Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Little Tomodachi (ともだち)

Little Tomodachi (ともだち)

23
Jan22

PLAY: a 9ª edição do Festival de Cinema Infantil e Juvenil

Niel Tomodachi

Em fevereiro, o cinema é para todos, avós, pais, filhos. E nesta edição, haverá, pela primeira vez, sessões em Língua Gestual Portuguesa.

De 12 a 20 de fevereiro, o PLAY, Festival Internacional de Cinema Infantil e Juvenil de Lisboa acontece nas salas do Cinema São Jorge e da Cinemateca Júnior, em Lisboa.

O PLAY estará, assim, de regresso com Cinema para Sonhar, e um universo mágico e colorido a explorar em narrativas infantis e juvenis do grande ecrã.
O bullying, a identidade de género, o medo e a poesia são temas em destaque na programação do PLAY 2022.

Nascido na capital portuguesa em 2014, o PLAY, Festival Internacional de Cinema Infantil e Juvenil de Lisboa celebra 9 anos e é uma referência do cinema infantil e juvenil no país, ao apresentar o que de melhor é produzido no cinema internacional infantil e juvenil.

RapazRaparigaMix

Premiado e nomeado em reconhecidos festivais internacionais, o filme holandês RapazRaparigaMix é um curto documentário sobre Wen Long, uma criança com 9 anos, feliz por poder escolher o seu género e com uma longa história para contar. O filme da realizadora Lara Aerts está integrado nas sessões 10 – 13 anos.

A Menina Parada

Na sessão 6-9, A Menina Parada é da realizadora portuguesa Joana Toste. O filme retrata uma menina que se perde da mãe e recusa-se a sair do mesmo lugar. A menina parada e o polícia que a guarda param o trânsito e agitam os corações da cidade.
Na mesma faixa etária, Kiko e os Animais é um filme franco-suíço de Yawen Zheng que, através de um elenco composto por animais, aborda o tema do bullying. O Kiko intimida todos os animais. Como podem fazê-lo compreender que são iguais a ele, capazes de emoções, amor e merecem respeito?

O Meu Nome é Medo

Entre as sessões 3 – 5 anos, O Meu Nome é Medo, de polaca Eliza Płocieniak-Alvarez, aborda a emoção encantadora “Medo” que todos evitam e consideram embaraçosa. Esta curta de animação ensina-nos que uma emoção, por vezes difícil de compreender, pode, no entanto, desempenhar um papel muito importante no nosso desenvolvimento psicológico.

Nas sessões para bebés, o convite também é para pais e avós. Afinal de contas, todos queremos descobrir o que fazem as lontras antes de ir dormir, no filme Lontras, de José Miguel Ribeiro.

Novidade também é o Ciclo Cine-Poesia que propõe uma viagem pelas imagens dentro das palavras, homenageando os autores mais relevantes do panorama nacional. O primeiro é o escritor Manuel António Pina, Prémio Camões em 2011 – em todas as sessões desta edição, vamos encontrar poemas de António Manuel Pina.

Os ateliês de Cinema vão continuar a surpreender os participantes mais novos. Para muitas crianças e jovens, estes são os workshops mais esperados do ano. No ateliê de cinema de animação, vamos inventar histórias a partir de desenhos. E no ateliê de Dobragens, vamos perceber tudo o que é preciso para pôr as personagens a falar.

Little Snowman

No âmbito das conversas sobre cinema, o PLAY recebe a realizadora francesa Hélène Ducrocq.
Hélène formou-se na escola de animação La Poudrière em 2006. Quase todos os anos, o PLAY apresenta o último filme desta realizadora. Lembram-se do filme do mocho que se perdeu da sua mãe? Foi ela que o fez! A curta-metragem Um pouco perdido, produzida a partir do aclamado livro de Chris Haugton é também de sua autoria, assim como o Como Superei o Meu Medo de Humanos. A realizadora acompanhará ainda um Ateliê de Animação.

O cine-concerto desta edição está a cargo de Mistah Isaac, que irá musicar ao vivo duas curtas-metragens da realizadora checa Hermína Týrlová, uma das figuras mais importantes da animação checa da segunda metade do século XX.

De 12 a 20 de Fevereiro, o Cinema para Sonhar acontece em Lisboa com mais de 130 filmes emocionantes, conversas, ateliês, cine-concerto. Um programa para descobrir em família e para escolas.

Os bilhetes podem ser adquiridos na bilheteira do Cinema São Jorge (recomenda-se a compra com antecedência) ou nos locais habituais. O PLAY adota as medidas de segurança em vigor para as salas de cinema: será necessário a apresentação de certificado de vacinação a partir dos 12 anos ou comprovativo de teste antigénio. O PLAY reforça: venham ao PLAY. A cultura é segura.

 

19
Jan22

Vem aí um congresso gratuito para aprender tudo sobre alimentação e nutrição

Niel Tomodachi

Entre as várias temáticas, destacam-se a perda de peso, saúde mental e populações especiais. Saiba como pode participar

Se a nutrição e a alimentação são áreas que lhe despertam curiosidade, temos boas notícias. Já se pode inscrever, gratuitamente, para assistir ao I Congresso Internacional Online para Nutricionistas. Acontece nos dias 25, 27 e 29 de janeiro.

Nutrição desportiva, perda de peso, populações especiais, futuro da profissão, saúde mental e à volta do mundo são algumas das temáticas que mais de 30 especialistas vão explorar em masterclasses e debates no decorrer da iniciativa. Para participar, precisa apenas de smartphone, tablet ou computador, além de uma boa ligação à Internet.

Pedro Meirinhos, nutricionista desportivo no Futebol Clube do Porto; Margarida Beja, nutricionista especialista nos cuidados intermédios e intensivos no Universitary Hospital Southampton NHS Foundation Trust; e Noélia Arruda, nutricionista clínica e autora do livro “Manual para a Fertilidade, Gravidez e Amamentação”, são alguns dos profissionais confirmados no cartaz do evento.

Durante o congresso, haverá ainda um momento em que o público pode esclarecer todas e quaisquer questões, assim como fazer sugestões ou outro tipo de partilha, garantem. A programação, em atualização, está disponível no site da Nutrition Academy. A mais recente escola do Grupo Academy é a responsável pela organização do encontro virtual.

 

11
Jan22

Vila Viçosa distingue obras de poesia no Prémio Florbela Espanca

Niel Tomodachi

A Câmara de Vila Viçosa (Évora) volta este ano a promover o Prémio Literário Florbela Espanca para distinguir, nesta edição, obras literárias inéditas de poesia, que podem ser apresentadas até 15 de setembro, revelou hoje o município.

Vila Viçosa distingue obras de poesia no Prémio Florbela Espanca

A iniciativa, instituída em 1981, pretende, segundo a autarquia, "homenagear a vida e a obra" da poetisa Florbela Espanca, natural de Vila Viçosa, assim como promover e premiar obras literárias inéditas de expressão portuguesa no âmbito da poesia e da ficção, alternadamente, independentemente da nacionalidade do autor.

Este ano, de acordo com o município do distrito de Évora, os trabalhos devem ser entregues na Câmara Municipal de Vila Viçosa até ao dia 15 de setembro.

A obra premiada vai ser depois editada pela autarquia, numa tiragem de 500 exemplares, além de o autor receber um prémio no valor de 2.500 euros.

Florbela Espanca, autora do "Livro de Mágoas", "Livro de Soror Saudade", "Charneca em Flor" ou "Juvenília", é considerada uma das mais brilhantes poetisas de língua portuguesa de todos os tempos.

A poetisa nasceu em Vila Viçosa, a 08 de dezembro de 1894, e morreu em Matosinhos, na noite de 07 para 08 de dezembro de 1930, com 36 anos.

Florbela Espanca foi sepultada naquela localidade do Norte, mas os seus restos mortais foram depois trasladados para o cemitério de Vila Viçosa.

05
Jan22

‘Donas de Casa Desesperadas’ podem voltar em 2022?

Niel Tomodachi

O eventual regresso da série 'Donas de Casa Desesperadas', a ter lugar, e vem acompanhar mesmo uma tendência recente de regresso de histórias marcantes como 'Friends' ou 'And Just Like That'

donas de casa

Uma mensagem no Twitter lançou a confusão. A produtora e emissora norte-americana ABC publicou uma nota de ano novo na qual mostrava o elenco da série Donas de Casa Desesperadas, acompanhado da frase “desesperadamente à espera de 2022”.

A confusão sobre o eventual regresso foi lançada e vem acompanhar mesmo uma tendência recente de regresso de histórias marcantes como Friends ou And Just Like That (de O Sexo e a Cidade).

 

Até ao momento, nenhum elemento da produção avançou com a possibilidade formal de um reencontro ou de um reboot, mas é importante vincar que 2022 marca a primeira década volvida sobre o final da série.

Ainda antes desta informação, Eva Longoria, atriz que deu vida à icónica Gaby, já tinha evocado essa hipótese em entrevista recente ao The Radio Times. “Fechamos a série com a personagem a começar o seu próprio negócio. Então, gostava de pegar nisso e de ver como ela cresceu no negócio”, afirmou.

 

05
Jan22

IndieJúnior de regresso ao Porto

Niel Tomodachi

Um novo ano chegou e traz consigo a nova edição do IndieJúnior Porto, festival que há seis anos liga os públicos mais novos ao cinema.

Após cinco edições muito felizes, coloridas e relevantes, parte para a segunda mão na contagem da idade de um festival que veio para ficar. E não veio só para ficar, veio também para continuar a abrir caminhos e a criar pontes, sólidas e duradouras, entre o público e o mundo da imaginação. Mas, ao invés dos materiais de construção habituais, tão usados nestas pontes que do Porto partem e ao Porto chegam – o betão, o ferro e a madeira –, estas pontes são construídas com a magia do cinema!

A Linha

Apesar de continuar a enfrentar alguns desafios, o festival readaptou-se a esta nova realidade com a alegria e a resiliência necessárias. E, por isso, o 6º IndieJúnior Porto – Festival Internacional de Cinema Infantil e Juvenil continua a trabalhar junto das escolas, oferecendo para além da opção das salas de cinema, a de realizar as sessões dentro das próprias instalações das escolas, para o caso daquelas que não conseguirem se deslocar.

O Pequeno Barco Que Queria Voar

Assim, nesta edição, entre os dias 25 e 30 de janeiro, as salas de cinema também voltam a abrir-se à comunidade escolar e às famílias para um novo mergulho num mundo cheio de cores, sonhos e conhecimento no grande ecrã!

Avós Natal

E tudo arranca já no próximo dia 15, com o Warm Up, a realizar-se na Reitoria da Universidade do Porto, às 11h00. Para esta pré-abertura, os filmes escolhidos são A Bruxa e o BebéA LinhaAvós NatalHugo e o HolgerOs Sete Cabritinhos e ainda O Pequeno Barco que Queria Voar.

A Bruxa e o Bebé

Destaque ainda para o Filme-Debate Os desafios dos jovens estrangeiros e a sua integração, que terá lugar, dia 27, às 11h00, na Casa Comum, na Reitoria da Universidade do Porto, cuja conversa partirá do filme Boa Viagem, de Fabio Friedli, uma pequena animação que retrata as crueldades e dificuldades das travessias de pessoas que procuram uma nova vida noutro país.

Boa Viagem

Após o sucesso nas edições de 2019 e 2020, o Cinema de Colo regressa ao Teatro Rivoli com uma cenografia acolhedora para receber os bebés de até 3 anos de idade na sua primeira sessão de cinema da vida.

Já o encerramento da 6ª edição do IndieJúnior Porto terá lugar no Grande Auditório do Teatro Rivoli, a partir das 16h15, com o Cine-concerto Quando o Cinema Nasceu, com um mergulho nalguns dos filmes mais divertidos da história do cinema mudo que tantas gargalhadas nos arrancam ainda hoje, mais de 100 anos depois. Com a sua viola d’arco, José Valente acompanhará as obras primas do cinema projetadas e revelará a sua identidade como músico irreverente, virtuoso e contemporâneo. Antes do cine-concerto, serão anunciados os grandes premiados da edição 2022.

O Hugo e o Holger

Para além do Teatro Rivoli, também a Biblioteca Municipal Almeida Garrett, a Casa das Artes, o Maus Hábitos e a Reitoria da Universidade do Porto voltam a acolher, de 25 a 30 de janeiro, o festival, ajudando a espalhar o cinema pela cidade do Porto.

Os Sete Cabritinhos

 

Esta sexta edição chega com novos filmes, parcerias renovadas e muitos jovens programadores. O programa do festival apresenta, entre outras propostas, uma competição que este ano integra cerca de 50 filmes, entre longas e curtas metragens, ficções, documentários e animações. Assim como em edições anteriores, alguns destes filmes foram escolhidos por crianças e jovens dos 6 aos 18 anos, de quatro escolas do Porto (Agrupamento de Escolas Carolina Michaelis, Agrupamento de Escolas Sophia Mello Breyner, Agrupamento de Escolas Garcia de Orta e Escola Profissional de Campanhã), no âmbito da iniciativa Eu Programo um Festival de Cinema, organizada em parceria com o Programa Paralelo, do Teatro Rivoli.

Brevemente serão divulgadas mais informações e a programação completa, estando, de momento, ainda a decorrer as inscrições para as escolas interessadas.

(S)

01
Jan22

Desafio Literário 2022♥

Preparados para o desafio anual do Blog?

Niel Tomodachi

6a00d83451dccb69e201630155a7d8970d-350wi.jpg

Olá, a todos!

Mais um ano passou e voltamos com um novo desafio literário para 2022!

Convido todos os que queiram, a fazer parte desta jornada comigo. Podem ir comunicando e sugerindo os livros que vão lendo aqui nos comentários.

Eu irei partilhando como sempre as minhas leituras com todos e preencherei (abaixo) o desafio conforme for terminando.

 

Preparados?

 

🚩 O DESAFIO!

1.Um livro publicado em 2022...

2.Um livro com mais de 500 páginas...

3.Ler uma Biografia ou Diário...

4.Um livro escrito por uma autora ou autor asiática (o)...

5.Um livro com um número no título...

6.Uma trilogia...

7.Um livro sobre causas sociais, racismo ou ambiente...

8.Um livro de Humor...

9.Um ebook...

10.Um clássico da literatura...

11.Um livro sobre alimentação saudável ou lifestyle...

12.Um livro que foi ou será um filme...

13.Um livro LGBTQI+...

14.Um livro com menos de 200 páginas...

15.Um livro escrito por dois autores...

:::::

Aguardo pelos teus comentários!

 

36cc7a5b63c6891723e10f7b2dcadfc7.jpg

FOLLOW ME:

Goodreads

Instagram

 

30
Dez21

É bom rever o ano que passou e traçar objetivos para o ano seguinte? Psicóloga responde

Niel Tomodachi

Estamos prestes a terminar mais um ano e, como sempre, após 365 dias, ambicionamos que o que vem seja melhor do que o que passou. Traçar objetivos é positivo, mas há que saber fazê-lo. Uma psicóloga explica porquê.

É bom rever o ano que passou e traçar objetivos para o ano seguinte? Psicóloga responde

2022 é o ano no qual, uma vez mais, colocamos todas as expectativas de que as coisas melhorem e que possamos, de uma vez por todas, regressar à normalidade. Sem contar com o desejo de que a pandemia acabe, e que este vírus desapareça, esta é a altura em que fazemos uma retrospetiva do que aconteceu nos últimos 365 dias: do que podíamos ter feito melhor e não fizemos, do que queríamos concretizar e não concretizámos.

Pensar nos objetivos que não cumprimos, e perceber o porquê, e traçar novos objetivos para o ano que vem é produtivo ou pode levar à frustração?

Catarina Graça, psicóloga na Clinica da Mente, explica que considera que é bastante produtivo e explica porquê. "Acho que na vida temos de ter sempre um propósito. Temos de ter sempre objetivos — e nem falo de grandes objetivos. Considero que manter uma rotina produtiva no nosso dia a dia também nos faz sentir mais confiantes e com a nossa autoestima mais em cima", defende.

De acordo com a psicóloga, não há nenhuma forma rápida que melhore a autoestima ou nos deixe motivados. "É com experiências. Propormo-nos a fazer as coisas, a atingir determinados objetivos e vermos que conseguimos atingi-los. Acho que isso é que nos recarrega e por esse motivo é que é tão importante olharmos para trás, fazermos um balanço das coisas que conseguimos fazer e até mesmo pensar sobre o que não conseguimos e percebermos o porquê", explica à MAGG.

"Ao desenharmos objetivos é importante percebermos se temos as ferramentas necessárias para os alcançar"

Muitas vezes, o problema está, segundo a especialista, em colocarmos as expectativas demasiado elevadas. "Ao desenharmos objetivos é importante percebermos se temos as ferramentas necessárias para os alcançar, porque se não vamo-nos desiludir e frustrar — e isso já traz sentimentos mais negativos."

29
Dez21

Nobel da Literatura, Silvina Ocampo e novo Itamar Vieira Junior em 2022

Niel Tomodachi

O mais recente Nobel da Literatura, um romance de Frederico Lourenço, inéditos de Silvina Ocampo e novos livros de Itamar Vieira Júnior, Bernardine Evaristo e Angela Davis são algumas das novidades que as editoras portuguesas pretendem lançar em 2022.

Nobel da Literatura, Silvina Ocampo e novo Itamar Vieira Junior em 2022

Para o próximo ano, os grupos editoriais prometem várias novidades, desde logo a publicação de vários romances do escritor Abdulrazak Gurnah, vencedor do Prémio Nobel da Literatura em 2021, a começar pelo mais recente, 'Vidas seguintes' (de 2020), que será publicado em fevereiro pela Cavalo de Ferro.

Esta chancela, que agora pertence ao grupo Penguin Random House, em consequência da fusão deste com o grupo 2020, editará seguidamente 'Paraíso', em maio, e prevê publicar 'By the Sea' em setembro.

Outras novidades da Cavalo de Ferro são 'A porta estreita' e 'O imoralista', de André Gide, duas das obras mais representativas do universo literário deste autor francês, bem como novos livros de Julio Cortázar ('Um certo Lucas'), de Antonio di Benedetto ('Os suicidas'), e de Ray Bradbury ('O homem ilustrado'), autores de quem a editora tem vindo a publicar a obra.

Outros destaques desta chancela são um novo livro de ensaios da croata Dubravka Ugresic, intitulado 'A idade da pele', uma das mais conhecidas novelas de Ludmila Ulitskaya, 'Sonechka', sobre o papel da mulher na esfera doméstica e familiar, e ainda o romance 'Divorcing', de Susane Taubes.

A Elsinore, chancela do mesmo grupo, publicará 'A cláusula familiar', de Jonas Hassen Khemiri, romance vencedor do Prémio Médicis 2021 e finalista do National Book Award 2021, o primeiro romance autobiográfico de Édouard Louis, 'Para acabar de vez com Eddie Bellegeule', e os premiados romances de Alejandro Zambra, 'Poeta chileno', e de Olga Ravn, 'Os empregados'.

Pela mesma editora chegarão às livrarias novos livros de Cláudia Andrade, autora de 'Quartos de final' e 'Caronte à espera', e de Bernardine Evaristo, escritora britânica vencedora do Prémio Booker com 'Rapariga Mulher Outra', que agora publica 'Mr. Loverman', um romance que explora a diversidade étnica e cultural da sociedade europeia.

No âmbito da não-ficção, um dos principais destaques do grupo editorial é a biografia de Susan Sontag, escrita por Benjamin Moser (autor da biografia de Clarice Lispector), com o título 'Sontag, vida e obra'.

Para o próximo ano, a Alfaguara promete várias novidades, sobretudo relacionadas com autores de sucesso já publicados nesta chancela, como é o caso da franco-marroquina Leila Slimani, de quem se publicará 'O perfume das flores à noite'.

A editora prosseguirá com a publicação da obra de Manuel Vilas, autor de 'Em tudo havia beleza', que lançou um novo romance intitulado 'Os beijos', de Colson Whitehead, com o seu mais recente romance, 'Harlem Shuffle', de Michel Houellebecq, que tem um novo romance, 'Aniquilação', e de Elizabeth Strout, que traz de volta a protagonista de 'O meu nome é Lucy Barton' para o seu novo romance 'Oh William'.

A Alfaguara aposta ainda num 'clássico redescoberto' que se revelou um 'romance surpreendente', 'As primas', da argentina Aurora Venturini, comparada com autoras como Clarice Lispector, Lucia Berlin ou Otessa Moshfegh.

Na Companhia das Letras sairão novos romances de João Tordo, 'Naufrágio', e de Yara Monteiro, o segundo da autora de origem angolana, depois da sua estreia em 2018 com 'Essa dama bate bué', bem como uma biografia de José Saramago, no centenário do seu nascimento, da autoria de Miguel Real e Filomena Oliveira, intitulada 'As sete vidas de Saramago'.

A escritora Silvina Ocampo terá publicado pela primeira vez em Portugal o livro de contos 'Las invitadas', pela Antígona, que recentemente editou também 'A fúria'.

Um destaque desta editora para 2022 é a publicação da "violenta e angustiante" autobiografia da infância do cineasta cambojano Rithy Pahn, sobrevivente do massacre levado a cabo pelos Khmers Vermelhos, que regressou à terra natal 30 anos depois da queda do regime de Pol Pot para "confrontar os seus carrascos".

O resultado é 'A eliminação', uma autobiografia entrecortada pelos diálogos que travou com um dos maiores responsáveis pelo genocídio, Kang Kek Iev, conhecido como camarada Duch, líder dos Khmers Vermelhos e diretor do campo de extermínio S-21, na cela onde este se encontrava preso a cumprir pena de prisão perpétua.

O clássico feminista 'Malina', da escritora austríaca Ingeborg Bachmann, e 'Comboios rigorosamente vigiados', do autor checo Bohumil Hrabal, serão publicados também por esta editora, que aposta ainda em mais um livro da ativista negra norte-americana Angela Davis -- com o título provisório 'As prisões estão obsoletas?' -, de quem publicou 'A liberdade é uma luta constante'.

'A fábrica do absoluto', de Karel Capek, autor de 'A guerra das salamandras', e 'Assim lhes fazemos a guerra', de Joseph Andras, são outras novidades da Antígona.

A Bertrand Editora chega a 2022 com Margaret Atwood em dose dupla, publicando 'MaddAddam', o encerrar do seu épico de ficção especulativa (depois de 'Órix e Crex' e de 'O Ano do Dilúvio'), e 'Burning Questions', uma coleção de ensaio escrita entre 2004 e 2021.

A Quetzal vai lançar um romance de Frederico Lourenço, 'Pode um desejo imenso', e a versão portuguesa da biografia de Fernando Pessoa por Richard Zenith.

Serão publicados ainda livros de Susan Sontag, 'Renascer'", de Jorge Luis Borges, 'O Livro de Areia', de Roberto Bolaño, 'Chamadas Telefónicas', de Patrícia Müller, 'A rainha e a bastarda', de Mario Vargas Llosa e Rúben Galo, 'Conversas em Princeton', de Can Xue, 'Amor no Novo Milénio', e de Julian Barnes, 'Elizabeth Finch'.

A mesma editora será responsável pelo lançamento em Portugal do mais recente vencedor do Prémio Goncourt, 'A Mais Secreta Memória dos Homens', do senegalês Mohamed Mbougar Sarr.

Quanto às apostas da D. Quixote, contam-se um novo livro de contos de Itamar Vieira Junior, escritor brasileiro que em 2018 venceu o Prémio Leya com 'Torto arado', um romance de Isabel Rio Novo, que ganhou o prémio literário João Gaspar Simões, 'Madalena', o romance de Nana Ekvtimishvili finalista do Prémio Booker Internacional 2021, 'Onde as peras caem', ou o novo de Fernando Aramburu, 'Los vencejos', depois do sucesso mundial de 'Pátria'.

Quanto à Casa das Letras, lançará 'Absolutely on music', de Haruki Murakami, um livro que resulta de uma conversa pessoal e íntima entre o escritor e Seiji Ozawa, seu amigo e ex-maestro da Orquestra Sinfónica de Boston, sobre a música e a escrita.

Em lançamento mundial, a Porto Editora publica no dia 25 de janeiro 'Violeta', de Isabel Allende, a comemorar 40 anos desde 'A casa dos espíritos', o seu primeiro livro.

Entre os principais livros a sair pela Relógio d'Água no próximo ano contam-se 'As margens e a escrita', de Elena Ferrante, 'Obras escolhidas', de Ana Teresa Pereira, a 'Correspondência amorosa' entre Virginia Woolf e Vita Sackville-West, 'Casa', de Marilynne Robinson, e 'Pradarias', de Louise Gluck.

Quanto à Tinta-da-China, um dos destaques é 'Poetas de Dante', a resposta de 34 poetas portugueses aos 34 cantos que compõem a primeira parte de 'A Divina Comédia', de Dante Alighieri, dedicada ao 'Inferno'.

A primeira antologia poética de João Pedro Grabato Dias e a reunião dos ensaios literários de David Mourão-Ferreira, são outras novidades da editora.

No âmbito das questões raciais, a Tinta-da-China vai lançar 'A Afirmação Negra e a Questão Colonial. Textos, 1919-1929', de Mário Domingues, 'O Pensamento Branco', do ex-jogador de futebol Lilian Thuram, e 'Pour une histoire politique de la race', de Jean-Frédéric Schaub, considerado um livro estrutural para quem estuda e pensa as questões da raça.

 

17
Dez21

PortoCartoon regressa em 2022 com temas Educação e Igualdade de Género

Niel Tomodachi

A 24.ª edição do Porto Cartoon realiza-se em 2022 e irá debruçar-se sobre os temas da Educação e Igualdade de Género e homenagear Gago Coutinho, pelo centenário da travessia do Atlântico Sul, e a ativista ambiental Greta Thunberg.

PortoCartoon regressa em 2022 com temas Educação e Igualdade de Género

Esta será a terceira edição em que o festival olha para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), depois de, em 2020, ter versado sobre Fome, Pobreza e Desigualdades e, em 2021, ter olhado para a Saúde.

Para a 24.ª edição, o Porto Cartoon World Festival irá pensar os ODS quatro e cinco, a Educação e a Igualdade de Género, adiantou hoje a organização, em conferência de imprensa que aconteceu por videoconferência.

O diretor do Museu Nacional da Imprensa, promotor desta iniciativa, Luíz Humberto Marcos, adiantou que as figuras homenageadas da edição do próximo ano serão o aviador Carlos Gago Coutinho, "porque no próximo ano se celebra a travessia do Atlântico Sul, entre Lisboa e o Rio de Janeiro", e Greta Thunberg, uma "ativista que surgiu de uma tomada de posição inicialmente muito isolada e que depois conseguiu agregar o mundo todo".

"Temos procurado homenagear sempre uma pessoa viva e uma pessoa que já nos deixou, mas que deixou um legado muito importante", frisou.

Para o responsável, "a caricatura é para brincar, é para fazer rir, mas é para homenagear através do riso".

Na sessão estiveram também presentes representantes das entidades parceiras, que farão parte do júri do certame.

Anna-Paula Ormeche, representante da Comissão Nacional da UNESCO, destacou a "relevância dos principais temas escolhidos para 2022" e que o cartoon é uma "ferramenta de elevado valor educativo".

Também Maria José Magalhães, presidente da UMAR -- União de Mulheres, Alternativa e Resposta, realçou o "significado cultural e simbólico desta iniciativa".

"O cartoon é uma ferramenta fundamental, aquilo que o povo costuma dizer, uma bofetada de luva branca, ou seja, é lutar, de forma pacífica, com a ironia e o argumento", afirmou, frisando a luta pela "Igualdade de Género consubstanciada no equilíbrio da hierarquia social, que assenta nas relações de poder de género".

Para Joaquim Peixoto, da Associação Ambiental Zero, o "humor sofisticado é também uma forma de intervir na sociedade, tal como a Zero o faz".

Os Museus da Marinha e do Ar assumiram o compromisso com esta iniciativa, integrando o júri e apoiando a itinerância da mostra, e saudaram a pertinência da homenagem.

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Quotes:

“How wonderful it is that nobody need wait a single moment before starting to improve the world.” ― Anne Frank

Pesquisar

Nelson's bookshelf: currently-reading

Alfie - O Gato do Bairro
tagged: currently-reading

goodreads.com

2022 Reading Challenge

2022 Reading Challenge
Nelson has read 0 books toward his goal of 50 books.
hide

Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Afiliado Wook

WOOK - www.wook.pt

Comunidade Bertand

Afiliado Miniso

Read the Printed Word!

Em destaque no SAPO Blogs
pub