar uma nova e melhor utilidade a esses brinquedos, saiba que a loja de brinquedos portuguesa, Benji, vai disponibilizar os seus escritórios, em Lisboa, para receber tudo aquilo que os seus filhos ou parentes já não usam e, posteriormente distribuir por várias associações de solidariedade de apoio a crianças.  

Entre elas, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, a Casa do Gaiato de Lisboa e também a Câmara Municipal de Cascais, sem qualquer custo associado. Para além de poder entregar presencialmente na Rua Martens Ferrão número doze, no quinto piso, em Lisboa, pode também enviar os produtos pelo correio para a mesma morada. Ao juntar-se à ação “Rebrincar”, recebe um código promocional de dez por cento para utilizar na sua primeira compra da loja online da Benji. 

Se também houver instituições que queiram juntar-se à inciativa para receber brinquedos doados, também o podem fazer, sendo apenas necessário entrar em contato com a marca Benji, sem qualquer custo, para que este movimento seja possivel chegar a mais pessoas. 

“Mais do que levarmos novos brinquedos aos que mais gostamos, na Benji acreditamos que o mais importante é que todas as crianças possam ter
um brinquedo adequado à sua idade e características. É por isso mesmo que queremos dar uma nova casa a todos os brinquedos que agora estão na gaveta, mas que podem continuar a cumprir a sua missão de levar a alegria às crianças”, explica João Leitão, co-fundador da Benji.

Para obter mais informações sobre a iniciativa basta aceder ao site ou, entrar em contacto através do hello@benji.pt.

 

18
Set20

O primeiro brinquedo do mundo sobre a Covid-19 é português

Niel Tomodachi

O laboratório da Science4You quer explicar aos mais novos o que são os vírus e como podemos combatê-los.

f06376e2468ee27511a4a8ea83faf8bf-754x394.png

Um laboratório anti-vírus. Era bom que fosse real — em todo o mundo, há na verdade centenas de laboratórios a trabalhar em vacinas ou retrovirais para combater o novo coronavírus, mas ainda nenhum teve sucesso pleno ou aprovação final. Não sendo real, este laboratório anti-covid é uma maneira de ajudar os mais novos a perceberem um pouco deste mundo novo.

Nem os adultos às vezes conseguem entender ou acompanhar em pleno tudo o que se passa, pelo que explicar aos miúdos, de forma a que tudo pareça natural e claro, nem sempre é fácil. Uma das melhores opções é ir por uma linguagem que eles apreciam e entendem sempre — a da brincadeira.

A pensar nisso, a portuguesa Science4You criou o seu Laboratório Antivírus, alavancando aquela que é a sua missão primordial – juntar a diversão ao conhecimento. Este brinquedo permite criar máscaras e viseiras de proteção, aprender a lavar corretamente as mãos com o seu próprio sabonete e criar bactérias e fungos em diferentes meios de cultura.

 

A novidade pretende que as crianças aprendam, de uma forma didática e apelativa, a distinguir o que é um vírus e uma bactéria e como se podem proteger, através de ferramentas que facilitam a aprendizagem. Miguel Pina Martins, CEO da Science4you explica que o pretendido é “descomplicar toda a informação, de forma didática e apelativa, para que possam aprender e, ao mesmo tempo, brincar e divertirem-se”.  Este é, diz a empresa, o primeiro brinquedo do mundo sobre a Covid-19.

O laboratório tem 15 atividades e 30 conteúdos, para maiores de oito anos, e pode ser comprado online por 19,99€.

04
Ago20

A nova gama da Clementoni tem brinquedos e embalagens 100% reciclados

Niel Tomodachi

A marca apostou na sustentabilidade com a Play For Future para os miúdos.

14b00ebcb0abe4188943b02e3ea89abd-754x394.jpg

A marca de brinquedos para miúdos Clementoni acaba de lançar uma gama 100 por cento reciclada e certificada. Chama-se Play For Future e todos os materiais, desde o jogo em si até à sua embalagem, são produzidos com matérias-primas recicladas.

“A palavra chave é educação. Continua a ser importante que ensinem desde cedo às crianças a importância dos pequenos gestos, como por exemplo a reciclagem”, afirma Hélder Pernas, Country Manager da marca em Portugal.

A Play For Future está presente em várias gamas da Clementoni, como a Baby Clementoni (desde 9,99€), Play Creative (10,99€), Puzzles (desde 11,99€), Ciência (14,99€) e Jogo (desde 9,99€). O objetivo da marca é que as crianças associem a natureza à diversão.

Uma das novidades.

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Quotes:

“How wonderful it is that nobody need wait a single moment before starting to improve the world.” ― Anne Frank

Pesquisar

Nelson's bookshelf: currently-reading

Alfie - O Gato do Bairro
tagged: currently-reading

goodreads.com

2022 Reading Challenge

2022 Reading Challenge
Nelson has read 0 books toward his goal of 50 books.
hide

Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Afiliado Wook

WOOK - www.wook.pt

Comunidade Bertand

Afiliado Miniso

Read the Printed Word!

Em destaque no SAPO Blogs
pub