Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Little Tomodachi (ともだち)

Little Tomodachi (ともだち)

28
Fev20

“Como Fazer para Acontecerem Coisas Boas”

Niel Tomodachi

Compreenda o seu cérebro, gira as emoções, melhore a sua vida. 

Sobre a Obra:

Unindo o ponto de vista científico, psicológico e humano, a autora oferece-nos uma reflexão profunda, salpicada de conselhos úteis e com uma vertente iminentemente didáctica, sobre a aplicação das nossas capacidades de empenho em procurarmos uma existência plena e feliz.

Conhecer e optimizar determinadas zonas do cérebro, fixar metas e objectivos na vida, exercitar a vontade, pôr em marcha a inteligência emocional, desenvolver a assertividade, evitar o excesso de autocrítica e auto-exigência, reivindicar o papel do optimismo…

Sobre o Autor:

Marian Rojas Estapé é psiquiatra, licenciada em Medicina e Cirurgia pela Universidad de Navarra. Trabalha no Instituto Español de Investigaciones Psiquiátricas em Madrid. O seu trabalho centra-se principalmente no tratamento de pessoas com ansiedade, depressão, perturbações de personalidade, perturbações de conduta e em terapias familiares. Desde 2007 dá conferências em Espanha e no estrangeiro sobre stress e felicidade, educação, redes sociais, assim como depressão e doenças somáticas.

 

28
Fev20

As pausas no trabalho são prejudiciais ou benéficas?

Niel Tomodachi

Um tribunal autorizou a Galp Espanha a descontar do salário dos trabalhadores as pequenas pausas diárias. Mas as investigações são claras: parar um pouco é essencial ao trabalhador e aumenta a produtividade.

thumbnail_BarbaraR_workBreak_esboco_cor-696x452.jp

Interromper o trabalho durante cinco ou dez minutos, tomar um café, fumar um cigarro ou tão-só apanhar ar é uma necessidade, mas também uma mais-valia. Não só para o trabalhador como para a entidade patronal.

“Por mais que muitas empresas continuem a pedir uma dedicação plena, sem intervalos nem distrações, não nos podemos esquecer das nossas características e necessidades, nem ignorar os dados elaborados nos últimos anos em torno da produtividade”, alerta Filipa Jardim da Silva. A psicóloga clínica e coach menciona, por exemplo, um estudo que analisou 5,5 milhões de registos diários de funcionários de um escritório, destacando que os profissionais mais produtivos trabalham uma média de 52 minutos até fazerem uma pausa de cerca de 17. “São muitos os estudos que, nos últimos anos, têm aferido os múltiplos benefícios de micropausas ao longo de um dia de trabalho ou de estudo, seja para garantir maiores níveis de saúde física e mental, seja para favorecer a maior eficácia.”

Em Portugal, as pausas laborais não costumam estar referidas nos contratos de trabalho, exceção feita para o período de almoço. Mas isso não quer dizer que muitas empresas não tenham normas e regulamentos internos que são comunicados aos trabalhadores.

Bárbara – que prefere não expor o último nome – ,assistente de backoffice numa empresa de trabalho temporário, está familiarizada com uma política de intervalos bem definida pela empresa. “Tínhamos direito a quatro minutos de pausa por cada hora de trabalho, e este ano passou a cinco.” Isso significa que, além da hora do almoço, tem direito a 40 minutos diários que pode usar como entender. Por norma, divide este tempo entre uma interrupção a meio da manhã, para pequeno-almoço e café, e outro a meio da tarde, para relaxar e conversar com os colegas. Mas também admite que esta gestão flexível não se verifica em todos os departamentos da empresa: quem faz atendimento ao público, apesar de usufruir dos mesmos 40 minutos por dia, precisa de ser autorizado a parar, para não haver sobreposições que prejudiquem o serviço.

A empresa controla estes tempos através de uma aplicação onde fazem login e logout, conforme estão ou não no posto de trabalho. Assim, fica registada a hora de entrada, de saída, o tempo de paragem para almoço e as pausas ao longo do dia. Até agora, a regra tem tido uma função meramente indicativa. “Os tempos de pausa não são descontados se forem ultrapassados e numa situação pontual também não somos chamados à atenção. Mas a verdade é que praticamente toda a gente cumpre a indicação.” Apesar de compreender que exista este limite, Bárbara compreende menos bem uma alteração que a empresa já tentou várias vezes, encontrando sempre oposição dos trabalhadores: que as idas à casa de banho passassem também a ser contabilizadas como tempo de pausa.

Arejar é preciso

 

Filipa Jardim da Silva não tem dúvidas de que as “pausas regulares, a cada hora, promovem não só uma maior produtividade, mas também uma melhor capacidade de decisão e de resolução de problemas, maiores níveis de criatividade, uma maior consolidação de aprendizagens e de memórias e níveis de motivação mais sustentáveis”.

Mas se é verdade que as interrupções são importantes para todos, revestem-se ainda de maior importância para a produtividade de quem tem “empregos cerebrais” ou trabalha em áreas criativas. Quem é que nunca passou pela experiência de encontrar soluções quando deixa de pensar no problema? “Para tarefas que exijam mais do nosso cérebro do que do nosso corpo, a estrutura do córtex pré-frontal é particularmente requerida. É esta área do nosso cérebro que nos ajuda a manter focados nos objetivos e é também esta área que é responsável pelo funcionamento lógico, funções cognitivas superiores e capacidade de tomada de decisão em detrimento de impulsos”, explica a psicóloga. E estes breves períodos de inatividade revitalizam a capacidade de atenção.

É por isso que Dalila Madureira, de 36 anos, designer e diretora de arte numa agência de comunicação, está habituada a um sistema livre: não há controlo ou regra alguma quanto a interrupções no trabalho. A única coisa que importa é que tudo apareça feito a tempo e horas. “É preciso fazer pausas para ‘limpar a vista’. Quando voltamos ao fim de dez ou 15 minutos olhamos para os trabalhos de outra forma, apagamos, mudamos, vemos que afinal há coisas que não fazem sentido.” E no que toca a situações de bloqueio criativo, estes momentos longe do computador são ainda mais importantes. “É muito contraproducente insistir em vez de parar para arejar. No caso de bloqueio, insistir significa passar horas de volta de um trabalho sem necessidade. Por norma, quando se está bloqueado, basta parar um bocado e ir fazer outra coisa que, quando se volta, sai tudo com mais facilidade e mais rapidamente.”

Mas as pausas não são todas iguais, e não apresentam todas as mesmas vantagens. Para que cumpram o seu propósito, diz Filipa Jardim da Silva, é fundamental assegurar que existe uma mudança de foco: “Se vamos continuar a falar sobre trabalho ou a dizer mal da colega do lado, naturalmente, este tempo não será tão eficaz como poderia”. Por outro lado, faz sentido aproveitar para fazer “algum movimento físico, seja dentro do escritório ou num espaço exterior”, para atenuar as longas horas sentado em frente a uma secretária e a um computador, e “aproveitar estes intervalos para abastecer o corpo com bons níveis de hidratação e uma nutrição de qualidade”.

Fotossíntese e recarregar baterias

 

Dalila tem por hábito fazer duas pausas, uma a meio da manhã, outra a meio da tarde, mas se for necessário faz mais ao longo dia. Sente que lhe fazem bem às pernas, à vista e à disposição. “Temos uma copa com varanda no escritório. Quando vamos buscar um café ficamos ali um pouco a fazer a fotossíntese e recarregar baterias.” Além disso, lembra, estas paragens também beneficiam o ambiente laboral. “Fazemos um trabalho de equipa: socializar e conversar um pouco reforça as relações entre colegas.”

Nunca sentiu que alguém a olhasse de lado, que lhe controlasse as entradas, saídas ou pausas, até porque o trabalho aparece feito a horas. Mesmo quando isso implica meter mãos à obra a desoras ou ao fim de semana. “Trabalhei no sábado passado, por exemplo. Porque a questão também é esta: quando são flexíveis connosco, nós somos igualmente flexíveis. E a motivação para produzir é outra.”

 

28
Fev20

Há um truque que pode usar ao pequeno-almoço para queimar o dobro das calorias

Niel Tomodachi

Segundo um estudo da Universidade de Lübeck, reforçar a dose traz imensos benefícios.

e96d41b96a7420d3e4c468ace0d20ce0-754x394.jpg

Se faz parte do grupo de pessoas que ignora ou limita a ingestão do pequeno-almoço para emagrecer, saiba que o truque pode ser precisamente o oposto. Segundo um estudo da Universidade de Lübeck, na Alemanha, publicado a 19 de fevereiro, fazer uma boa refeição da manhã, com proteínas, hidratos de carbono e gorduras saudáveis, pode ser a solução.

De acordo com os investigadores, a primeira refeição do dia, se completa, mantém os níveis de açúcar no sangue estáveis e acelera o metabolismo, podendo queimar até o dobro de calorias, quando comparado com uma dieta em que o pequeno-almoço é fraco e o jantar mais completo.

O estudo publicado no “The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism” foi realizado com 16 homens, durante três dias, e em duas fases. Primeiro, tomaram um pequeno-almoço com poucas calorias, e jantaram fartamente. Na segunda fase, inverteram a dieta.

“Os resultados mostram que a primeira refeição do dia, independentemente da quantidade de calorias que contém, gera duas vezes mais termogénese [produção de calor do corpo para queimar gordura] induzida pela dieta, do que a mesma refeição consumida ao jantar”, referiu a autora do estudo, Juliane Richter, citada pelo jornal brasileiro “Metrópoles”.

Foi possível concluir ainda que os níveis de açúcar e insulina no sangue apresentavam menos picos após a refeição da manhã, em comparação com o jantar. Além disso, os participantes sentiam mais fome e vontade de comer doces após um pequeno-almoço com poucas calorias.

Apesar de o estudo ser pequeno, os resultados corroboram informações obtidas em trabalhos anteriores que afirmam que a primeira refeição é a mais importante do dia — e que se devem ir diminuindo as porções ao longo do dia, sobretudo quando o objetivo é perder peso.

 

28
Fev20

Só precisa de 2 minutos para preparar estes deliciosos muffins de maçã

Niel Tomodachi

A sugestão da nutricionista Maria Gama serve para o pequeno-almoço, mas também para o lanche.

8d0e8be3e85603c82e606438ad915bd9-754x394.jpeg

O truque para preparar um pequeno-almoço ou lanche saudável é mais fácil do que parece: simplificar. Uma lista de ingredientes curta diminui a probabilidade de fazer más escolhas. A sugestão da nutricionista Maria Gama, por exemplo, faz-se apenas com quatro alimentos.

Com a maçã e a aveia como protagonistas, a receita de muffins da também autora do blogue NiT “Põe-te na Linha” prepara-se em apenas dois minutos — basta misturar tudo e já está. O resto do trabalho é do forno.

 

“Fiz estes muffins enquanto preparava o jantar. Temos de aproveitar o tempo todo. Façam de acordo com o que têm em casa”, sugere a especialista.

Do que precisa

— 100 gramas de flocos de aveia;
— Quatro ovos;
— Uma maçã grande;
— Canela (a gosto).

Como se faz

O método de preparação é o mais simples de sempre: mistura tudo até ter um preparado homogéneo e leva ao forno, aquecido a 180 graus, durante 20 minutos.

 

27
Fev20

Continente está a vender caixas com as sobras de frutas e legumes

Niel Tomodachi

Por enquanto, o projeto apenas está disponível em 10 lojas da marca no País.

1b82f8915f52798707bf6280ab74d52c-754x394.jpg

O Continente tem mais uma medida contra o desperdício alimentar. Alguns supermercados da cadeia estão vender caixas especiais com frutas e legumes que não apresentam valor comercial para serem colocados à venda ao consumidor. É um projeto piloto e, por enquanto, apenas está disponível em 10 lojas do País.

Segundo o “HiperSuper”, que falou com o Pedro Lago, diretor de Sustentabilidade e Economia Circular da Sonae MC, as caixas têm um preço fixo de 4,99€. Os clientes não escolhem os legumes e frutas, levam apenas a seleção que já foi feita.

São sempre preparadas com excedentes de alimentos no final do dia. É apenas em espaços de Matosinhos e de Vila Nova de Gaia que as vai encontrar na zona da frutaria. A cadeia já tinha lançado outras iniciativas conta o desperdício de alimentos. É o caso do Panana, um bolo feito com bananas que não são vendidas; e ainda os doces e chutneys de frutas que também não iriam ser aproveitadas.

 

27
Fev20

Há novos iogurtes sem gordura à venda no supermercado por 0,79€

Niel Tomodachi

São duas versões líquidas Skyr sem corantes, nem açúcares adicionados.

d7faea70069ae151312c9828d3889472-754x394.jpg

Em fevereiro 2017, o Skyr, produzido desde a altura do vikings, tornou-se popular na Europa, incluindo Portugal, por ter um teor de gordura quase nulo e por ser rico em proteínas. Esgotava assim que chegava às prateleiras e foi uma das principais tendências nos meses seguintes. Agora, cerca de dois anos depois, há novas versões a chegar aos supermercados.

A cadeia Pingo Doce anunciou a 27 de fevereiro o lançamento de duas versões líquidas de marca própria: os Skyr de framboesa e amora branca e de sabugueiro e laranja.

“Com 0% de gordura, sem corantes e sem açúcares adicionados, são ricos em proteína e fonte natural de cálcio”, pode ler-se na publicação partilhada na página de Facebook.

Os iogurtes de estilo islandês têm 250 gramas por unidade. Independentemente do sabor, cada um custa 79 cêntimos.

 

27
Fev20

Dieta ocidental está a deixar as pessoas menos inteligentes

Niel Tomodachi

72ca9001a7227d76f54dafbb57820999-783x450.jpg

Uma dieta pouco saudável, à base de hambúrgueres e doces está literalmente a deixar as pessoas menos inteligentes apenas no espaço de uma semana. Esta foi a conclusão de um estudo de investigadores da Universidade Macquarie, em Sidney, na Austrália.

 

Além da dieta ocidental estar associada à obesidade, diabetes, tensão alta, doenças cardiovasculares, cancro e outros problemas de saúde, ela pode prejudicar subtilmente a função cerebral e encorajar as pessoas saudáveis a comer mais do que deveriam.

O que os investigadores apelidaram de dieta ocidental é basicamente aquilo mesmo que pode imaginar: uma dieta recheada de gordura, açúcar e sal, com abundância de carnes vermelhas e produtos processados como fast food, salsicha, bacon, comidas prontas, etc.

Este tipo de alimentação é diferente de dietas como a mediterrânea, composta principalmente por frutas e vegetais frescos, peixe, grãos integrais, legumes e gorduras monoinsaturadas como azeite.

No início e no fim da semana, os participantes tomaram o pequeno-almoço no laboratório. Antes e depois de cada refeição, realizaram testes de memória e responderam a questionários sobre o quanto desejavam e gostavam dos alimentos que estavam a comer.

Os investigadores descobriram que quanto mais as pessoas do grupo da dieta ocidental achavam a comida saborosa quando já estavam cheias, saíam-se pior no teste de memória, associado à função do hipocampo no cérebro.

Por outras palavras, comer uma dieta rica em açúcar piora a sua memória e faz com que ache toda aquela comida cada vez mais desejável imediatamente após comê-la, o que pode fazer com que coma em excesso.

“Depois de uma semana com uma dieta ao estilo ocidental, alimentos saborosos tornam-se mais desejáveis quando você está cheio. Isto torna mais difícil resistir-lhes, levando você a comer mais, o que, por sua vez, gera mais danos ao hipocampo”, explicou o coautor do estudo, Richard Stevenson, professor de psicologia da Universidade Macquarie.

Estudos anteriores com animais já haviam sugerido que uma dieta pouco saudável podia prejudicar o hipocampo, uma região do cérebro envolvida com a memória e o apetite.

Uma hipótese que pode explicar isto é que o hipocampo normalmente bloqueia ou “enfraquece” memórias sobre alimentos quando já estamos cheios, para não comermos em excesso.

Só que isso não acontece — não quando a dieta é rica em açúcar e gorduras. “Quando o hipocampo funciona de forma menos eficiente, você recebe essa enxurrada de lembranças e, portanto, a comida é mais apelativa”, afirma Stevenson.

 

27
Fev20

Os scones saudáveis e deliciosos que pode preparar em 5 minutos

Niel Tomodachi

Vai precisar de sete ingredientes para experimentar a receita da nutricionista Sónia Marcelo.

af5ddc4a7b46c0cc376ead555222dd6c-754x394.jpg

São pequenos, preparam-se rapidamente, servem para várias ocasiões e são fáceis de transportar. É por tudo isto que os scones continuam a estar entre as receitas favoritas do mundo saudável. Se escolher os ingredientes certos, podem ser uma ótima adição à dieta.

A sugestão da nutricionista Sónia Marcelo, autora do blogue “Dicas de Uma Dietista”, é feita com sete ingredientes, entre eles aveia e queijo quark. Cinco minutos também é suficiente para a preparação, já que o forno trata do resto.

 

“São reconfortantes e o sabor fica ótimo com um chá ou tisana. Se não costuma comer devido ao seu teor em gordura, açúcar e farinhas brancas, agora já se pode deliciar e comer sem culpa”, diz à NiT a especialista.

Do que precisa

— 200 gramas de farinha de aveia;
— Uma colher de sopa de fermento;
— Duas colheres de sopa de azeite;
— Um ovo;
— 100 gramas de queijo quark;
— Raspa de limão;
— Dez gramas de linhaça moída.

Como se faz

Comece por juntar todos os ingredientes num recipiente e bata até ficar homogéneo. Depois, forre um tabuleiro com papel vegetal.

Com o auxílio de uma colher de sopa, deite colheradas do preparado no tabuleiro e leve ao forno, pré-aquecido a 180 graus, durante 15 minutos.

 

27
Fev20

Delicie-se com esta receita de brownie low carb

Niel Tomodachi

Receita saborosa e pouco calórica.

naom_5e34223223b50.jpgBasta substituir alguns ingredientes para prepara uma sobremesa tão deliciosa quanto a tradicional, e o melhor, sem sair da dieta", diz a nutricionista, Luanna Caramalac em entrevista à revista Women's Health.

Aprenda a fazer esta receita de brownie de chocolate low carb sugerida pela nutricionista:

Ingredientes

– 2 ovos;⠀⠀

– 1 chávena de chocolate amargo derretido;

– 1/4 chávena de leite vegetal;

– 3 colheres de sopa de óleo de coco;

– 3/4 de uma chávena de adoçante (eritritolstévia ou taumatina);

– 1 colher de sopa de cacau em pó sem açúcar;

– 2 chávenas de farinha de amêndoas (ou outra farinha de oleaginosas);

– 1/2 chávena de chocolate preto picado (ou em gotas);

– Canela a gosto (opcional). 

Preparação

Num recipiente coloque os ovos, chocolate preto derretido, leite vegetal, óleo, cacau, adoçante e mexa até a massa ficar homogénea. Acrescente gradualmente a farinha e mexa devagar até incorporar na massa. Adicione o chocolate picado e mexa novamente. Despeje a massa numa forma untada e asse no forno em temperatura média (170 a 180°C) por 25-30 minutos (não deixe assar por completo, se não transformar-se-à num bolo). 

Retire e deixe arrefecer. Se preferir, coloque o chocolate preto por cima como cobertura.

 

27
Fev20

Seis benefícios da dieta 'low carb' ou cetogénica que vão conquistá-lo

Niel Tomodachi

Trata-se de um regime alimentar que se caracteriza pela ampla restrição do consumo de hidratos de carbono. Ao invés, esta dieta prima por ser rica em proteínas, gorduras e fibras, e promete ajudá-lo a ter uma alimentação mais saudável e equilibrada.

naom_5e5665097a66c.jpg

Dieta ‘low carb’, dieta cetogênica ou Keto – são vários os nomes pelos quais este tipo de regime alimentar extremamente popular é conhecido, como aponta um artigo divulgado pela revista norte-americana Vogue.

Apesar dos hidratos de carbono serem a principal fonte de energia para o ótimo funcionamento do organismo, a verdade é que quando ingeridos em excesso transformam-se em açúcar na corrente sanguínea.

“O organismo irá armazenar essa grande quantidade e irá transformá-la em gordura”, explica a nutricionista Thaise Costa, em declarações à Vogue.

Conforme o nome indica – ‘low carb’ - esta dieta passa pela restrição do consumo de hidratos, dando ao invés preferência à ingestão de alimentos abundantes em proteína, gorduras e fibras.

“Trata-se de uma dieta segura e eficaz, desde que haja um acompanhamento de um nutricionista de modo a auxiliar na melhor forma de substituir certos alimentos, a fim de não causar um défice de nutrientes no corpo”, recomenda Thaise.

 

Eis seis benefícios da dieta Keto:

 

1 – Não terá fome Esta dieta inclui a ingestão de alimentos que aumentam a sensação de saciedade, como gorduras boas, vegetais, proteínas e fibras.

2 – Diga adeus à gordura localizada A dieta ‘low carb’ acelera o processo de emagrecimento, isto porque, como aponta a Vogue, garante a eliminação da gordura – proveniente dos hidratos de carbono – em vez da perda de músculo.

3 – Pressão arterial controlada “Ingerir uma baixa quantidade de hidratos auxilia no controlo da pressão sanguínea, já que ocorre a diminuição da ingestão de glicose no organismo, principalmente para os que sofrem com esse fator elevado e que estão propensos a ter problemas como ataques cardíacos, derrames e falência renal”, conta a nutricionista.

4 – Redução nos níveis de triglicéridos Os triglicéridos são moléculas compostas por açúcares que existem no organismo. Ao diminuir a ingestão de açúcares e carboidratos, dá-se uma redução tremenda nos níveis de triglicéridos. “Quanto maior a taxa de açúcar no sangue, maior a taxa de triglicéridos”, alerta Thaise Costa.

5 – Redução de insulina e glicémia A dieta cetogénica é ideal sobretudo para quem sofre de diabete ou de distúrbios metabólicos. A diminuição dos níveis de hidratos no organismo contribui para o controlo dos picos de insulina no sangue.

6 – Reduz o colesterol Devido ao seu alto teor em gorduras boas, o regime alimentar potencializa o aumento dos índices de colesterol ‘bom’ (HDL), que tem um efeito de proteção para o coração, e para a diminuição dos níveis de colesterol ‘mau’ (LDL).

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Quotes:

"We need four hugs a day for survival. We need eight hugs for maintenance. And we need twelve hugs a day for growth." - Virginia Satir

Pesquisar

Nelson's bookshelf: currently-reading

Alfie - O Gato do Bairro
tagged: currently-reading

goodreads.com

2021 Reading Challenge

2021 Reading Challenge
Nelson has read 1 book toward his goal of 25 books.
hide

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Afiliado Wook

WOOK - www.wook.pt

Comunidade Bertand

Read the Printed Word!

Em destaque no SAPO Blogs
pub