Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Little Tomodachi (ともだち)

Little Tomodachi (ともだち)

31
Mar21

"Os Seis Segredos da Inteligência" de Craig Adams

O que a sua educação não conseguiu ensinar-lhe

Niel Tomodachi

350x (11).jpg

Sobre o Livro:

Que significa «como pensar»? Significa saber distinguir factos de opiniões, saber distinguir quando a linguagem é utilizada para nos afastar do que é importante.
Há mais de 2000 anos o grande pensador da Grécia antiga, Aristóteles, tinha já descoberto o modelo da mente humana. As mais recentes descobertas da ciência cognitiva demonstram que o modelo de Aristóteles se aplica à subtileza de pensamento, à capacidade de pensar bem. No entanto, até hoje temos usado um modelo educativo demasiado simplista.

Usando o modelo de Aristóteles condensado em seis segredos, o autor revela-nos os padrões para todos os debates e discussões e ensina-nos a não nos deixarmos manipular, independentemente do tópico em debate. Livro muito importante para o tempo em que vivemos, com ele conseguiremos contornar os social media e as fake news. Seguindo os três princípios fundadores da escola aristotélica - dedução, indução e analogia - e combinando-os com os três princípios da verdade - realidade, significado e evidência -, estaremos preparados para argumentar sobre qualquer tema.

 

Sobre o Autor:

Craig Adams especializou-se em Linguística e Línguas Modernas na Universidade de Oxford.
Trabalhou como editor de não-ficção na Penguin, na Profile Books e na HarperCollins, antes de ouvir o apelo inspirador da educação e do ensino. Dececionado por ser obrigado a seguir um plano de estudos que o obrigava a ensinar aos seus alunos tudo menos as ideias mais importantes, deixou a carreira de professor para escrever o livro Os Seis Segredos da Inteligência.
Vive em Londres.

 

31
Mar21

Monopólio prepara mudança única (e vão ser os fãs a decidir o que aí vem)

Niel Tomodachi

A Hasbro desafia fãs de todo o mundo a escolherem as novas cartas da Caixa da Comunidade.

aa1c038f54cabcc5827e43544985afcd-754x394.jpg

São já 85 anos de um jogo icónico, em que a fortuna se faz de sorte e estratégia. O Monopólio é um jogo de tabuleiro que tem atravessado gerações e é uma das mais bem sucedidas apostas da Hasbro. O momento, porém, é de mudança.

Pela primeira vez na história do jogo, todas as famosas cartas da Caixa da Comunidade, que em muitos casos podem decidir o rumo de um jogo, vão ser alteradas. E a Hasbro vai passar para os fãs do jogo a possibilidade de decidirem o que aí vem.

Até 9 de abril, a comunidade de jogadores vai votar online as suas preferências. A votação já está a decorrer e o modelo é muito simples: vai ter de escolher a sua favorita entre as opções disponíveis. As 16 futuras cartas da Caixa da Comunidade vão fazer parte de uma nova edição do jogo a ser lançada em setembro deste ano, adianta-se em comunicado.

As hipóteses disponíveis refletem já os tempos atuais, desde um extra que se pode faturar por tratar voluntariamente das redes sociais de uma entidade, até um extra que se vai ter de pagar porque a festa que se organizou não incluiu reciclagem.

Ao longo dos anos, o Monopólio tem-se adaptado aos mais diversos cenários mas tem contado também com edições especiais, desde uma versão em que as mulheres ganham mais, o “Ms. Monopoly”, a uma para millennials que não foi especialmente bem recebida. Desta vez são mesmo as recompensas e despesas extra das famosas cartas da Caixa da Comunidade que estão em jogo.

 

31
Mar21

Djaimilia Pereira de Almeida, Houellebecq e Joseph Roth nas livrarias

Niel Tomodachi

Um romance de Joseph Roth, com quase um século mas inédito em Portugal, vai ser publicado em abril, mês em que chegam também novos livros de Sally Rooney, Djaimilia Pereira de Almeida, Michel Houellebecq e Eduardo Halfon.

naom_582defa5d4903.jpg

'A Rebelião' é o título do romance de Joseph Roth publicado originalmente em 1924 e que chega agora a Portugal, editado pela Cavalo de Ferro, que prossegue a publicação, a partir dos originais, dos romances essenciais do escritor austríaco.

A história é um retrato de uma sociedade austríaca profundamente humilhada, fraturada e perdida, cuja opressiva e burocrática máquina estatal continua a controlar de forma cega os destinos dos cidadãos.

A Alfaguara vai publicar mais um livro do escritor francês Michel Houellebecq, 'Plataforma', romance original de 2001 que "abalou França pela visão provocadora do cinismo e do desamor a que chegou a sociedade ocidental".

A escritora portuguesa Djaimilia Pereira de Almeida chega também com um novo romance, 'Maremoto', editado pela Relógio d'Água, que vai publicar também o conto 'Sr. Salário', da escritora irlandesa Sally Rooney.

'Vita Nova', de Louise Gluck, coleção de poesia da vencedora do Nobel de Literatura de 2020, traduzida por Ana Luísa Amaral, 'Correspondência entre Agustina Bessa-Luís e Juan Rodolfo Wilcock', com prefácio de Ernesto Montequin, 'Diário da Peste', de Gonçalo M. Tavares, e 'Fahrenheit 451', de Ray Bradbury, em versão romance gráfico, com ilustrações de Tim Hamilton, são outras novidades desta editora.

'Luto', do escritor guatemalteco Eduardo Halfon, vencedor de vários prémios literários, entre os quais o de melhor livro estrangeiro em França, vai ser publicado pela Dom Quixote.

Neste romance, o autor regressa ao universo que tem vindo a construir em torno da personagem chamada Eduardo Halfon -- que pode ou não ser o autor -- e da história da sua família, centrando-se no lado paterno da família: emigrantes judeus libaneses que se radicaram nos EUA e na Guatemala.

A Dom Quixote traz ainda o regresso de Patrícia Reis ao espaço literário com 'Da meia-noite às seis' e 'A cadela', da colombiana Pilar Quintana, finalista do National Book Award 2020, bem como as reedições do primeiro livro de John le Carré, 'Chamada para o morto', e do último do japonês Shusaku Endo, 'Rio profundo'.

A Casa das Letras vai publicar 'Os Amores do Senhor Nishino', de Hiromi Kawakami, uma das escritoras contemporâneas mais populares no Japão, que trata o tema do amor nas suas mais variadas facetas, desde a inclinação amorosa à paixão doentia, passando pelo amor de sangue entre irmãos.

A Companhia das Letras estreia em Portugal Jefferson Tenóio, nova voz no panorama da ficção literária brasileira, com 'O avesso da pele', um romance sobre as relações entre pais e filhos, mas também sobre um país sulcado pela segregação e pela pobreza.

A mesma editora publica um novo livro de Afonso Cruz, 'O vício dos livros', com ilustrações do autor, uma colheita de relatos históricos e curiosidades literárias, de reflexões e memórias pessoais.

No próximo mês, chega também às livrarias 'Despertar os Leões', um novo romance da escritora israelita Ayelet Gundar-Goshen - autora de 'Só uma Noite, Markovitch' -, com tradução direta do hebraico e editado pela Elsinore.

Esta é uma história sobre um médico que acidentalmente atropela um refugiado eritreu e foge em pânico, que "desafia os leitores a confrontarem-se com os seus próprios valores e preconceitos".

A Antígona lança 'A Aparência das Coisas', uma compilação de ensaios e artigos escolhidos do critico de arte inglês John Berger, escritos na década de 1960, e o ensaio 'O apoio mútuo -- Um fator da evolução', obra do anarquista russo Piotr Kropotkine, a assinalar o centenário da sua morte.

Outa aposta desta editora é o romance 'Dos nossos irmãos feridos', que valeu a Joseph Andras o Prémio Goncourt para primeiro romance, em 2016, mas que o autor recusou, alegando que a sua "conceção de literatura não é compatível com a ideia de competição, e a concorrência e a rivalidade são alheias à escrita e à criação", e também porque sempre preferiu o anonimato.

Trata-se de uma história sobre o "caso verídico de Fernand Iveton, 'pied-noir' executado durante a Guerra da Argélia, em novembro de 1956: um castigo que se pretendia exemplar e um aviso a todos os europeus que tomassem o partido dos colonizados e do anticolonialismo", descreve a editora.

'Antes que o Café Arrefeça', romance de estreia do autor japonês Toshikazu Kawaguchi, é a proposta da Presença para abril na área da ficção.

A Quetzal vai colocar à venda um novo livro de Maria do Rosário Pedreira, 'Adeus futuro', que reúne os seus textos publicados numa crónica semanal no Diário de Notícias e no blogue pessoal, As Horas Extraordinárias, sobre temas tão diversos como a queda do Muro de Berlim, o Brexit, o Acordo Ortográfico, a descrição dos dias da adolescência, a religião, a crise do ensino das Humanidades, o fado ou a crise ambiental.

'Sobreviventes' é o romance que a Porto Editora vai lançar, da autoria de Alex Schulman, sobre o reencontro de três irmãos, após a morte da mãe, que traz velhos traumas à superfície, aumentado a tensão entre eles.

Pelas Edições 70 será publicado 'Conselho da Revolução (1975-1982)', David Castaño e Maria Inácia Rezola, a "única obra até à data sobre um órgão que moldou o regime pós-25 de Abril e garantiu a consolidação da democracia em Portugal", segundo a editora.

A mesma editora vai lançar, pela primeira vez em Portugal, 'Antropologia e Vida Moderna', de Franz Boas, "o livro que revolucionou a antropologia há quase 100 anos (ao desmontar teorias como a da supremacia racial ou da eugenia)", uma obra "mais atual do que nunca".

A Tinta-da-China, que está a "tentar avançar com calma" no plano da retoma dos lançamentos, vai publicar um único livro em abril: 'O Reino', de Emmanuel Carrère, com tradução de Ana Cardoso Pires.

 

31
Mar21

Os brinquedos também se reciclam: vê como fazer

Niel Tomodachi

brinquedos.jpg

Como já sabes, o Planeta está em apuros: excesso de poluição, de químicos e de plásticos ameaça espécies, biodiversidades e gerações futuras.

E o problema está em todos os lugares, mesmo nos mais inesperados. Por exemplo, grande parte dos brinquedos são fabricados a partir de uma mistura de diferentes materiais, o que torna difícil a sua reciclagem no sistema de gestão dos resíduos – mesmo que a maioria do plástico e dos materiais de que são feitos sejam recicláveis.

Por outro lado, tem aumentado o número de brinquedos com plástico de baixa qualidade, normalmente oferecidos como brinde e com pouca durabilidade. Assim, todos os anos, enquanto são vendidos em Portugal 270 milhões de euros em novos brinquedos, pelo menos 30 milhões de unidades acabam em aterros ou são incineradas.

Surgiu, por isso, um projeto que quer alertar a comunidade, as forças políticas e as empresas para estas situações. E, num lado mais prático, ajudar-te a reciclar, devidamente, os brinquedos que já não usas.

Chama-se Projeto Replay. As famílias portuguesas são desafiadas a realizar quatro passos em casa: selecção de brinquedos, desmontagem, contabilização e entrega. Os brinquedos desmontados e classificados por material podem ser depositados até maio de 2021 em vários pontos de entrega Replay nos cinco municípios parceiros (Figueira de Castelo Rodrigo, Porto, Cascais, Lisboa e Évora).

O plástico recolhido será encaminhado para cinco laboratórios Precious Plastic, nas cidades aderentes. Depois, estudantes de design de produto da Escola Superior de Artes e Design em Matosinhos e da Universidade de Évora serão desafiados a apresentar propostas para o desenvolvimento de um novo brinquedo – e a proposta vencedora será eleita através de um concurso. A última etapa estará nas mãos da Precious Plastic Portugal, a quem caberá a produção do novo brinquedo.

O resto do plástico vai ser enviado para a empresa Extruplás, que o irá transformar numa nova peça para parques infantis. Os componentes eletrónicos e pilhas serão enviados para o Electrão. Os restantes materiais – como metal, borracha, cartão e tecido – serão encaminhados para os diferentes fluxos de reciclagem nacionais e locais ou oportunidades de upcycling (criação de novos produtos).

Este projeto piloto, promovido pelo Zero Waste Lab e pelo Precious Plastic Portugal com o apoio do Novo Banco, veio assim desenvolver a primeira rede de recolha e triagem de brinquedos em fim de vida e a sua transformação em novos brinquedos.

Podes conhecer tudo sobre o projeto e saber onde entregar os teus brinquedos na sua nova plataforma online.

(S)

31
Mar21

"Antes Que o Café Arrefeça" de Toshikazu Kawaguchi

Niel Tomodachi

Novidade Abril de 2021

350x (2).jpg

Sobre o Livro:

O que faria se pudesse voltar atrás no tempo?
Um romance tocante e inspirador.

Um rumor circula por Tóquio. Escondido num pequeno beco da cidade, dentro de uma cave, há um café com mais de cem anos. Com uma chávena bem quente, se nos sentarmos no lugar certo, oferecem-nos algo mais: a hipótese de voltar ao passado. Em Antes Que o Café Arrefeça, acompanhamos as viagens de quatro mulheres que procuram regressar a momentos determinantes das suas vidas para os mudar: falar com o namorado que partiu, ler a carta do marido com Alzheimer, ver a irmã pela última vez e conhecer a filha que nunca viu. Mas as viagens no tempo têm condições e riscos… e nada do que façam vai alterar o presente.

Uma mesa, um café e uma decisão.
Uma história sobre o amor, o tempo perdido e as oportunidades que o futuro nos reserva.

 

Sobre o Autor:

Toshikazu Kawaguchi

 

31
Mar21

Em nome dos animais, Sara criou a primeira plataforma de viagens Pet Friendly

Niel Tomodachi

A Tails Travel visa facilitar a vida de todos os donos de animais para que preparar uma viagem "deixe de ser uma dor de cabeça".

48cd2e917837982d91d6ab4352c6b587-754x394.jpg

Quantas vezes os donos de animais se deparam com esta dúvida, na hora de marcar férias: “ok, e agora o meu animal?”. Levar consigo, implica garantir de antemão que todos os locais por onde vai passar são pet friendly, sendo que muitas vezes é tarefa quase impossível ter a certeza; deixá-lo para trás, além de poder ser difícil para si, implica arranjar algum lugar ou pessoa que tome conta dele. E se em vez de um, tiver seis animais?

Sara Bastos, agora com a alcunha de Sara Tails, tem 28 anos e trabalha com animais há mais de dez. Há vários anos que viajar com os seus seis cães, que para ela são como filhos, se tornou, explica à NiT, numa tarefa exaustiva: não pela viagem em si, mas pelo que custava a organizar a mesma.

“Horas de pesquisa de alojamentos e sítios pet friendly e muitas vezes não dava em nada apesar de múltiplas plataformas afirmarem que os alojamentos eram pet friendly. Ou muitas surpresas na hora do pagamento devido a taxas extras”, adianta.

Sara tinha um problema, e procurou uma solução. “Pensei que teria de haver uma solução, nos dias de hoje os animais são os filhos de muitas pessoas, são os melhores amigos e são família, então porque será tão difícil inclui-los nas minhas viagens? Tem de haver uma solução, se não, temos de arranjar algo”. Assim depois de vários esboços, rascunhos e noites ao computador nasceu a Tails Travel.

Chegando à parte de avançar com a startup, pediu ajuda a quem mais confiava. “Sozinha ia dar em maluca com todo o trabalho então lembrei-me de convidar mais quatro mães de cães e felinos que sabia que tinham a mesma aflição e que já estavam na área pet”, explica-nos.

Foram assim “cinco mulheres empreendedoras a escrever, mandar e-mails, a programar e a editar, muitos cães  e muitos gatos de um lado para outro” e dia 21 de março nascia a Tails Travel. “A primeira plataforma de serviços pet friendly e para pets em Portugal”, frisam.

A Tails Travel tem como objectivo facilitar a vida dos tutores de animais e permitir que encontrem o que precisam para o seu pet num clique. Permite viajar na companhia do seu melhor amigo tendo acesso a um motor de pesquisa que permite filtrar inclusive por peso, número e espécie aceite. 

Numa altura em que a economia do País se encontra debilitada, Sara e as amigas pretendem ajudar os animais, ajudar os donos de animais, mas também “promover empresas da área turística e negócios na área pet”, para dar a conhecer Portugal numa nova vertente, a vertente pet friendly. “Convidamos todos os empresários que tenham um negócio pet friendly ou na área pet a falarem com a nossa equipa”, frisa.

O modelo de negócios é simples: funciona no fundo com planos de subscrição para as empresas, onde os valores começam nos 9,99€ por mês. “Todos aqueles que usufruírem dos serviços da plataforma terão o seu tempo de pesquisa rentabilizado, uma vez que, terão acesso a uma informação compactada, íntegra e coesa, através da experiência seamless”.

Visa assim responder à necessidade real de facilitar e promover um estilo de vida na companhia dos companheiros de quatro patas, e também, da expectativa de divulgação de espaços que aceitem animais. No fundo, a promoção de momentos inesquecíveis entre donos e melhores amigos.

Tem, por isso, também uma importante vertente de partilha e intercâmbio de sugestões e experiências.

No site, qualquer pessoa pode acrescentar locais onde costuma ir com os animais, como parques, jardins, praias pet friendly, parques naturais; bastando entrar na plataforma e subscrever ao explorer plan gratuitamente para depois submeter o local.

E inclui ainda roteiros: onde os utilizadores da plataforma podem enviar um e-mail e a equipa organiza um roteiro turístico de acordo as necessidades dos clientes, seja uma aventura no campo, um passeio citadino ou mesmo um retiro espiritual. O preço ronda os 20€.

Finalmente, a Tails Travel tem também serviços de consultoria em que apoia empresas turísticas que se queriam tornar em empresas pet friendly e não saibam por onde começar.

No final de contas, a plataforma quer “fazer uma ponte entre empresas e tutores de animais para que possam usufruir de mais tempo com a sua família”.

É por isso a primeira plataforma a nível nacional que reúne um amplo conjunto de serviços pet friendly, desde alojamentos a experiências turísticas, bem como de serviços para animais, sendo que amplia-se no seu blogue com os conteúdos ligados à área animal, para os interessados e fãs de animais. Os visitantes da plataforma têm também à sua disposição um serviço online de veterinário 24 horas.  

Quando a expansão em Portugal estiver firmada, o mundo é o limite: uma das ambições da plataforma é internacionalizar-se e atingir o maior número de pessoas possível; e por isso, já pode ser consultada em diferentes idiomas, como o inglês, espanhol, francês e alemão.

 

31
Mar21

Amnistia Internacional: Se gosta de finais felizes ajude com o seu IRS

Niel Tomodachi

GIF_topoEmail_IRS2021.gif

Começa já em abril a entrega da declaração de IRS e este momento tem mais poder do que talvez imagine. Cada um de nós pode escolher, sem qualquer custo, doar à Amnistia Internacional 0,5% dos impostos que de outra forma ficam para o Estado. Basta colocar o NIF: 501 223 738

Nós prometemos fazer bom uso do seu IRS!

1) Vamos investigar as mais grosseiras violações de direitos humanos, onde quer que ocorram.
2) Vamos denunciá-las, por mais dolorosas que sejam.
3) Vamos mobilizar o mundo inteiro, se for preciso, com campanhas e ações, para garantirmos finais felizes como o de Annie Alfred. Lembra-se dela?

:::

Quase a completar 60 anos de existência, precisamos de si para manter a vela acesa. São apenas 3 passos muito simples. Veja aqui. Para nós, e para milhares de pessoas, é a possibilidade de mudarmos vidas. Podemos contar consigo e com 0,5% do seu IRS?

https://www.amnistia.pt/irs2021/

 

31
Mar21

Receita de camisolas lançadas em Viana do Castelo apoia a Cultura

Niel Tomodachi

As receitas da venda de camisolas criadas em Viana do Castelo, inspiradas em bonecas da Guatemala e produzidas em algodão orgânico em Guimarães vão reverter para a União Audiovisual, que ajuda famílias de profissionais da cultura, foi hoje divulgado.

naom_60643213b6de3.jpg

Em declarações à agência Lusa, a promotora do projeto World You Need is Love, Sofia Meireis Alves, explicou que as "'t-shirt' sustentáveis e solidárias, para mães e filhos, são inspiradas nas Bonecas da Preocupação feitas por artesãs da Guatemala".

As camisolas, em algodão orgânico, "têm estampado o desenho de várias Bonecas da Preocupação com frases como "No More Worries, We Are The Cure".

"As 't-shirts' são feitas em parceria com a marca portuguesa Giigi, mas somos nós que vamos doar parte do dinheiro da venda das camisolas criadas em Viana do Castelo à Associação Audiovisual", explicou a empresária de São Romão do Neiva, na margem esquerda do rio Lima.

A União Audiovisual é uma associação surgida durante a pandemia, que presta apoio alimentar a profissionais da Cultura que ficaram em situação de vulnerabilidade social por consequência do cancelamento massivo das atividades culturais.

As camisolas estão "à venda na loja 'online' do projeto World You Need is Love, custam 29,90 euros, sendo que cinco euros revertem para a Associação Audiovisual.

A "Loja do Cabaz" inclui produtos alimentares ?vegan', vinhos nacionais, artigos para casa entre outras propostas.

Sofia Meireis Alves explicou que, "segundo uma lenda dos povos Maias da Guatemala, antes de dormir devem-se contar os problemas que afetam cada um a estas bonecas, colocando-as depois debaixo da almofada, sendo que, desta forma, as bonecas ficam com esses problemas".

"Num ano em que os níveis de ansiedade dispararam, por causa da pandemia de coviud-19, muitos pais partilharam a importância destas bonecas que se tornaram aliadas dos seus filhos, na hora de exteriorizar os sentimentos", sublinhou a empresária.

No último Natal, contou Sofia, a venda das Bonecas da Preocupação, com um custo de 5,90 euros foi "um sucesso" como "presente para muitos adultos que as usam como amuleto" e acabaram por "inspirar a criação das 't-shirt' sustentáveis e solidárias", agora para "ajudar a Associação Audiovisual".

O projeto World You Need is Love é uma loja 'online' que vende "só vende produtos sustentáveis, feitos à mão por artesãos da Tailândia ao Nepal, passando por Indonésia, Timor, Índia, Sri Lanka e em breve Peru".

O projeto nasceu na sequência de uma viagem ao mundo, que a empresária e o marido, Ivo Tavares, fizeram em 2017, "fotografando, gratuitamente, casamentos nos países que visitaram".

"Pelo caminho testemunhamos muito amor, mas também injustiças e desigualdades, por isso criamos a loja para dar uma oportunidade a artistas de todo o mundo exporem os seus produtos ao mercado português. Quem compra nossa loja sabe que está a apoiar o consumo consciente, garante a continuidade a pequenos negócios e ajuda muitas vezes projetos que apoiam instituições de solidariedade nos países onde se inserem", explicou.

 

31
Mar21

Museu do Holocausto do Porto reabre com visitas grátis até maio

Niel Tomodachi

Depois do sobressalto do confinamento, o museu vai mesmo começar a receber os primeiros visitantes já a 5 de abril.

abd4a41ed909a8ebb9d58258eb87d6c4-754x394.jpg

Deveria ter sido inaugurado em janeiro estava tudo preparado para que o espaço no Porto pudesse homenagear as vítimas do holocausto, mas o confinamento impediu-o. Agora, as portas vão finalmente abrir.

A abertura está prevista para a próxima segunda-feira, 5 de abril. Mas há outra boa novidade: as entradas serão grátis até ao final de maio.

No museu, instalado na zona do Campo Alegre, pretende-se retratar a vida dos judeus antes do Holocausto, mas sobretudo detalhar as dificuldades e o sofrimento enfrentado pelos milhões de refugiados. De uma reprodução dos dormitórios do campo de concentração de Auschwitz a um memorial e até um cinema, tudo irá servir para relatar as vidas de muitos judeus, alguns familiares dos que agora erguem o museu. O projeto foi criado por membros da Comunidade Judaica do Porto.

O museu portuense irá também estabelecer parcerias com outros museus do holocausto criados em cidades um pouco por todo o mundo, dos Estados Unidos à Ásia. De acordo com o curador Hugo Vaz, são esperadas milhares de visitas por ano, sobretudo de estudantes.

“Importa ensinar o Holocausto em Portugal. Na escola, eu e o meu irmão éramos os únicos judeus. O tema nunca era abordado nem ensinado, e poucos sabiam o que tinha sido o Holocausto”, diz Dara Jeffries, do conselho fiscal da Comunidade Judaica do Porto.

O Museu do Holocausto fica na Rua do Campo Alegre, no número 790, no Porto — e irá funcionar de segunda a sexta, das 14h30 às 17h30.

 

30
Mar21

Clérigos do Porto celebram Páscoa com concertos pelo Facebook

Niel Tomodachi

A Irmandade dos Clérigos, no Porto, vai celebrar a Páscoa com um conjunto de três concertos com transmissão online da Igreja dos Clérigos através da sua página na rede social Facebook, anunciou hoje.

naom_5acde36c93663.jpg

"Paixão e Crucificação", "Túmulo e Silêncio" e "A Ressurreição" são os nomes dos três concertos planeados para serem exibidos pela Internet nos próximos dias 02, 03 e 04 de abril, lê-se num comunicado de imprensa enviado à comunicação social.

Os concertos vão contar com saxofonista holandês Henk van Twillert como "convidado especial" e que se vai juntar a Rui Soares nos órgãos históricos dos Clérigos.

Apesar de estar com a atividade temporariamente suspensa devido à pandemia, a Irmandade dos Clérigos pretende com os três concertos pascoais "manter viva a forte programação cultural que desenvolve desde a reabertura em 2014", explica no comunicado.

A Torre e Igreja dos Clérigos, conjunto arquitetónico no Porto classificado como monumento nacional, registou quebras de 75% de visitas de turistas em 2020 devido à pandemia da covid-19, um valor que está em "linha com os museus e monumentos tutelados pela Direção-Geral do Património Cultural", refere o mesmo comunicado.

"Contrariando as tendências de crescimento dos anos anteriores, em 2020 o complexo dos Clérigos recebeu cerca de 375 mil visitantes, sendo que os seus visitantes eram, maioritariamente, famílias portuguesas e espanholas".

Outros mercados de referências como o mercado francês, brasileiro, alemão, italiano e inglês também "tiveram quebras enormes", acrescenta a Irmandade.

Em 2020, devido aos tempos de pandemia mais de "2.500 os profissionais de saúde visitaram o Museu e Torre dos Clérigos de forma gratuita, uma iniciativa da Irmandade que se vai estender até ao fim deste ano, como sinal do "reconhecimento e agradecimento" àqueles profissionais pelo combate que travam contra covid-19.

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pág. 1/23

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Quotes:

“How wonderful it is that nobody need wait a single moment before starting to improve the world.” ― Anne Frank

Pesquisar

Nelson's bookshelf: currently-reading

Alfie - O Gato do Bairro
tagged: currently-reading

goodreads.com

2021 Reading Challenge

2021 Reading Challenge
Nelson has read 1 book toward his goal of 25 books.
hide

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Afiliado Wook

WOOK - www.wook.pt

Comunidade Bertand

Afiliado Miniso

Read the Printed Word!

Em destaque no SAPO Blogs
pub