Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Little Tomodachi (ともだち)

Little Tomodachi (ともだち)

28
Jan22

"Birras" de Míriam Tirado

Niel Tomodachi

Conselhos e ferramentas para lidar com as birras com consciência, humor e amor.

Birras-WEB.jpg

Sobre o Livro:

«Com este livro, vou ajudá-lo a lidar com as birras do seu filho, mas também com as suas, para que não perca a cabeça e seja a mãe ou o pai que merece ser.»

Todas as crianças as fazem e todos os pais terão de as enfrentar mais tarde ou mais cedo… são as famosas BIRRAS, capazes de perturbar até mesmo o pai ou a mãe mais calmos, conscientes e respeitosos. Acessos de raiva, teimas e birras revelam o que há de pior em nós, e a tristeza e a sensação de fracasso são inevitáveis.

Míriam Tirado, consultora respeitada em parentalidade consciente, não pretende, com este livro, dar lições sobre como acabar com as birras, mas sim permitir-lhe encará-las como uma grande oportunidade de aprendizagem pessoal. Pode ser que lhe custe acreditar, mas as birras oferecem uma oportunidade de ouro para pais e filhos aprenderem e crescerem juntos.

Aproveitando o seu próprio processo de mãe de duas filhas e profissional educadora consciente, a autora acompanhá-lo-á para que possa educar os mais pequenos de forma mais serena, amável e sem dor… inclusive no meio de uma birra.

Míriam Tirado é uma das mais influentes e reconhecidas consultoras em parentalidade consciente a nível internacional.

 

Sobre a Autora:

Míriam Tirado é uma das mais influentes e reconhecidas consultoras em parentalidade consciente a nível internacional. Com mais de 90 mil seguidores no Instagram e mais de 39 mil subscritores no seu canal de YouTube, alguns dos seus vídeos superam as 100 mil visualizações. Dedica-se a ajudar mães e pais a conectarem-se com os filhos, por meio de sessões de consultoria, cursos, workshops, conferências e livros. É autora de vários livros, para adultos e infantis, além de jornalista especializada em maternidade, paternidade e parentalidade.
Míriam não se dedica apenas aos livros, também escreve no seu blogue e redes sociais. O seu objetivo é comunicar, de todas as formas possíveis sobre parentalidade, saindo do paradigma tradicional baseado no controlo e no medo. É que existe uma outra forma de criar os filhos: através da conexão, da consciencialização e do respeito.

 

28
Jan22

"O Rapaz da Fotografia" de Nicole Trope

Niel Tomodachi

Há seis anos, o filho de Megan foi raptado. Agora voltou. Mas já não é o mesmo.

image-1_b37e76e3-0671-4215-9158-37230964ea60_1024x

Sobre o Livro:

Uma inquietante viagem pela psique humana, com um final imprevisível.

Megan procura o seu filho Daniel desde que foi buscá-lo à escola e não o encontrou. Não há sinal dele nem do seu ex-marido. Os apelos que fez na comunicação social e online não deram em nada.

Seis anos depois, recebe um telefonema a informar que Daniel foi encontrado. O seu alívio e emoção são rapidamente temperados quando percebe que Daniel já não é a criança feliz de que ela se lembra. Está traumatizado e magoado, depois de ouvir muitas mentiras contadas pelo pai, entretanto falecido.

Daniel é pouco comunicativo e distante, embora deixe entrever, por vezes, a criança que um dia foi. Megan tem a certeza de que o filho sabe mais sobre a morte do pai do que dá a entender e que não percebe que o seu segredo pode destruir toda a família.

Um livro comovente, duro e inesquecível.

 

Sobre a Autora:

Nicole Trope

 

 

28
Jan22

Marcha do Orgulho LGBT está de regresso às ruas de Londres, 3 anos depois

Niel Tomodachi

O desfile marca o 50.º aniversário do primeiro evento que não se realiza desde 2019 devido à pandemia de Covid-19.

A última vez que a Marcha do Orgulho LGBT decorreu em Londres foi em 2019, há três anos. A pausa na realização do evento aconteceu devido à pandemia, uma vez que a festa junta habitualmente milhares de participantes. Este ano está de regresso às ruas da capital britânica.

Será um evento bastante especial. que incluirá a comemoração do 50.º aniversário da primeira edição. A efeméride levou os organizadores a pedirem ao governo para declarar 2022 como “o ano queer”.

A Marcha do Orgulho LGBT de Londres está marcada para o dia 2 de julho. Em 2022, os participantes vão desfilar lado a lado com os intervenientes na marcha UK Black Pride, que alerta para a desigualdade social sofrida pelas pessoas negras e pertencentes à comunidade. 

Os membros e apoiantes da causa LGBT+ também são convidados a fazer uma doação de qualquer valor monetário, através do site da marcha.

 

 

28
Jan22

Helpo: Apoie os deslocados de Cabo Delgado

Niel Tomodachi

272744699_10159509563228801_2608160892076055268_n.

O Audácio é uma das 235 crianças bolseiras que a Helpo apoiava nos estudos em Mocimboa da Praia, uma das aldeias de Cabo Delgado atacadas pelos insurgentes.

O Audácio tem 8 anos e, como centenas de milhares de outras crianças, não desistiu da vida e fugiu da sua aldeia para escapar à morte.

A Helpo também não desistiu do Audácio e reencontrou-o a 450 km de casa, em Pemba, para ter a certeza de que estava bem e de que a desistência escolar precoce não seria mais uma tragédia na sua vida.

No âmbito deste projeto de relocalização das famílias refugiadas da guerra, a Helpo já reencontrou 49 famílias, num total de 331 deslocados. O apoio financeiro da Helpo chega neste momento a 164 alunos deslocados na escola primária e 17 na secundária, para garantir a continuidade do percurso escolar e o sustento diário destas crianças.

Se também quer fazer parte da ajuda no longo caminho que estas crianças ainda têm pela frente, pode apoiar o nosso projeto fazendo um donativo para a conta de emergência da Helpo através do IBAN PT50 0010 0000 3483 3480 00619 ou da opção Ser Solidário no MB Way e Multibanco.

Todos podemos ajudar neste Caminho Longo

HELPO

 

28
Jan22

Pick My Hero: livros feitos de raiz, heróis à escolha

Niel Tomodachi

Maria Teresa Jorge deu vida à Pick My Hero, marca de obras infantis personalizadas. Cada protagonista é desenhado à medida, cada impressão é única, cada objeto é pessoal e intransmissível. Em papel reciclado e com ilustrações de aguarela.

Desde miúda que a sua cabeça não pára, sempre a inventar e a imaginar histórias. Passava-as para o papel, recortava figuras de revistas para colar, aos seis anos escrevia livrinhos para oferecer à mãe com alguns bonecos que fazia com traços-palito porque não tinha jeito para desenhar. O gosto manteve-se vivo. Mais tarde, personalizava livros para o filho pequeno, tudo ao redor servia de inspiração, o que ele imaginava, o que ele contava. As ofertas alargaram-se à família, sobrinhos e sobrinhos-netos (e já são 27). “Tinha pano para mangas”, brinca Maria Teresa Jorge.

Dos livros que fazia de raiz até ao projeto passaram-se alguns anos. O filho, hoje arquiteto e fotógrafo, confidenciou-lhe que esses livros foram as mais belas prendas que recebeu. A ideia começou a fazer sentido. Em junho de 2021, Maria Teresa Jorge colocou no mercado a Pick My Hero, marca de livros infantis personalizados em que o herói é quem se quiser. “É um objeto personalizado como uma toalha que mandamos bordar com as nossas iniciais”, comenta. Cada criança é a heroína da história com o seu nome estampado na capa e ao longo da narrativa.

Primeiro, escolhe-se a história, e há duas neste momento, “A árvore encantada” e “Aventura de Natal”. Depois, escolhe-se o herói, o nome e características, sexo, tom de pele, cor de cabelo. Seleciona-se o idioma entre seis opções: português, inglês, francês, alemão, espanhol e italiano. Opta-se por capa mole ou por capa dura e é possível adicionar uma dedicatória que surgirá na primeira página.

“A coisa que as crianças mais querem na vida é serem heróis”, diz. A autora quer promover a leitura, estimular a imaginação, o sonho e a amizade, com narrativas inspiradas em momentos da vida. Seja sentir a magia da Natureza num passeio pela floresta com o filho ou tudo o que pode acontecer numa noite estrelada com os olhos no céu ao lado da neta. Há sempre amigos nas histórias, como o Floppy que é corajoso, gosta de batidos de cenoura, e é ótimo a resolver mistérios.

As ilustrações são em aguarela pintadas à mão por Véronique Delauney, ilustradora francesa, autodidata. “Não sei desenhar e tinha o sonho de ter ilustrações de aguarela nos livros, como tinha na minha juventude, referências de infância. E era isso que queria reproduzir, ilustrações feitas à mão”, realça Maria Teresa Jorge. Procurou, encontrou, meteu-se num avião, conheceu a ilustradora cara a cara, apresentou-lhe o projeto, ficaram amigas.

O processo de produção é, em grande parte, manual. “Cada livro é uma impressão e acabou, um único livro feito para aquela única criança.” O papel é 100% reciclado. Maria Teresa Jorge preocupa-se com as questões ambientais, com a pegada ecológica, pensa no futuro desta e das próximas gerações.

Os livros estão à venda no website da marca, 26,99 euros em capa mole e 32,99 em capa dura sem portes de envio. Há mais histórias a caminho. Maria Teresa Jorge não esconde que é uma eterna criança que gosta de rir e de sonhar. E o que vê é sempre passível de se tornar numa história de encantar.

 

28
Jan22

Cinco dicas para ser mais sustentável na cozinha

Niel Tomodachi

Não tem de partir do 8 para o 80, mas há muito que pode fazer para uma cozinha mais amiga do ambiente. A ambientalista Joana Guerra Tadeu diz como.

cozinha sustentável

Sozinhas não salvamos o mundo, mas há muito que não estamos sozinhas nesta luta. Pequenas mudanças trazem grandes resultados e é precisamente nos pormenores que podemos fazer a diferença.

Se nos inspirarmos umas nas outras, se reproduzirmos hábitos mais conscientes e amigos do ambiente, teremos uma rotina mais sustentável e saudável, para nós, para o planeta, para a carteira. São só vantagens! Para nos ajudar a orientar neste caminho, a Women’s Health pediu à ecofeminista e ativista Joana Guerra Tadeu 5 dicas para ser mais sustentável na cozinha. Talvez já pratique algumas delas ou então nunca tinha pensado em pô-las em prática. Seja como for, conheça as sugestões da autora do site Ambientalista Imperfeita e seja mais verde.

 

1.Planear:

…o maior impacto ambiental do indivíduo advém do excesso de produtos de origem animal na alimentação e do desperdício alimentar. Crie um plano semanal de refeições maioritariamente vegetarianas e inclua um jantar de “limpeza do frigorífico”, em que se usam todos os vegetais que estão velhos ou prestes a estragar-s. Pode usá-los num salteado ou numa sopa, por exemplo; faça uma lista de compras que tenha em conta os legumes e frutas da época e evite comprar grandes quantidades.

Dica extra: coloque, no frigorífico, um recipiente com as palavras “Come-me primeiro”. É lá que vai colocando as sobras ou iogurtes quase fora do prazo.

 

2.Reutilizar:

Substitua todos os descartáveis por opções reutilizáveis, como guardanapos de papel por guardanapos de pano, película aderente por panos encerados ou café em cápsulas por café vendido a granel; aliás, o granel permite-lhe comprar café, chá, especiarias e vários grãos e feijões sem trazer embalagens que terão que ser recicladas. Um processo que também usa recursos finitos como água e energia; leve frascos para comprar produtos mais pequenos ou húmidos e sacos que já tenha para trazer pão, frutas e vegetais.

 

3.Conservar:

Aprenda os melhores truques de conservação de produtos frescos, congelados ou até conservados em vinagre; por exemplo, antes de as colocar no frigorífico, embrulhe folhas verdes em panos húmidos e submerja as cenouras em água; não misture as bananas com as outras frutas (sobretudo as maçãs, tendem a apodrecer mais depressa).

 
 

Use escovas de fibras naturais, fibra de côco ou lufas em vez de esfregões de plástico que poluem a água com micropartículas. E opte por detergentes sem químicos tóxicos para os meios aquático; se tiver máquina prefira-a a lavar a loiça à mão para uma utilização mais eficiente da água.

 

5.Circular:

Comece uma horta em casa, nem que seja com um vasinho de hortelã, e pondere começar a fazer compostagem; conhecer de perto o ciclo de vida dos nossos alimentos ajuda-nos a respeitá-los e valorizá-los mais; espreite, no instagram, @hortas_lx para dicas sobre como ter uma horta na cidade e @mudatuga para aprender a compostar num apartamento.

 

27
Jan22

Minnie ‘pendura’ o vestido vermelho e veste blazer azul. E há duas razões

Niel Tomodachi

Visual especial tem a assinatura da designer Stella mcCartney e pretende evocar duas datas: os 30 anos da Disneyland Paris e o mês da Mulher, que se assinala em março. Veja a nova Minnie

Minnie stella

Uma verdadeira revolução no guarda-roupa. A icónica personagem da Disney Minnie acaba de pendurar o vestido vermelho e de o trocar para um coordenado com blazer e calças em azul real. Uma nova apresentação da personagem – que não perde o laço, apenas muda de cor e padrão – que tem assinatura da designer britânica Stella McCartney.

A mudança de visual foi apresentada a propósito da celebração dos 30 anos da Disneyland Paris e viverá o seu ponto alto em março por ocasião do mês da História da Mulher e do Dia da Mulher, que se assinala a 8 de março.

Aliás, este detalhe inspirou a criação deste power look. “Mal posso esperar para mostrar este visual no Walt Disney Studios Park”, afirma aos meios de comunicação Stella McCartney, que crê que esta nova reinterpretação das célebres polka dots transforma Minnie “num símbolo de progresso para uma nova geração”.

[Fotografia: Twiiter/Disneyland Paris]

“A Minnie sempre teve um lugar especial no meu coração”, revelou a designer aquando da apresentação do novo look, considerando que “partilhava” com a personagem da Disney “os mesmos valores”. “O que eu gosto na Minnie é o facto de que ela incorporar a felicidade, autenticidade e de ela inspirar pessoas de todas as idades, em todo mundo. E tem um ótimo estilo”, referiu Stella McCartney.

 

27
Jan22

De 30 de janeiro até junho vai poder andar de bicicleta no Aqueduto das Águas Livres

Niel Tomodachi

Esta obra da engenharia hidráulica tem 14 quilómetros de extensão e foi construída entre 1731 e 1799. Os passeios são gratuitos.

O fim de semana é, por excelência, a melhor altura para recuperar energias após vários dias de trabalho. Pode, também, ser a oportunidade de experimentar coisas novas e, assim, quebrar a rotina a que as obrigações do quotidiano muitas vezes obrigam. Se ainda não tem planos para o próximo domingo, dia 30 de janeiro, não precisa procurar mais.

O Museu da Água, gerido pela EPAL, vai permitir passeios de bicicleta sobre o Aqueduto das Águas Livres, que tem 14 quilómetros de extensão. Os passeios são possíveis das 10h às 13h e, até junho, estão sempre disponíveis no último domingo de cada mês.

A travessia, que não exige marcação prévia — basta aparecer com a sua companheira de duas rodas — passa pelo Vale de Alcântara sobre os conhecidos arcos deste importante marco arquitetónico da capital, com entrada em Campolide e saída em Monsanto, pelo passeio norte. A iniciativa, com o apoio da organização de Lisboa Cidade Europeia do Desporto 2021, é gratuita e oferece uma das melhores vistas para a cidade, que pode apreciar sozinho ou em família.

Construída entre 1731 e 1799, esta obra notável da engenharia hidráulica atingia, dentro e fora de Lisboa, cerca de 58 quilómetros de extensão em meados do século XIX, informa a EPAL. O sistema, que resistiu ao terramoto de 1755, tem início em Belas e término nas Amoreiras; vários troços secundários de transporte de água a partir de 60 nascentes; e cinco galerias para abastecer 30 chafarizes. A arcaria sobre o Vale de Alcântara, que se estende por 941 metros, é composta por 35 arcos. Entre estes encontra o maior arco em ogiva, em pedra, do mundo, com 65,29 metros de altura e 28,86 metros de largura.

 

27
Jan22

Livros/Todos queremos ser bons cidadãos

Niel Tomodachi

Dia 30 de janeiro, há eleições no nosso país: são eleições legislativas, ou seja, os portugueses vão votar para escolher os novos deputados que formarão a próxima Assembleia da República.

Votar é um direito muito especial que todos devemos fazer por cumprir. Votar é uma das condições para se ser um bom cidadão/ uma boa cidadã. A participação ativa na vida da nossa sociedade deve interessar-te. Quem sabe se um dia não serás tu um(a) deputado(a) na Assembleia da República? Ou candidato(a) a Presidente da República?

Propomos-te livros que contam histórias com bons exemplos de cidadania. E de ativismo em defesa de bons ideais democráticos.

 

PORTUGUESAS EXTRAORDINÁRIAS

 

A escritora Maria do Rosário Pedreira escolheu grandes nomes da vida portuguesa para contar as suas vidas exemplares. Na lista, encontramos, pelo menos, 25 nomes de mulheres que deixaram marca no Portugal da sua época por diferentes razões: foram atrizes, escritoras, políticas, camponesas, operárias, comerciantes… Ao longo da História, várias foram aquelas que se rebelaram contra convenções e obstáculos, lutadoras que conseguiram feitos incríveis. Em suma, exemplos de boa cidadania!

As biografias vêm acompanhadas de ilustrações muito originais de Elsa Martins. Há ainda curiosidades e factos históricos fascinantes que não te aborrecerão, de certeza.

Espreita aqui um excerto da obra.

 

SOMOS OS 99%

 

Gonzalo Suarez dirige-se às crianças e adolescentes numa linguagem muito acessível para abordar temas atuais de que ouves falar na escola, nos meios de comunicação social (televisão, rádio, imprensa) e que o JN TAG também trata: a desigualdade de condições de vida das pessoas no mundo, onde a distribuição de riqueza é injusta, pelo que há casos em que os muito ricos (1%) decidem e comandam a vida dos muito pobres (os tais 99%). E isso compromete as oportunidades de um futuro realizado e risonho para os jovens que estão entre esses 99%….  Sabias que 1 em cada 5 jovens não consegue terminar o 1.º ciclo ou que bastava ¼ da comida que é desperdiçada por ano para se alimentar 800 milhões de pessoas que estão a passar fome?

Então, segue as viagens de bicicleta de 5 personagens e as suas histórias: encontrarás informação útil sobre a sustentabilidade e partilharás um pouco dos sentimentos de dor e de aflição de pessoas atingidas pelas desigualdades deste mundo, para sentires vontade de reagir, abraçando, por exemplo, o voluntariado. Também se fala de racismo, desemprego, exploração, trabalho infantil, de alterações climáticas, de emigração…. são muitos os temas que te farão pensar. O livro tem ilustrações atrativas e ajuda-te a descobrir maneiras de seres um bom cidadão ou uma boa cidadã, reagindo e agindo para que a distribuição de riquezas e oportunidades seja mais igualitária, justa.

 

RAÍZES NEGRAS

 

A escritora Lúcia Vicente escreve sobre as vidas dos grandes nomes da História e da cultura de raça negra que fizeram e fazem a diferença.

De Martin Luther King a Marielle Franco, de Cesária Évora a Barack Obama, este livro inclui mais de 50 histórias biográficas de pessoas excecionais e pioneiras – algumas icónicas, outras menos conhecidas – que levantaram questões, ultrapassaram barreiras, abriram caminhos, superaram expectativas e inspiraram gerações. São exemplos de coragem, perseverança e liderança que não deixam esquecer como chegámos ao seculo XXI e que nos lembram que podemos e devemos fazer um pouco mais para melhorar o mundo.

A leitura deste livro será, certamente, um bom ponto de partida para ficares bem informado(a) e ganhares consciência crítica e respeito pelas diferenças raciais, combatendo a discriminação.

 

A REVOLUÇÃO

 

Este livro parece ser muito “fora”, mas fala de esperança, de sonhos de um mundo melhor e das possibilidades de realização que, às vezes, estão mesmo ao nosso lado. Foi escrito por Slawomir Mrozek , um dramaturgo polaco já falecido, e traz desenhos do Tiago Gala.

Lê o texto que se segue, do conhecido escritor português Afonso Cruz, sobre o conteúdo de “A Revolução”, pois é bem elucidativo do que encontrarás no livro:

“Será possível adormecer dentro de um guarda-roupa e acordar num mundo melhor? Esta é a história de um homem que, durante um tempo, acreditou que sim. Por vezes, surge um livro que coloca em causa os nossos ideais e que nos faz questionar se as nossas esperanças não serão maiores do que a mobília que temos em casa. Talvez cheguemos à conclusão de que o que nos move não é uma ideia grandiosa, mas simplesmente algo que cabe numa gaveta ou num armário. Ou a descobrir que, por essas ideias que cabem no interior da nossa mobília, não estamos dispostos a sofrer nenhum tipo de desconforto nem a fazer qualquer sacrifício. No final, poderão os sofás derrotar as utopias?”

 

Boas leituras!

 

(S)

26
Jan22

"As Costureiras de Auschwitz" de Lucy Adlington

Niel Tomodachi

A história real das mulheres que para sobreviver costuraram para a elite nazi

60107173.jpg

Sobre o Livro:

A poderosa história das mulheres que usaram as suas técnicas de costura para sobreviver ao Holocausto, costurando roupas para a elite nazi, no salão de moda do campo de concentração de Auschwitz.
No auge do Holocausto, 25 jovens prisioneiras do campo de concentração de Auschwitz-Birkenau desenharam, cortaram e coseram elegantes peças de vestuário para as mulheres da alta sociedade nazi. Um trabalho que, esperavam, as salvaria das câmaras de gás.

Este salão de moda, denominado Ateliê de Alta-Costura de Auschwitz, foi criado por Hedwig Höss, a mulher do comandante do campo e funcionava a poucos metros de distância do bloco de interrogatórios onde se torturavam prisioneiros. Das mãos destas 25 jovens saíram maravilhosas peças de roupa que fizeram brilhar as senhoras da elite nazi em Berlim.

Quando a historiadora Lucy Adlington se encontrou pela primeira vez com Bracha Kohút, a última costureira sobrevivente, sentiu a história ganhar vida e expõe a ganância, crueldade e hipocrisia.

 

Sobre a Autora:

Lucy Adlington é escritora, atriz e historiadora, e uma ávida colecionadora de peças de roupa vintage.
Os seus romances para jovens foram nomeados para vários prémios como a Carnegie Medal, o Manchester Book Prize, o Leeds Book Prize e o Rotherham Book Award.
Quando não está confortavelmente sentada no seu sofá, a ler e a escrever, Lucy gosta de passear por feiras e pequenos mercados em busca de tesouros com história.
Vive numa quinta no norte de Inglaterra com o marido e um gato.

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Quotes:

“How wonderful it is that nobody need wait a single moment before starting to improve the world.” ― Anne Frank

Pesquisar

Nelson's bookshelf: currently-reading

Alfie - O Gato do Bairro
tagged: currently-reading

goodreads.com

2023 Reading Challenge

2023 Reading Challenge
Nelson has read 11 books toward his goal of 55 books.
hide

Arquivo

    1. 2023
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Afiliado Wook

WOOK - www.wook.pt

Comunidade Bertand

Afiliado Miniso

Read the Printed Word!

Em destaque no SAPO Blogs
pub