Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Little Tomodachi (ともだち)

Little Tomodachi (ともだち)

08
Out22

Doggato lança ração hipoalergénica para cães com proteína fresca

Niel Tomodachi

Com ingredientes menos processados e sem cereais, é ideal para cães mais propensos a alergias alimentares.

Amarca portuguesa Doggato lançou um novo produto que vai deixar os nossos amigos de quatro patas a lamber os beiços. Trata-se da ração hipoalergénica de frango fresco, para cães, que ajuda especialmente os patudos com sensibilidades.

“A proteína fresca é sempre uma melhor opção para alimentar os cães, porque desta forma a ração tem uma maior percentagem de proteína na sua composição. Fica com a qualidade nutricional toda”, explica à PiT João Pinto, sócio-gerente da Doggato.

E mais: “a palatabilidade do produto é melhor, além de que os ingredientes são menos processados”, sublinha João Pinto. “É quase como um produto para consumo humano”, acrescenta.

Além disso, esta ração não tem qualquer cereal – que é uma típica fonte de alergias alimentares. “O facto de ser grain free é bom para combater as alergias, já que os ingredientes têm um estado de pureza maior”, aponta o sócio-gerente da Doggato.

Com um alto valor de condroprotectores, onde se acrescentam frutas e verduras, cada saca de 12 quilos pode ser comprada por 59,50€, tanto para juniores como para adultos.

Doggato
Ração formulada sem cereais.
 
 

João Pinto salienta também que a ração da Doggato não fica armazenada em logísticas ou armazéns: “é embalada e entregue diretamente em sua casa, sem intermediários, para garantirmos a frescura dos ingredientes”. É esse “o segredo para a qualidade a baixo custo”.

“A nossa imagem de marca é não termos margens pelo meio. Fabricamos e entregamos ao cliente, que não têm de pagar os valores dos intermediários”, diz o responsável da marca, que acredita que “cliente satisfeito é sempre cliente fidelizado”.

Além das marcas próprias, a Doggato – nascida em 2016 e sediada na Maia, nos arredores do Porto – representa mais de 60 marcas de alimentação, cujas rações podem ser adquiridas no site.

 

27
Set22

Dentes limpos e sem mau hálito? Com este sabor a maçã é mais fácil

Niel Tomodachi

Basta adicionar diariamente um pouco da solução na taça de água do seu cão ou gato. Vai fazer a diferença.

Tal como nós, os nossos cães e gatos só têm uma dentição adulta, por isso é melhor tratá-la bem logo de início para evitar problemas mais tarde.

Além da pasta dentífrica, com a qual pode escovar os dentes do seu pet, ou até de gel próprio, há algo mais que pode fazer: tratar a água que ele bebe. Adicionando cuidados dentários à sua água, manterá os seus dentes saudáveis durante mais tempo.

Uma boa opção é o Dental Care da Trixie para a água, com sabor a maçã. Trata-se de uma solução de uso diário que inibe a formação de tártaro, combate a placa bacteriana e o mau hálito em cães e gatos.

O Dental Care oral é muito simples de usar, devendo ser diluído diariamente água da taça de beber do seu animal. Utilize 1 parte do produto para 50 partes de água e substitua diariamente a água (mesmo que não a beba toda), repetindo o processo.

Assim, estará a cuidar dos dentes do seu animal através da água que ele bebe, ajudando a prevenir bactérias nocivas e mantendo um hálito agradável e fresco.

Pode adquirir o frasco de 300 ml por 4,15€ na plataforma online NewPetClub e não se esqueça que só adiciona à água a dose recomendada. O suave sabor a maçã vai deixá-lo satisfeito.

 

12
Set22

Gadgets. Já chegaram a Portugal os novos comedouros e bebedouros da Xiaomi

Niel Tomodachi

O Xiaomi Smart Pet Food Feeder e o Xiaomi Smart Pet Fountain estão disponíveis para compra a partir desta segunda-feira, dia 12.

Xiaomi traz duas novidades para o mercado português. Mas desta vez, são os animais de estimação o público-alvo. Os gadgets Xiaomi Smart Pet Fountain e Xiaomi Smart Pet Food Feeder, um bebedouro e um comedouro, respetivamente, visam disponibilizar no País uma forma “mais avançada de dar de comer e beber” aos patudos.

A Xiaomi Smart Pet Fountain, uma fonte de água potável, tem um depósito com capacidade de dois litros que satisfaz, por exemplo, “as necessidades de água de um gato adulto entre quatro a sete dias”, garante a Xiaomi em comunicado. Em caso de falha de energia, o bebedouro é programado para dispensar uma pequena quantidade de água potável. 

O produto foi analisado por uma agência independente de testes autorizada para, assim, garantir que o reservatório de água e a tampa estão em conformidade com os requisitos obrigatórios para materiais em contacto com água ou alimentos. A filtragem da água passa por quatro fases essenciais para retirar todas as impurezas (como partículas finas, cabelo, cloro residual ou iões Ca e Mg, que causam pedras nos rins) e disponibilizar uma água limpa e saudável para os animais. 

Já o comedouro Xiaomi Smart Pet Food Feeder,  é adaptado para cães e gatos de porte pequeno, podendo armazenar cerca de 1,8 quilogramas de comida seca, e assim “satisfazer a necessidade de um gato ou cão adulto durante 15 a 20 dias”. O produto tem três características que garantem a frescura e impermeabilidade dos alimentos: anel vedante de silicone 360 graus para tampa do compartimento dos alimentos, cartucho dessecante substituível do compartimento dos alimentos e porta giratória oculta do alimentador.

Ambos os produtos podem ser controlados através da aplicação Mi Home, que também envia lembretes quando é necessário acrescentar água ou comida, limpar a fonte ou substituir o filtro. Para além de mostrarem uma pequena luz vermelha quando estão escassos, enviam uma notificação para o smartphone dos tutores.

O comedouro pode ser adquirido por 129,99€, e a fonte por 79,99€

 

05
Set22

O maior evento animal solidário é já este sábado. Animal Fest regressa a Loures

Niel Tomodachi

Organizado pela Associação Click Positivo, tem entrada gratuita e diversas atividades para os patudos e os seus tutores

Prepare o seu animal para este fim-de-semana, porque certamente será agitado. O Animal Fest está de regresso a Loures (a dois passos de Lisboa), no próximo sábado, dia 10 de setembro, trazendo o maior evento solidário ao ar livre a nível nacional e as atividades para os tutores e os seus companheiros de quatro patas prometem.

Após dois anos de adaptação ao online, regressa ao Parque Adão Barata, ou Parque da Cidade de Loures, onde já não marcava presença desde o ano de 2019. Desta forma, das 15 horas às 22 horas, os animais e tutores poderão divertir-se num horário bastante preenchido, com atividades de meia em meia hora.

A entrada é gratuita e o programa envolve ações de socialização, como encontros de raça,  e de sensibilização, como cuidados a ter com os cães séniores em abrigos e o enquadramento legal do bem estar animal, lecionado pela Polícia de Segurança Pública (PSP).

Além disso, contará com a presença de Yuki e Gold, os cães adotados já em adultos, para contar a sua história. E terminará com o “desfile dos melhores amigos” entre cães e tutores.

 

O evento é organizado pela Associação Click Positivo, que foi fundada em 2017, com sede no município de Loures, com o intuito de melhorar a comunicação dos tutores com os seus cães, dando dicas e métodos de treino para facilitar o processo. Além do Animal Fest, desenvolvem várias ações de sensibilização e encontros em matilha, de forma a proporcionar “momentos descontraídos de aprendizagem”.

Ainda não tem nada na agenda para este sábado? Está na altura de marcar presença no Animal Fest, em Loures, e de levar o seu animal e a sua família para um serão muito divertido.

 

19
Ago22

Boop It: nesta loja só há amor. E quem ganha com isso é o seu pet

Niel Tomodachi

Camisolas, sacos de pano e até bodies para bebés: pode ter o seu cão em qualquer peça de roupa e levá-lo para todo o lado.

Eles sabem que nós os amamos, mas, por vezes, queremos deixar bem claro para todo o mundo o quanto eles são importantes para a nossa vida. Com a Boop It Store consegue estampar essa mensagem na sua roupa e acessórios, através de frases como “I woof you” ou até mesmo a imagem da cara do seu cão.

A pandemia deu origem a mudanças na vida de muita gente em todo o mundo. Foi o caso da de Beatriz Mendes, 28 anos. A médica veterinária fundou a loja online por necessidade. Em 2020, começou por desenhar bandanas destinadas aos animais e só depois percebeu como o mercado humano também tinha interesse nos seus artigos.

Desta forma, lançou as T-shirts e os hoodies personalizados com a cara do animal. “Através de duas a três fotografias de cada patudo, criamos várias opções de design e, posteriormente, enviamos para o cliente para que possa escolher o que mais representa o seu amigo de quatro patas”, explica à PiT a fundadora.

Poderá optar por escrever o nome do seu patudo na T-shirt e por inserir entre um a três animais, com um custo de 15,99€, ou mais de três (17,99€). Nas T-shirts, tem seis cores por onde escolher: azul céu, coral, menta, areia, branco e cinza. Já nos hoodies (26,99€), pode optar pelo branco, verde militar, cinza, grená e areia.

Também pode ter o seu pet no saco de pano que leva para todo o lado (7,99€), escolhendo uma das quatro cores existentes: nude (o mais tradicional), azul pastel, verde pastel e rosa pastel.

Os tutores poderão levar o animal ao peito.
 
 

No entanto, se preferir algo que diga com todas as letras o amor que sente pelo seu patudo, tem as peças de roupa com frases, tais como o body para bebé (12,99€), com a transcrição “My big brother/sister has paws” (traduzido do inglês “o meu irmão/irmã mais velho/a tem patas”).

Também tem as T-shirts que denunciam as “mães” de cães e gatos e as que o ajudam a relaxar com a frase “Pawse and breathe”, tudo a 14,99€.

Para os patudos, existem as bandanas com que tudo começou e todas são personalizáveis, podendo colocar o nome do seu pet. A mais cara é a “patas azul” (8,12€) e ass restantes, com cores e padrões que vão deixar qualquer outro cão invejoso durante os passeios, têm um custo de 4,07€.

Finalmente, há laços com padrões de cupcakes (4,07€), para aqueles animais que não fazem outra coisa que não pensar em comida o dia inteiro.

Para encomendar um artigo da Boop It Store pode fazê-lo através do seu website ou pelo Whatsapp e restantes redes sociais. Serão enviados vários modelos da fotografia do seu animal e, após aprovar um deles, demorará entre um a dois dias a estar pronto. Posto isto, dentro de 24 a 48 horas terá a encomenda em sua casa.

Se ainda não demonstra o amor que tem pelo seu pet, está na altura de o fazer com os produtos da Boop It, que o vão deixar a si e ao seu pet cheios de estilo.

 

18
Ago22

O seu animal de estimação desapareceu? Há mais uma plataforma online para ajudar

Niel Tomodachi

O site do Sistema de Informação de Animais de Companhia (SIAC) tem uma nova secção para encontrar animais perdidos.

Um dos maiores receios de quem tem animais de companhia é o de que eles possam perder-se. Pensarmos neles sozinhos, vulneráveis, sem referências e à mercê dos muitos perigos da rua é algo que nos deixa o coração apertado.

Se um dia, por infelicidade, um animal seu desaparecer, há várias medidas que deve tomar. A primeira delas é informar o Sistema de Informação de Animais de Companhia (SIAC), através do website ou do número 212 697 878.

O SIAC é a base de dados única que entrou em vigor a 25 de outubro de 2019 e que integrou os anteriores sistemas SIRA e SICAFE. Diga que o animal está desaparecido e forneça o número do microchip. Deve ter sempre os seus dados atualizados (contacto telefónico e morada) — e pode verificar a qualquer altura a inscrição do seu animal, bastando ter consigo o número de transponder/microchip, composto por 15 dígitos numéricos.

Quem tem animais sabe que, nos termos da lei, é obrigatório que todos os gatos, cães e furões residentes em Portugal sejam portadores de um microchip/transponder e que os mesmos sejam registados na base de dados do SIAC. E, em caso de desaparecimento, o facto de um animal ter chip pode ajudar a um reencontro mais rápido.

Agora, o SIAC deu mais um passo para ajudar a fazer essa ponte e criou uma secção no seu website dedicada aos animais perdidos – tanto os que desaparecem como aqueles que são encontrados na rua.

“Se o seu animal de companhia desapareceu, ou caso tenha encontrado um animal que pode pertencer a terceiros, é fundamental que reporte a situação. Neste site encontrará dicas úteis sobre ações a serem tomadas em caso de perda de um animal de companhia ou informações sobre o que pode fazer quando se encontra um animal”, explica o SIAC.

A nova secção apresenta a lista de animais desaparecidos e encontrados e é lá que pode conferir se algum dos animais corresponde ao que procura ou encontrou. Basta introduzir o número do chip/transponder e ver se há correspondência. Há também uma categoria – “como funciona” – que explica todos os passos a dar.

Quando perde ou encontra um animal com identificação eletrónica, deve preencher o respetivo formulário para que o animal passe a constar da lista. Se puder adicionar foto, melhor ainda, pois com uma imagem mental é mais fácil para qualquer pessoa fazer a associação se vir algum pet na rua ou algum cartaz à procura de um animal desaparecido.

 

18
Ago22

Médicos Veterinários querem serviço de assistência social para animais

Niel Tomodachi

O apelo da Ordem visa reagir ao abandono de animais domésticos. Este tipo de serviço social depende do investimento do Estado.

A poucos dias da data dedicada aos animais abandonados, que todos os anos é fixada no terceiro sábado de agosto — este ano é a 20 que se assinala o Dia Internacional do Animal Abandonado —, a Ordem dos Médicos Veterinários defendeu a necessidade  de um serviço de assistência social direcionado aos animais de companhia, sobretudo numa altura em que o abandono animal tem vindo a aumentar (mais precisamente em 35 por cento, só este ano).

De uma média que ronda os 35 mil animais abandonados por ano em Portugal, a OMV atribui significado à data com o objetivo de “consciencializar a sociedade relativamente à situação dos animais abandonados, promover a adoção e divulgar os cuidados a ter com os animais, tais como a vacinação, esterilização, registo na base de dados e chip, além de garantir outros cuidados médico-veterinários para reduzir a superpopulação”.

Neste momento, contam-se aproximadamente meio milhão de animais sem dono no País, totalmente dependentes dos esforços de instituições defensoras da causa animal. O próprio bastonário da OMV, Jorge Cid, alerta para as vicissitudes da tendência crescente deste flagelo: Há problemas gravíssimos relacionados com o abandono, desde fatores económicos, problemas de comportamento do animal, doença ou morte do dono, descontrolo de natalidade, férias, entre outros aspetos, que têm contribuído para aumentar o abandono animal e que afeta principalmente cães e gatos”. E aponta, ainda, para uma possível solução: “Neste contexto, é essencial a criação de um veículo de assistência social para aconselhamento e apoio para detentores de animais em risco”.

A criação deste serviço de assistência social revela-se, assim, importante na atuação junto de detentores de animais de companhia com dificuldades propícias ao abandono dos mesmos, mas depende do investimento do Estado nesta matéria — designadamente pelas verbas alocadas pelo Governo ao abandono animal, por forma a reforçar, ainda, uma política ativa de esterilização.

Além das das medidas de apoio aos animais abandonados já existentes, tais como o Programa Nacional de Apoio à Saúde Veterinária para Animais de Companhia em Risco, conhecido como Cheque Veterinário, concretizado pela própria OMV, com vista a ajudar, fundamentalmente, famílias carenciadas com animais domésticos, o bastonário vê na assistência social mais um mecanismo valioso para responder a este problema: “Esta intervenção em serviço social dirigido aos animais pressupõe um investimento por parte do Estado para solucionar o problema, e pode ser uma resposta social eficaz para o abandono dos animais de companhia em Portugal”.

 

11
Ago22

O saco de pano personalizável para ir às compras e ajudar associações

Niel Tomodachi

Seja Zulidário. É este o desafio da marca pet da Sonae, no âmbito do seu programa de responsabilidade social.

Zu, a marca pet da Sonae, fundada em dezembro de 2014, tem vindo a crescer fortemente ao longo dos últimos anos em todo o território nacional. Nas 40 lojas espalhadas pelo país, a marca reúne num só local tudo aquilo de que cães e gatos necessitam. Em cada uma delas encontrará produtos para as necessidades básicas, tais como a alimentação e a higiene, passando pelos cuidados de saúde veterinária e terminando em necessidades pontuais, tais como brinquedos, treinos e banhos e tosquias.

A marca do grupo do Continente tem também boxes específicas, como a Beauty Box (plano de cuidados de higiene e beleza) e a Health Box (plano de saúde anual, adaptado às necessidades do seu animal de estimação), e – pormenor importante – é solidária.

“Acreditamos em animais felizes e nos seus donos responsáveis. Acreditamos nestas relações especiais, nas quais um simples abanar de cauda ou um carinhoso ronronar são capazes de causar uma alegria imensa”, diz a marca na apresentação do seu programa Somos Zulidários.

Através deste programa, a Zu visa promover um conjunto de iniciativas de carácter social destinadas ao conforto de cães e gatos que se encontram ao cuidado de associações e abrigos de bem-estar animal.

Uma dessas iniciativas é a do Saco Zulidário – que surge da ambição de ajudar associações de apoio e bem-estar animal.

“Quantas vezes já demos por nós a pensar em como determinado cão ou gato é a ‘cara’ do dono? Através deste conceito materializámos o Saco Zulidário. Porque não somos assim tão diferentes, porque é muito mais o que nos une, com orgulho dizemos que os nossos animais de estimação são a nossa cara”, explica a marca.

Além da sua vertente de solidariedade social, o Saco Zulidário, que custa 3,5€ (e que pode depois pintar, personalizando-o assim ao seu gosto), tem ainda como objetivo a redução dos sacos de plástico nas lojas Zu. É fabricado em 100 por cento algodão, o que permite a sua reutilização e assegura a resistência necessária para suportar, por exemplo, um saco de alimentação ou de areia.

E como fazer para ajudar? Depois de comprar este saco, numa loja Zu ou na loja de animais do Continente online, sempre que o reutilizar numa das lojas Zu serão doados 0,50€, nas compras superiores a 5€, ao programa Somos Zulidários.

d76c37cc128c155e4a0b75bf3044f159.jpg

Este apoio reverterá em bens e serviços das lojas Zu. Assim, as associações, com o valor angariado, podem não só comprar produtos alimentares mas também aceder aos serviços veterinários da Zu.

Na página de Internet da Zu dedicada a este programa solidário pode encontrar uma lista com os nomes de 40 associações de proteção animal, de norte a sul do país, e basta escolher aquela que gostaria de ajudar. Pode votar até 31 de agosto para se elegerem as próximas associações que a marca vai ajudar.

O anterior Saco Zulidário, no primeiro ano da edição desta ação – entre outubro de 2020 e final de julho de 2021 -, foi um êxito. Foram vendidos 2.500 sacos e as suas reutilizações por parte dos clientes resultaram na doação de 1.800€ repartidos pelas três associações mais votadas – Associação Cantinho dos Animais de Beja, Associação Midas (Matosinhos) e Abrigo da Mãozinhas (antiga Associação dos Amigos dos Animais Abandonados da Moita).

d448c93d8d60cc51bd9cfea90ced9492.jpg

 

09
Ago22

Malü Pet Wear cria toalha de praia especial para cães

Niel Tomodachi

É a mais recente novidade da marca portuguesa que se especializa em acessórios (e não só) para animais de estimação.

Malü Pet Wear cria toalha de praia especial para cães

Para os dias quentes, em que o cão também o acompanha numa ida à praia (ou à piscina), a Malü Pet Wear lançou a novidade perfeita. Uma toalha, pensada para o seu animal de estimação, que se transforma em saco e, por isso, é fácil de transportar. 

Esta novidade da marca portuguesa, especializada em acessórios para cães e gatos, é uma edição limitada. Além disto, conta com um padrão exclusivo e muito colorido que "combina a 100% com as coleiras e trelas à prova de água", lê-se em comunicado, também criadas pela Malü Pet Wear. 

A toalha de praia está à venda em dois tamanhos, um pequeno e um grande, "para que se possa adaptar ao seu patudo". Os preços vão dos 36,99€ aos 42,99€.

Notícias ao Minuto

É um produto feito, artesanalmente, por isso, alguns aspetos podem variar ligeiramente. Está tudo disponível na loja online. 

 

09
Ago22

A Kanine Cookies produz snacks saudáveis para os animais e é amiga do ambiente

Niel Tomodachi

Há biscoitos, desidratados e gelados a fazerem sucesso. E ainda pode carregá-los numa bolsa feita de tecidos reutilizados.

Insatisfeita com a falta de oferta de snacks naturais para os animais no mercado, Luzia Martins, de 49 anos, resolveu começar a produzir os seus próprios. A tutora de Lua, uma Weimaraner de três anos, não poupou esforços para garantir uma alimentação mais saudável à “filhote” de quatro patas.

“Os cães da nossa família, tanto do meu filho quanto da minha filha, também já comiam comida natural”, começa a contar à PiT.  “Com este objetivo de lhes dar uma alimentação melhor, também queríamos dar melhores snacks do que os disponíveis industrialmente”, acrescenta.

No começo, os biscoitos e desidratados eram todos feitos para consumo próprio de Lua, Maui e Koa, o trio de patudos da família. No entanto, Luzia começou a pensar que, talvez, outros tutores partilhassem do mesmo pensamento e não estavam a ser atendidos pelo mercado. Assim, em março de 2021, criou a Kanine Cookies.

Inicialmente, a fundadora começou a disponibilizar para venda biscoitos e desidratados, sempre atenta às necessidades dos animais. “Há uma regra básica, os cães são carnívoros e essencialmente precisam de proteína e gordura animal”, explica. Enquanto os desidratados contam com “100% de proteínas”, os biscoitos requerem uma atenção maior.

Além do complemento de vegetais, a fundadora explica que os cereais também são uma base importante. No entanto, tiveram um “cuidado especial” na escolha. Os mais utilizados são a aveia e a farinha de arroz, pois garantem uma “fácil digestão”. No produto final, as quantidades utilizadas são apenas o necessário. “Colocamos o máximo de proteína e de vegetais, e o mínimo de cereais”, frisa.

Com a chegada do verão, a Kanine Cookies resolveu inovar a sua ementa. E assim, surgiu uma nova ideia: os gelados à base de iogurte. Os restantes ingredientes incluem mirtilos, maçã, banana,  morangos, manteiga de amendoim e mel.

As novidades mais frescas, porém, não param por ai. Há ainda os gelados de caldo de ossos, 100% naturais e repletos de benefícios. “Além de acalmar o estômago, o caldo de ossos também hidrata”, explica a fundadora. Estes podem ser mantidos no frigorífico e servidos gelados ou descongelados, sendo consumidos em forma de gelatina.

Os gatos também não ficam de fora. Apesar de o foco da marca ser os cães, Luzia frisa que os felinos também são clientes dos gelados de caldo de ossos e de alguns desidratados, como os de frango, petinga e sardinha.

 

 

O cuidado com o meio-ambiente

A alimentação saudável é algo que sempre esteve presente na vida de Luzia Martins. Desde cedo, a fundadora da Kanine Cookies esteve sempre atenta aos alimentos que consumia e preparava para os filhos.

“Sempre adorei cozinhar. Sempre fui aquela mãe que não comprava quase nada pré-feito ou enlatado”, conta à PiT. “Eu faço nossas granolas, faço os hambúrgueres vegetarianos e compro legumes frescos e preparo”, acrescenta.

Quando fundou a Kanine Cookies, para aprofundar o conhecimento de mercado, Luzia concluiu duas formações no Centro de Formação para Indústria Alimentar. A primeira, Higiene e Segurança Alimentar, teve como foco a aprendizagem de “regras e boas práticas” no dia-a-dia. Já a segunda, de Implementação e Aplicação do Sistema HACCP, foi essencial para aprender a realizar o “controle e registo de tudo que é comprado e vendido”, garantindo a segurança alimentar.

Atualmente, apesar de nem todos os ingredientes utilizados para os snacks serem biológicos, Luzia diz que sempre que possível, tenta ir “para este caminho”.

Por outro lado, além da alimentação natural ser fortemente defendida pela Kanine Cookies, o cuidado com o meio ambiente também é uma mais valia. Luzia disponibiliza boiões de vidros (com uma caução de 1€) para os tutores conservarem os snacks e adquirirem um novo (também reutilizado) quando forem fazer um novo pedido.

Há também disponível para compra as bolsas outdoors (no valor de 15€) para carregarem os snacks. A ideia surgiu em conjunto com Suzete, responsável pelo projeto Canela Cheia, que tem um “conceito de produção de artigos de costura com zero waste”. No seu interior, as bolsas outdoors são reaproveitamento de chapéus de chuva e no exterior, calças de ganga.

Os biscoitos variam entre 4€ e 6€, e os desidratados entre 4€ e 7,50€. Já 150 gramas de gelados podem ser adquiridos por 5€. As encomendas são feitas através do Instagram, basta enviar mensagem privada e escolher os produtos que deseja.

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Quotes:

“How wonderful it is that nobody need wait a single moment before starting to improve the world.” ― Anne Frank

Pesquisar

Nelson's bookshelf: currently-reading

Alfie - O Gato do Bairro
tagged: currently-reading

goodreads.com

2023 Reading Challenge

2023 Reading Challenge
Nelson has read 11 books toward his goal of 55 books.
hide

Arquivo

    1. 2023
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Afiliado Wook

WOOK - www.wook.pt

Comunidade Bertand

Afiliado Miniso

Read the Printed Word!

Em destaque no SAPO Blogs
pub